Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




um dia teria de ser...:

por Vasco Lobo Xavier, em 27.05.14

 

Um dia Seguro iria perceber e consciencializar-se de que mais não fez do que protagonizar o papel de bonzo que lhe escolheram, o de idiota útil ou de sentinela à caserna enquanto o resto da malta afiava finamente os punhais nos seus aventais de cabedal e treinava com precisão a sua pontaria com os revólveres. Nem sei como não compreendeu antes, face aos papelões que o papel para ele escolhido obrigava a fazer, as inconsistências, os disparates atrás uns dos outros, os exemplos históricos de Constâncio, Marcelo, Marques Mendes e muitos outros antes destes que caíram em esparrela semelhante. Só um cego (e mesmo assim estará por demonstrar) não veria nas atitudes de Soares o empunhar das baionetas. Só um surdo não se assustaria com o silêncio de tantos camaradas, desde a campanha à noite eleitoral. Só alguém completamente desprovido de tacto não sentia as armadilhas que lhe foram colocando ao longo destes anos, e é preciso não ter gosto nenhum para colocar os amigos de Sócrates nos lugares europeus. Nem coluna vertebral. Só um pau mandado insensível se recusaria a penitenciar-se perante os portugueses pelo mal que o PS lhes tinha feito com a bancarrota.

 

Seguro foi caminhando alegre e inconscientemente no caminho que os seus camaradas lhe prepararam. Em condições normais, seria de meter dó e até teria pena do sujeito. Mas como ele criou uma realidade fantasiosa nos últimos três anos, e que sempre critiquei, agora não me incomoda nada que o país das maravilhas em que ele se deixou viver o tenha confundido até mesmo à porta de casa, ao vizinho do lado. Fez a sua caminha e meteu lá quem quis, não venha agora queixar-se de que cheira mal.

 

Os camaradas vão correr com ele, rapidamente e em força. Das trincheiras de Seguro ouvem-se ainda, aqui e ali, alguns disparos para o ar, mas sem convicção, pontaria e inúteis contra carga pesada: José Lello já fez saber que no PS andavam sedentos de mudança. Quantos? “Milhares”, responde ele do alto daquela superioridade moral socialista, tão pior quando se abate sobre os seus. Os críticos saem da toca aos magotes e armados até aos dentes. A indefesa Maria de Belém Roseira estremece na voz e diz que não fala mais. Assis anseia pelo voo para Bruxelas e Silva Pereira já deve estar a bebericar qualquer coisa no bar do aeroporto, rindo-se ao telefone com o seu mentor. A marca de Zorrinho passou a ser, estranhamente, o silêncio. E muitos indecisos em terra de ninguém perscrutam de onde virá o vento e, principalmente, para onde ele irá, enquanto se tentam abrigar dos obuses que vão caindo nesta guerra relâmpago. As empresas de telecomunicações esfregam as mãos e os telefones aquecem.

 

As tropas de Sócrates vêm aí, sedentas e esfomeadas. Já não conseguiam mais estar quietas. Um bando de animais ferozes, com António Costa à cabeça, Sócrates a fazer de lamparina alumiadora, farol daquela gente, e militares de carreira aventalense e castrense a ulular assustadoramente, lança-se sobre este pobre país e sobre os portugueses sem que nunca antes se tenha arrependido da bancarrota em que nos fez cair aquando da sua última gestão. E provavelmente para tentar repetir a façanha, agora que o esforço dos portugueses juntou umas parcas economias nos cofres que antes os socialistas deixaram vazios. Era fatal como o destino. Só Seguro não viu, entretido a desenhar um programa de governo perfeitamente irreal e a alinhavar o discurso da vitória que antevia. Ou anteviam por ele. Ou mandavam-no antever. Seguro, o tal que se continua a afirmar pronto para governar o país. Alguém devia dizer-lhe, coitado.



Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • henrique pereira dos santos

    Especialista em eucaliptos? Não tenho essa ideia.

  • Esteves

    Secretario de estado ? EnganoO andre é candidato ...

  • Esteves

    "Asneira. Já houve no mundo montes de epidemias qu...

  • Esteves

    cairem de um andaime, têm covid... sao contabiliza...

  • Esteves

    O andre nao se rege pela natureza... a natureza re...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D


    subscrever feeds