Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma medalhita já "cá" mora!

por João Távora, em 08.08.12

 

Em directo para a RTP 2 (por estes dias um dos mais vistos da TV nacional), Emanuel Silva desvendou a fórmula para conquista da medalha em K2 1000: "ter os pés bem assentes na terra e ir para água dar o máximo"! Sobre o assunto Fernando Pimenta destacou a imprtância do jogo de equipa: "estamos no mesmo barco!". 

 

Imagem daqui.

Medalhas

por João Távora, em 06.08.12

 

Nem a fraude de quarenta anos de determinismo socialista justifica a rabugice generalizada por causa das medalhas falhadas por uns quantos mais ou menos abnegados atletas nas Olimpíadas de Londres. Acontece que não depende disso nem a glória da Pátria nem a saída da crise – coisa que, desculpem-me o incómodo, é mesmo coisa séria. Eu sei que as pessoas nesta época estival têm alguma tendência para a frivolidade e facilmente caem na armadilha de projectar as suas frustrações num triplo salto falhado, num tiro ao lado ou corrida perdida por atletas anónimos a quem nunca ninguém, nem os jornais desportivos, prestou a mínima atenção.
Eu sei que o Estado há quarenta anos vem investindo avultados milhões de euros com auspiciosas infra-estruturas desportivas, dignas de filmes americanos ou da velha propaganda dos países da cortina de ferro: como cogumelos despontaram nas cidades, vilas e aldeias ginásios, pistas, piscinas, campos de futebol, de basquete, de Beisebol (é verdade – é em Abrantes!) de voleibol ou polivalentes, com a vã promessa de gloriosos amanhãs que tardam cantar. Mas acontece que assim como o betão não substitui a vontade, inspiração e crer dum povo, também não resolve a espinhosa contrariedade das probabilidades estatísticas. De resto os mais atormentados com o fenómeno bem podem consolar-se com o facto de até à data a Áustria, ditosa pátria da música, não ter obtido nenhuma medalha; e os suíços que produzem cronómetros como ninguém, apenas ontem terem alcançado a primeira.

Uma excepção chamada Vanessa

por Pedro Correia, em 19.08.08

Vanessa Fernandes, com a medalha de prata conquistada no triatlo, resgatou o péssimo comportamento da representação olímpica portuguesa em Pequim - onde houve uma menina que confessou não estar vocacionada para aquele género de competições, um menino contrariado por competir de manhã, hora a que lhe apetece mais estar "na caminha", um cavaleiro que desistiu por uma égua ter ficado "histérica" e até um ciclista que regressou a Portugal antes de competir por descobrir que os ares de Pequim não lhe faziam bem à asma.

Toda esta gente recebe há anos subsídios de alta competição (pagos pelo erário público), não faltando também quem tenha assinado excelentes contratos publicitários. Na hora da verdade, quase todos se portaram mal - o que valeu até críticas bem justificadas da própria Vanessa Fernandes e um reparo - que só pecou por tardio - do presidente do Comité Olímpico Português. Na linha do que o Francisco e eu próprio escrevemos aqui e aqui, o que na altura pareceu ter incomodado alguns dos nossos leitores.

Parabéns à Vanessa. Uma vénia ao Francis Obikwelu, a quem o Daniel Oliveira dirigiu estas palavras, muito acertadas. Quanto aos outros, é bom que pensem duas vezes antes de embarcarem para novas olimpíadas - incluindo os dirigentes das respectivas federações, vários dos quais se limitaram a fazer turismo em Pequim.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D