Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O terror outra vez (2)

por João Távora, em 23.05.17

Sim, a ilusão da bondade do multiculturalismo é um erro tornado irremediável de há muito no ocidente europeu, e não existem soluções fáceis para resolver a desconfiança que legitimamente possa haver para com as comunidades islâmicas. Pela simples razão que a nossa civilização está fundamentada no primado da lei e não se podem expulsar emigrantes ou os seus filhos simplesmente porque se desconfia deles ou porque não nos agrada a sua cor da pele, os seus costumes ou religião. Haverá algum caminho a fazer no que respeita à intransigência para com quantos afrontem as nossas leis e costumes mas isso não resolve o problema da fragilidade da nossa sociedade liberal face ao terrorismo. Sim, estamos metidos num grande sarilho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O terror outra vez

por João Távora, em 23.05.17

O ataque da noite passada em Manchester tanto pelo seu simbolismo (é hedionda a ideia das crianças e adolescentes como alvo) como pelo número de mortos resultante vem relembrar a Europa multicultural da guerra civil que enfrenta por estes dias no seu seio. O inimigo é interno, formou-se e cresceu cá dentro qual parasita traiçoeiro - o erro há muito foi feito. O inimigo o mais das vezes não se distingue pela pronúncia e contra ele não se vislumbram soluções simples - por mais que o assunto seja pasto para promessas fáceis em eleições. O medo nunca serviu para nada de bom e o seu aproveitamento de nada serve para combater a insânia cobardia destes ataques. Certo é que não nos podemos render ao inimigo, cabendo-nos rezar e chorar pelos nossos mortos... mantendo o normal curso das nossas vida, sem demonstrar temor ou tibiezas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Erro de simpatia... ou jornalismo de causas?

por João Távora, em 28.03.16

O jornalista da TVI ontem chamava Praça da República (repetidas vezes) à Praça da Bolsa em Bruxelas... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O fim do império é o sofá

por João Távora, em 21.11.15

Esta nossa sociedade securitária e hipermediatizada "a mais escolarizada de sempre", que baniu qualquer perspectiva da realidade que ultrapasse as medidas dum ecrã de televisão ou telemóvel, está mais vulnerável que nunca. Mais dois ou três ataques terroristas a ocidentais e concentrados no tempo, o pessoal enterra-se definitivamente no sofá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quando o inferno vence o mundo

por João Távora, em 24.07.11

O caso do norueguês de 32 anos responsável pelo hediondo ato de terror em Oslo que vitimizou 92 pessoas, um europeu loiro de olhos azuis que se reclama cristão, constitui em si mesmo uma parábola cuja moral que não devemos menosprezar: o fanatismo e a alienação, não são exclusivos de muçulmanos maltrapilhos ou comunistas desgrenhados. O diabólico esconde-se por detrás de qualquer aparência, e assume qualquer discurso, que é um mero pretexto para desacreditar a Obra de Deus. Por estes dias somos todos noruegueses.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nada mais do que uma boa notícia

por João Távora, em 02.05.11

Se consigo perceber as manifestações de regozijo pela morte de Bin Laden por parte daqueles que mais de perto viveram os massacres de que ele foi responsável, importa ter em conta que o significado do facto é pouco mais do que simbólico. Até porque do ponto de vista da “substância”, no imediato, a ameaça terrorista só piora. De resto, há simbolismos edificantes e outros nem tanto: parece-me que a exaltação do feito e exibição despudorada do troféu, mesmo que de um monstro alienado, releva-nos para aquilo que todos temos de parecido com ele. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bangkok: terrorismo urbano

por Pedro Quartin Graça, em 21.05.10

Resultado da acção terrorista e criminosa dos "camisas vermelhos" da UDD em Bangkok: 17 bancos, 8 hotéis e centros comerciais, 8 propriedades privadas, cinemas, restaurantes, lojas de rua, lojas de conveniência, departamentos governamentais, uma estação de televisão destruídos na totalidade. Acresce a vandalização de caixas multibanco, montras, cabinas telefónicas e mobiliário urbano.

Entre estes estava o edifício do Central World, maior do que o Colombo. Mas no final os terroristas foram derrotados. A recuperação entretanto já começou. Leia aqui e aqui.

 



Autoria e outros dados (tags, etc)

17 anos, viúva, a face do terrorismo em Moscovo

por Pedro Quartin Graça, em 03.04.10

Dzhanet Abdurakhmanova tinha apenas 17 anos e era viúva de um dos líderes da guerrilha muçulmana do Cáucaso Norte, Umalat Magomedov (também na foto). Foi uma das duas jovens mulheres que se fizeram explodir no metro de Moscovo. A face do terrorismo em período Pascal.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ser de direita, tudo muito bem, para quem tem gran...

  • Anónimo

    Anónimo das 13:16 = Fernando SILVA

  • Anónimo

    Pouco apto para que fim?

  • Anónimo

    Pois ... E quem vai avaliar e decidir sobre se o "...

  • Luís Lavoura

    "irá basear-se na aptidão dos solos e no seu uso e...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D