Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma garrafa de Cave Real, Bruto natural...

por henrique pereira dos santos, em 19.02.19

… que era o que havia cá em casa para comemorar logo ao jantar.

É tão raro ter razão em relação ao futuro que acho que desta vez mereço.

Há uns anos, o então presidente do Instituto de Conservação da Natureza, João Menezes, que foi um excelente presidente talvez por não ter grande ligação ao assunto mas saber ouvir, apareceu com ideias para comunicarmos a política de conservação da natureza usando o urso.

Eu, como todos os técnicos de conservação, dissemos-lhe que era uma ideia absurda, não havia ursos há demasiado tempo em Portugal e não se fazia a menor ideia de quando haveria de novo.

Depois disso, estudei mais o assunto e a evolução dos sistemas naturais e concluí que João Menezes tinha razão, começando a falar (e a escrever) na entrada de ursos em Portugal, num prazo de dez a vinte anos.

Desde então tenho ouvido muitos comentários trocistas, incrédulos, agressivos, enfim, os mais variados, sempre que repetia a ideia de que a existência de ursos em Portugal (animais divagantes, não populações estabilizados) poderia ser realidade num prazo de dez a vinte anos.

Foi hoje que me disseram que foram detectados ursos divagantes em Portugal, as pegadas foram fotografadas e confirmadas por especialistas espanhóis.

Enganei-me sim, mas foi só porque a natureza reagiu mais rapidamente do que pensei.

Autoria e outros dados (tags, etc)



1 comentário

Sem imagem de perfil

De Nuno Farinha a 19.02.2019 às 19:02


Montesinho ou Gêres? Já houve relatos de observações perto em ambos estes lados.

"A parte boa do despovoamento do território". Será que vamos conseguir conviver com eles? Aprendemos com os erros do passado?

Uma coisa é conviver com uma águia imperial, uma cabra montesa, outra é um predador de topo mesmo que a sua dieta passe por ser essencialmente vegetariana. Já estou a imaginar a primeira vez que um apicultor der de caras com um urso nas imediações de uma colmeia.

Honestamente a nossa flora autóctone actual provavelmente está muito longe de conseguir assegurar a sobrevivência do urso.

Aquilo está tão atribulado em Espanha, que até os ursos já querem sair de lá. O problema é que cá não está muito melhor.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ser de direita, tudo muito bem, para quem tem gran...

  • Anónimo

    Anónimo das 13:16 = Fernando SILVA

  • Anónimo

    Pouco apto para que fim?

  • Anónimo

    Pois ... E quem vai avaliar e decidir sobre se o "...

  • Luís Lavoura

    "irá basear-se na aptidão dos solos e no seu uso e...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D

    subscrever feeds