Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Venham as consequências, sim!

por José Mendonça da Cruz, em 25.09.14

O primeiro-ministro Passos Coelho prometeu que tirará dos resultados da investigação sobre as suas antigas situações na AR e na Tecnoforma e sobre as suas antigas declarações de impostos todas «as conclusões e consequências». Gostaria que assim fizesse, que tirasse todas as conclusões e que levasse as consequências até ao limite do possível.

 

Não creio que Passos Coelho esteja em falta. Creio que, com a sua incompreendida frieza, está a cozinhar em lume brando os críticos que julgam estar a cozinhá-lo a ele. E estou seguro que, estando em falta, se demitirá do cargo de primeiro-ministro. Uma consequência dramática.

Mas não estando em falta, deve tirar conclusões e consequências de igual dramatismo.

As primeiras devem ser políticas e respeitar ao seu próprio governo. Ou seja, PPC deve reunir com a ministra e tratar de alterações legislativas na Justiça, para evitar que gangsters se aproveitem de deficiências e lacunas. É que as coisas são como Miguel Sousa Tavares explicava: qualquer crápula pode fazer uma queixa infundada à Procuradoria; a queixa fica lá; um crápula amigo nos media pergunta, depois, à Procuradoria se existe uma queixa; a procuradoria diz que sim; e é quanto basta para atirar lama.

O primeiro-ministro deve, depois, elaborar finalmente uma política de comunicação social. É que há em muitas redacções abundância de imbecis e canalhas, cegos por causas tontas ou ávidos de um osso no futuro. São aqueles que, mal «os seus» são condenados em tribunal por corrupção e abusos ocultos, inventam faces ocultas nos outros. São aqueles que inventam, que invocam «suspeitas» sem provas, que dizem que «alegadamente» há «uma impressão geral de que», aqueles que escavam processos enterrados na justiça com os quais possam difamar, relativos a questões prescritas, de preferência, para dificultar o desmentido.

O primeiro-ministro deve elaborar uma política de comunicação consistente e pensada, mas deve, antes, processar -- em processos pesados e onerosos para os orgãos de comunicação social que acoitarem bandidos -- os militantes da lama e das campanhas.

E, por fim, o primeiro-ministro deve divertir-se, como ganhou o direito de fazer. Deve ir à Assembleia e confrontar os bloquistas e os junqueiros que não enxergam a ponta do pé mas se julgam impolutos e justicialistas. E espero que, ao menos aí, se divirta muito. 



6 comentários

Sem imagem de perfil

De p D s a 25.09.2014 às 18:28

Aposto a minha vida...em como o sr. "exPM" vai concordar em pleno com o seu post!


e ainda aposto a meu lugar no ceu...em como o sr "exPM" apenas achará que as suas palavras apenas pecam por tardias...digamos que "um PM" de atraso.


MAs vale mais tarde que nunca! 
Sem imagem de perfil

De Nuno Henrique Luz a 25.09.2014 às 20:35

Assim aconteça exactamente o que escreveste.


Vamos ver já amanhã o que se passa na AR.


Um abraço,


Nuno Henrique Luz


Sem imagem de perfil

De João Costa a 25.09.2014 às 20:43

Caro José Mendonça de Cruz,

Deixe-me dizer-lhe em primeiro lugar que é o blogger que mais leio e admiro. Acompanho o que escreve há muito tempo, sem nunca ter comentado, embora me farte de partilhar posts seus nas redes sociais. Faço esta introdução para lhe agradecer o que escreve regularmente.

Mas desta vez estou em desacordo consigo. Não creio que amnésia do Primeiro Ministro seja aceitável, por todas as razões e mais algumas. Se sabe que está absolutamente inocente, não deve perder nem mais um minuto a afirmar essa inocência, se não se lembra, é grave que um homem novo não se lembre de algo que se passou não há tanto tempo assim. Ninguém acredita nessa amnésia. Remeter para a PGR uma explicação, quando sabe que esta não o pode fazer em processos que já prescreveram é apenas um processo dilatório, inadmissível num homem que sempre tive como sério.

Se a ideia é dar uma lição a quem tenta enlamear o seu nome, está a perder demasiado tempo, deixando o país em suspenso. Não é aceitável que um Primeiro Ministro use este tipo de expedientes.

Gostava de estar enganado, mas creio que a demissão do PM será inevitável.

Um abraço,

João Costa
Imagem de perfil

De José Mendonça da Cruz a 26.09.2014 às 14:09

Meu caro João Costa,
Obrigado pelas suas excessivas atenção e simpatia que hei-de fazer o possível por continuar a merecer.
Quanto ao caso: viu que a Procuradoria, afinal, esclareceu?
Pois é, e esse é o meu ponto: ao contrário do que disse o infeliz Seguro, o PM não se «esconde atrás das instituições»; antes apela a que elas funcionem. E, com isso, obtém esclarecimentos de dúvidas e desmentidos de mentiras que uma afirmação pessoal não conseguiria com tanta eficácia. Acresce -- e isso todos se escusam de dizer -- que os «jornalistas» que levantam suspeições sobre o PM não estão interessados em esclarecimentos e sempre fingirão não ter ouvido; querem apenas tramar o governo.
Insisto: em vez de ver na «demora» do PM uma hesitação inexplicável, eu vejo um apelo muito saudável ao «normal funcionamento das instituições», que é a melhor forma de contrariar de vez o clima malsão em que estamos e o enviesamento dos mascarados que andam pelas redacções a fingir de jornalistas (reveja o comentário do socialista fidelíssimo António José Teixeira no noticiário das 13 da Sic e terá uma confrangedora ilustração do caso).
Julgo que se pode discordar de PPC em muitas coisas (como liberal acontece-me várias vezes, e achei o novo imposto da «cópia privada» um escândalo), mas fui aprendendo que é um homem sério, e que a frieza e racionalidade dele são subestimadas por pessoas muito ligeiras que, depois, são apanhadas à meia volta (a crise de Julho de 2013 é que me deu a certeza disso).
Um abraço
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.09.2014 às 01:45

Isto tem um aspecto bom: é que na legislatura anterior, quando o PM estava enterrado em merda até à ponta dos cabelos e havia mentiras umas atrás da outras, muitas delas oficiais e emanadas do próprio gabinete, alteradas à medida que se iam sendo descobertas, isto era impossível. Hoje não vejo ódios de morte à comunicação social e aos jornalistas em particular, nem acusações de "campanhas negras" ou de "politização da justiça", o que é salutar. Aliás, pior do que antes seria impossível. Uma coisa que deveria considerar é que a própria PGR lançou uma página para denúncias anónimas.
Sem imagem de perfil

De hajapachortra a 26.09.2014 às 03:41

Como é que alguém pode falar sem se rir da seriedade de meninos das jotas?! A tecnoforma mete relvas, armando vieira, pereira coelho, todo o bas-fond do psd e o pedrito que fez de chefe de toda essa catraiada ficava de mãos a abanar? Não me lixe, ó Cruz.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ouvi há pouco na sicN pelas 20h :26m (é uma interv...

  • Elvimonte

    O negacionismo da sazonalidade de todos os coronav...

  • Marques Aarão

    Com este circo montado deixou de haver palhaços sé...

  • henrique pereira dos santos

    Não, são os países europeus com maior incidência r...

  • Anónimo

    Caro Henrique,Permita-me que o informe que deixou ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D