Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Viva o provedor do leitor do Público

por henrique pereira dos santos, em 27.11.21

Não é segredo, para quem lê o que escrevo, a minha quase permanente irritação com a qualidade do jornalismo em Portugal (suspeito que não é caso único no mundo, mas é este que conheço melhor).

E, sobretudo, a minha incompreensão sobre o feroz corporativismo do jornalismo, que na prática bloqueia a crítica saudável, isto é, aquela que permite melhorar o desempenho.

O Público criou, há muitos anos, um provedor do leitor que, inicialmente, fazia um bom trabalho. Mas rapidamente foi capturado pela redacção porque os provedores seguintes se achavam, esta é a minha interpretação, mais provedores do bom jornalismo - isto é, o jornalismo que os provedores entendiam que deveria existir - que dos leitores.

Desliguei, portanto, desse mecanismo de escrutínio do jornalismo, tal como desliguei dos mails para os jornalistas do Observador, que inicialmente resultavam em qualquer coisa de útil e, depois, pura e simplesmente ou deixaram de ter resposta, ou têm respostas burocráticas a negar a discussão da crítica dos leitores.

Um dia destes, perante a evidente manipulação do jornal para fins privados, protestei junto do Provedor do leitor do Público.

Confesso que quando o Provedor me mandou um mail a reencaminhar a resposta do jornalista, temi que o assunto morresse como de costume.

Mas não, hoje o Provedor, na sua coluna, não só fala do assunto, como responde de forma clara e conclui cristalinamente: "o provedor considera que o artigo em causa viola o artigo 1º do Código Deontológico dos jornalistas e o ponto 15 do Livro de Estilo do Público, com a agravante do jornal ter feito sua a opinião de uma das partes".

Com certeza fico satisfeito por haver outras pessoas, com mais distância do assunto, que corroboram o que eu dizia sobre o artigo (ou parte do que eu dizia, mas uma parte muito relevante), mas não é isso que me deixa mais contente, o que me deixa mais contente é verificar que há um provedor do leitor, num jornal, que se põe fora do habitual corporativismo e reconhece que os jornalistas também cometem erros de palmatória que o jornal não detecta a tempo de os impedir.

Muito obrigado, senhor Provedor (José Manuel Barata-Feyo, de seu nome).



4 comentários

Sem imagem de perfil

De Cac a 27.11.2021 às 12:01

Desse jornal, a que prefiro chamar pasquim porque mais perto disso, nada me admira.
No dia das eleições autárquicas, ao comentar um artigo do director, e acusando-o de promover uma censura velada que não é nem pode ser a função de um jornalista, fui pura e simplesmente impedido de aceder à caixa de comentários da página na net. 
Revela muito do jornalismo que se faz em Portugal: deixou de escrutinar o poder e passou a ser mera propaganda do mesmo. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.11.2021 às 14:04

Os reputados produtos "Renova"  substituem , com maior qualidade e , incluso, dignidade, esse  abjecto folheto propagandístico...
JSP
Sem imagem de perfil

De aly kath a 27.11.2021 às 15:05

La cucaracha, la cucaracha
Ya no puede caminar
Porque no tiene, porque le falta
Una pata para andar
Sem imagem de perfil

De João Pedro a 29.11.2021 às 22:31

Sempre tive JM Barata Feyo por um jornalista sério e objectivo. Ainda agora lançou um livro com algumas das suas reportagens mais arriscadas, como na guerra em Angola, ou seja, é daquela velha guarda que trabalhava como "enviados espiciais" aos lugares onde decorria a acção para fazer jornalismo fidedigno.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    (cont.)E se a AR é a Casa da Democracia, não haver...

  • Anónimo

    O Parlamento representa o eleitorado e é uma amost...

  • anónimo

    O desinteresse nasceu e subsiste porque metade do ...

  • Carlos Sousa

    Explicou perfeitamente, só que essa solução leva a...

  • balio

    Não sei de quem é a culpa dos erros nos cadernos e...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2007
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2006
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D