Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O caso do beijo roubado

por João Távora, em 24.08.23

Rubiales.jpg

Confesso, aqui para nós que ninguém nos ouve, que gosto da expressão “roubar um beijo”, e julgo que já o tenha feito noutra vida, numa discoteca ou festa de garagem. Se em tempos tal poderia ser visto como um pecado (em minha casa as festas de adolescente eram às claras), hoje roubar um beijo pode tornar-se ilegal; ou pior que isso, estourar com uma carreira profissional ou política. Soube há pouco que a jogadora espanhola Jenni Hermoso, campeã mundial de futebol feminino, recorreu ao seu sindicato para reclamar a cabeça do presidente da Federação Luís Rubiales, por causa do beijo na boca que lhe foi roubado nos eufóricos festejos do título. Pelo que me foi dito este era um dos assuntos mais debatidos nas redes sociais até à queda do avião de Prigozhin ontem na Rússia, e por isso o trago aqui, se é que ainda chego a tempo.

Descontando o facto de estarmos em Agosto, quando o sol bate forte nas cabeças dos veraneantes desocupados, garantem-me que o assunto é sério, que o caso é uma lição pública na luta pela igualdade e contra os abusos do patriarcado opressor. De facto, Rubiales exagerou na expressão do seu entusiasmo pela vitória das espanholas no Campeonato do Mundo, uma modalidade recente com dificuldade em afirmar-se comparativamente à sua correspondente masculina. Pelas imagens até parece que o presidente Rubiales roubou aquele beijo “sem querer”. No mundo civilizado em que cresci, um rapaz roubar um beijo a uma miúda “sem querer” seria motivo para um mui clássico estalo – ou bem que queria ou não queria. Imaginem que tinha sido a selecção portuguesa a ganhar e que no fim da épica vitória era o efusivo Marcelo a distribuir as medalhas no calor dos festejos... De qualquer maneira não se perdeu tudo: foi por causa deste escândalo que eu soube que a Espanha havia ganho o torneio à selecção inglesa, que por alguma estranha maldição nunca mais ganhou nenhum troféu desde que eliminou os portugueses, naquela malfadada meia-final de 1966.

Soube no outro dia que as amigas da minha filha, a acabar o curso de direito, muito cientes das disputas igualitárias em voga, são adeptas da proibição legal de determinados sketches humorísticos. Admitindo que há anedotas e piadas de muito mau gosto e crueldade, jamais me passaria pela cabeça a sua proibição. Admitindo a dificuldade de classificar os limites duma expressão sentimental dum homem para com uma mulher, entre o admissível e abuso, custa-me aceitar o policiamento das relações entre mulheres e homens adultos. E o julgamento na praça pública de um acto inadvertido por uma claque de moralistas ávidos de bodes expiatórios para o seu revolucionário consolo igualitário. Também por isso não me admiro que o clássico “Fat Bottomed Girls”, dos Queen, tenha sido removido duma nova versão do álbum “Greatest Hits” para miúdos. Cuidado com aquilo que desejam, ou isto ainda se torna mais puritano que uma sacristia no século XIX. Ou, por outras palavras, temo que as velhas tentações tirânicas nos estejam a entrar em casa por baixo da porta.

 

PS: Veja aqui o vídeo das explicações de do presidente da Federação Luís Rubiales onde garante que o beijo terá sido consentido 

Coisas tontas que dão pano para mangas

por João Távora, em 24.08.22

Ainda a propósito dos preparos da D. Georginapor estes dias, cai o Carmo e a Trindade porque Ronaldo quer ir viver para a Quinta da Marinha com a D. Dolores, a mulher e toda a ruidosa trupe, numa casa ostensiva que por lá está a constituir arrogantemente, paredes meias com o Club House dos Oitavos, a desinquietar a boa ordem das boas gentes deste condomínio de Cascais que não se conformam com a afronta. Consta que Ronaldo pondera a insolência de comprar o Club House, mas eu se fosse a ele pensava instalar-se noutras paragens: a riqueza por assim dizer pornográfica conquistada por si aos pontapés na bola não cabe na nossa mediocridade herdada.

Aos mais sensíveis convém lembrar que já nos anos 20 constituiu algum escândalo nas boas famílias de Cascais a chegada de Mary Cohen E. Santo à selecta Parada, "demasiado espalhafatosa e arrogante", ao que consta.

Georgina.jpg

No outro dia vim aqui defender a honra de Sanna Marin, a laica e incauta primeira-ministra da Finlândia apanhada num vídeo indiscreto e condenada na "praça pública" por dançar desavergonhadamente numa festa qualquer. Desta vez é a fotografia de Georgina, a modelo e mulher de Cristiano Ronaldo, a rezar na basílica em Fátima, ao que consta acompanhada por seguranças e uma equipa de reportagem,  que está a chocar os fariseus e as alcoviteiras que pululam nas redes sociais - o Facebook não censura a imbecilidade.
 
Mesmo reconhecendo que Fátima é toda uma história de exibição de fé popular, que quanto a mim por vezes roça o paganismo, não deixa de ser um lugar de igreja, de acolhimento, a quem procura e reconhece pertença a Cristo e sua Mãe. Pelas amostras recolhidas, o puritanismo não é um exclusivo dos anticlericais, é também comum entre os mais devotos cristãos. Pela minha parte estou convencido que o caminho proposto por Jesus é de civilização social e libertação pessoal. Ou seja, como cristão prefiro mil vezes que as personalidades públicas frequentem o santuário do que o evitem. E depois, só Deus sabe verdadeiramente as razões profundas da mulher ali estar.

Querem mesmo participar no apedrejamento?

Metafísicas

por João Távora, em 01.08.16

O velho padre da aldeia já andava intrigado com o afluxo de forasteiros que ultimamente rondavam o átrio da sua Igreja com o telemóvel em riste como se de um radar se tratasse. Já ouvira falar daquele "jogo" tão em voga, mas foi quando os irrequietos escuteiros lhe explicaram que não só o edifício estava rodeado por alguns "Pokémons raros" como na torre sineira que se erguia da residência paroquial estava localizada uma "PokéStop" que quase perdia a sua proverbial e evangélica paciência.


Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Elvimonte

    (continuação)prntscr.com/12dlhbr – anomalia de tem...

  • Elvimonte

    (continuação)Se depois do referido ainda há quem p...

  • Elvimonte

    "Nos últimos anos foi crescendo a percepção da nec...

  • IMPRONUNCIÁVEL

    Os EUA, China, Índia, Rússia, e os outros grandes ...

  • Anónimo

    Puro masoquismo prestar atenção ao esgoto televisi...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2022
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2021
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2020
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2019
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2018
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2017
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2016
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2015
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2014
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2013
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2012
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2011
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2010
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2009
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2008
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2007
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2006
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D