Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Nevoeiro ideológico

por Pedro Correia, em 29.12.08

 

Anda tudo às avessas. O conservador George W. Bush, nos Estados Unidos, acaba de proclamar a sua aversão ao mercado livre enquanto o socialista Gordon Brown quer impor a semana de trabalho de 65 horas à União Europeia. Tempos de diluição de crenças, de nevoeiro ideológico. Os parâmetros políticos tradicionais estão cada vez mais pulverizados. Sejam bem-vindos ao admirável século XXI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Democracia com aspas

por Pedro Correia, em 16.12.08

No Cinco Dias, um dos blogues mais empolgados pela crise na Grécia, já não se faz a coisa por menos: escreve-se democracia entre aspas, compara-se Sócrates a Bush e aponta-se o dedo à ministra da Educação como eventual detonador de "respostas à grega" - isto é, um bando de energúmenos a partir tudo quanto encontram à frente contra o salário que é baixo e o consumismo que é alto, o que não faz qualquer sentido mas é quanto basta para suscitar o entusiasmo da extrema-esquerda cá do burgo. Repare-se no que escreve o Carlos Vidal, reincidente neste seu asco ao sistema democrático: "Em Portugal, o “bushismo” acéfalo ainda é válido, infelizmente: Sócrates, como Bush, é popular e pode ganhar duas vezes - como Bush, exactamento do mesmo modo! É a democracia que decide, como se diz? Será? Poderá o socratismo quedar-se impune? Não haverá antes um rastilho que despolete uma crise, não à grega mas à portuguesa (cada caso, digamos, é um caso)? Poderá ser a política educativa e a sua chefia esse rastilho? Não acho improvável. E julgo que a “democracia” não me impede de dizer estas coisas: uma ministra à grega pode pedir respostas à grega."

Se o Carlos Vidal andasse mesmo preocupado com o sofrimento e o desespero alheios, olhava para um pouco mais longe do que a Grécia. Para o Zimbábue, por exemplo, onde já mil pessoas morreram de cólera por não terem sequer acesso a água potável, enquanto o ditador Mugabe procura negar o que a Organização Mundial de Saúde confirma. Em Harare haveria bons motivos para os jovens em fúria partirem montras. O problema é não haver lá montras para partir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Reichstag pode sempre voltar a arder

por Pedro Correia, em 13.12.08

A extrema-esquerda extra-parlamentar não desiste de derrubar na rua o Governo grego, sufragado nas urnas. Ainda para mais com o cínico pretexto de vingar a trágica morte de um adolescente morto por um polícia, o que não justifica um só dos múltiplos actos de vandalismo já cometidos em Atenas e que ameaçam, por mero efeito de contágio, incendiar outras capitais europeias. Como já aqui referi, é totalmente inaceitável que a rua se substitua ao voto: os extremistas não podem contar, em circunstância alguma, com o apoio de quem acredita nas virtualidades do sistema democrático. Os que encolheram desplicentemente os ombros quando viram o Reichstag a arder em 27 de Fevereiro de 1933 foram tão culpados pelo crime de lesa-democracia como os que lhe lançaram fogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Inaceitável

por Pedro Correia, em 11.12.08

, como cá, a intenção é a mesma: derrubar pela pressão da rua governantes sufragados nas urnas. A diferença é que lá são os alunos a fazer isso, partindo tudo quanto encontram pela frente, e aqui são os sindicatos dos professores a declarar guerra ao Governo, como se estivessem dispostos a assaltar o Palácio de Inverno. É preciso dizer sem sombra de ambiguidade: tudo isto é inaceitável. Tantos as pilhagens da racaille em fúria como a linguagem bélica das "vanguardas" sindicais, ao melhor estilo leninista. Em democracia, os governos derrubam-se pelo voto - não se derrubam pelas acções de "massas", por mais que consigam encher as avenidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Agora que Agosto chega ao fim...

por Pedro Correia, em 31.08.08

... É tempo de lembrarmos as advertências meteorológicas que foram sendo espalhadas no início de Junho, dando origem a notícias alarmistas, sobretudo nas televisões. Dizia-se que o Verão de 2008 podia ser o mais quente de sempre. Aqui e aqui, por exemplo, não faltou esse tom convicto e empolgado, com a inevitável caução "científica" que fez muitos correr às lojas para comprar aparelhos de ar condicionado enquanto vários outros sofriam antes do tempo, imaginando-se já com falta de ar, à boa maneira lusa. Nós, portugueses, adoramos sofrer por antecipação.

A táctica é conhecida: espalhar o medo, semear o pânico. Com assuntos de magna importância, como a "grande vaga de crimes", as "doenças do século" ou os "acidentes em série". Se não houver motivo para pânico, as notícias "não vendem". Toca lá, portanto, a apimentar a coisa. Depois logo se vê...

E o que se viu? Apenas isto: há muito não tínhamos um Verão tão fresco como este. As inabaláveis certezas "científicas" emigraram para parte incerta. Até ao próximo rumor, que pode acontecer já em Novembro. Talvez com a "previsão" de que virá aí o Inverno mais rigoroso de que há memória.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • marta

    As propostas da Greta não são óptimas, nem péssima...

  • Anónimo

    O Síndrome, Transtorno de Asperger -reconhecido pe...

  • Carlos Gonçalves

    Foi o que pensei.Só a esquerda parece ter compreen...

  • Carlos Gonçalves

    "São as consequências normais de uma greve num set...

  • José Lopes da Silva

    Um excelente artigo, principalmente para estrutura...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D