Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"Tecnicamente verdadeiro"

por henrique pereira dos santos, em 23.04.24

Desde que a AD formou governo, ou mesmo um bocadinho antes, já várias vezes li em peças jornalísticas (sejam elas de opinião ou não, que eu tenho cada vez mais dificuldade em distinguir uma coisa da outra) a expressão "tecnicamente verdadeiro".

O contexto é sempre o mesmo: alguém diz alguma coisa que é verdade, mas o jornalista (ou opinador, insisto que tenho dificuldade na distinção) acha que não devia ser, então diz que a afirmação é tecnicamente verdadeira, mas ... e depois dedica-se à habitual intriga.

Mais ou menos como se alguém dissesse que o que distingue um pastel de nata de um bom bocado era um ter massa folhada e outro ter massa areada (e eu não vou discutir se o que acabei de dizer é verdade ou não, é irrelevante para explicar o argumento) e o jornalista dizer que isso é tecnicamente verdade, mas nada diz sobre se o pastel de nata é melhor que o bom bocado, coisa que nos bastidores tem sido forte tema de controvérsia bem demonstrativa da incapacidade desse tal alguém inicial dizer alguma coisa de jeito.

E, no fim, chamam jornalismo à arte de contrariar uma coisa através da distinção entre a verdade técnica, a que é objectiva e verificável, da verdade verdade, a que o jornalista define.


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Filipe a 23.04.2024 às 14:51


"E, no fim, chamam jornalismo à arte de contrariar uma coisa através da distinção entre a verdade técnica, a que é objectiva e verificável, da verdade verdade, a que o jornalista define."



Jornalismo ou opi-nanismo?
Sem imagem de perfil

De balio a 23.04.2024 às 14:57


Vale a pena recordar António Aleixo:


"P'ra mentira ser segura
e atingir profundidade,
tem que trazer à mistura
qualquer coisa de verdade."



A arte de mentir em política é precisamente a arte de dizer coisas que são tecnicamente verdadeiras.
Sem imagem de perfil

De Manuel da Rocha a 23.04.2024 às 15:11

Não é complicado de perceber o porquê: 
AD - 13, dos 18, candidatos são (ou já foram) comentadores/jornalistas, em meios de comunicação social; 
Chega - 9, dos 60 (apesar de só poderem candidatar 21, apresentaram 60 e André Ventura é o número 1 da lista), são personagens conhecidas das redes sociais e dos meios de comunicação social, incluindo 2 ex-concorrentes dos programas da TVI. 
Rende ser jornalista e ir recebendo alvissaras, ao mesmo tempo que preparam o futuro. 
"Quando fui político aprendi pouco, desde ser candidato a autarquias, ás assembleias municipais e ás legislativas, como jornalista é onde está o meu coração e o que sei fazer. Nunca mais voltarei para a política, pois aqui é o meu lugar e onde posso fazer diferença." Sebastião Bugalho, 15 de Abril de 2024, na SIC Notícias. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.04.2024 às 10:01

Muito bem. Então agora vamos ao PS, ou mais propriamente à candidata nº1, Marta Temido. 
O jornalismo caseiro tece-lhe encómios, fazendo ressonância dos elogios que partem do seu próprio partido: loas à sua popularidade(!), experiência e, sobretudo à competência (sic) com que geriu o plano nacional de vacinação covid-19.
A memória é curta!... a sra. é simplesmente a autora da derrocada do SNS e não há volta a dar. Mas adiante... continuemos no tema da vacinação durante a pandemia. Avivemos, pois, a memória sobre o que se passou. Vamos aos factos e verdades técnicas:


«Os casos de vacinação indevida em Portugal não páram de aumentar e já provocaram demissões, incluindo a do coordenador da "task force" para o plano de Vacinação contra a Covid-19». [quem poderia esquecer-se das das irregularidades no H.da Cruz Vermelha e das "broncas do 1º coordenador Francisco Ramos, que Ricardo Araújo Pereira soube "explorar" magistralmente e ridicularizar nas cenas do Task Force]
E que dizer do processo de selecção para a vacinação, onde inicialmente se deu prioridade a "amigos" que passavam secretamente à frente, não contemplando os idosos nem os grupos mais vulneráveis? A indignação e escândalo público tiveram tal repercussão na altura (as pessoas tendem a esquecer-se...), que tiveram de corrigir e os lares de idosos, finalmente, passaram a estar incluídos no grupo dos prioritários.
E a falta de noção do ridículo daquele sr. que nos instruia a dar compotas caseiras de presente de Natal, aconselhando que fossem entregues no patamar do prédio ou à porta de casa. Simplesmente cómico!
Como também é inesquecível a recomendação da dra.Graça Freitas que não nos desaconselhava de viajar de avião, desde que mantivéssemos a cabeça sempre virada para a frente.  
 Será melhor nem entrar no capítulo dos "confinamentos" que isso daria um Tratado...
 A falta de um plano, a falta de profissionalismo e o amadorismo eram confrangedoramente notórios e constantes. 



Até que... veio alguém pôr ordem neste caos e elaborou e organizou finalmente! um verdadeiro plano de vacinação de forma competente e sem falhas: o Almirante Gouveia e Melo. É inquestionável que o sucesso da campanha de vacinação é a ele que se deve. A sua capacidade de organização e de execução com competência foi de tal modo reconhecida por todos que a população ficou rendida ao Almirante e ele tornou-se à época uma das pessoas mais notáveis e populares no país. (Basta lembrar que se falava no seu nome para futuro PR!). E por isso... causou invejas e muita dor de cotovelo. Assim sendo os "falhados" do governo quiseram apropriar-se dos seus louros, indevidamente. Foi movida uma campanha para a Temido se apropriar da "autoria" do sucesso da vacinação que pertencia exclusivamente ao Almirante Gouveia e Melo e à sua equipa.


A propaganda fez o resto e criaram esta "narrativa" que fez caminho, para  colarem inapropriadamente a palavra "competência" e "popularidade" à Marta Temido. Simultaneamente iam sendo removidos os elogios que se devem ao "outro" cujos méritos e sentido de compromisso nos trazia segurança à época. Já pouco se fala disso. Assim se faz cair no esquecimento quem faz sombra.
 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.04.2024 às 16:30

Qual tecnicamente verdadeiro!!!?? Foi uma intrujice o que o Montenegro disse
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.04.2024 às 19:00

Disse que o PSD é um partido do diálogo... 
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 23.04.2024 às 21:28

Qual foi a frase em concreto que acha que não é verdade
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.04.2024 às 13:12

Com a verdade me enganas... 
Sem imagem de perfil

De Albino Manuel a 23.04.2024 às 17:42

Coitado. Todos os dias tem uma explicação; não, não era bem isto. São todos uns aldrabões, estão todos de má-fé. Vai ter muitas explicações pela frente. Sim, começou mal e não se antevê nada de bom - nem sequer alternativa. Mas também, isto é Portugal. Com petinga a dois tostões não se fazem grandes cozinhados. Quando muito exporta-se a petinga; sempre é bom para a balança de pagamentos. Chama-se a isto remessas.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 24.04.2024 às 20:25

O ceo da saúde já foi de vela. Cá se fax Cá se paga. 

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D