Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O supremo interesse da criança

por Corta-fitas, em 27.08.19

celia-ortega-497023-unsplash.jpg

Há coisas que é de toda a conveniência, e mais encantador, que sejam mistas, ou seja, abertas a homens e mulheres. Por exemplo, os restaurantes, os coros, a patinagem artística e, sobremodo obrigatoriamente, a família. Há coisas que não convém que sejam mistas. Por exemplo, as equipas de futebol, as prisões, as consultas de urologia ou ginecologia. Também os urinóis.

As ideologias (aqueles pensamentos imperialistas que detestam a realidade e a violam) preferem os argumentos aos factos. As ideologias redobram os seus esforços contra a realidade inventando uma linguagem que violenta a razão. Para a gente da ideologia a liberdade, em abstrato, será sempre mais importante do que as pessoas livres, em concreto.

A ideologia detesta que existam homens e mulheres. Dai decretar que cada um pode ser o que quiser. Querem proteger minorias muito militantes, contra maiorias muito passivas - pessoas comuns parecem aceitar “tudo” desde que isso não signifique pagar mais dinheiro ao Estado…

Convém acrescentar, que a lei é muitas vezes o método mais fácil para exercer a tirania.
Foi, e é, com a lei nas mãos que todas as policias politicas perseguiram os que desobedeciam ao Estado…

De igual modo, será bom ter em atenção que uma criança só ensinada na escola pública é uma criança mal-educada! Pior, tenderá mesmo a ser uma criança traumatizada: com medo crescente de não ser igual à ideologia dominante.

Um desejo: que bom, seria se os mais pequenitos fossem ajudados a crescer, de preferência por gente que não fosse mais pequenina ainda do que eles.
Antes demais no que diz respeito ao bom senso!

Padre Pedro Quintela
Fonte: Folha Paroquial (Monte da Caparica) | 25-8-2019

A agenda LGBT

por João Távora, em 27.08.19

22574822_770x433_acf_cropped.jpg

O governo francês anunciou ontem um projecto de lei sobre bioética onde se propõe que filhos de casais de lésbicas constem com “mãe e mãe” no registo de nascimento, a ser discutido no parlamento já em Setembro.
Pensar que não há muitos anos, tendo em vista o superior interesse da criança foi considerado um avanço civilizacional a obrigatoriedade da identificação do pai de qualquer filho "natural"... Mas irónico mesmo é constatar que a mesma malta que verbera contra as tradições católicas esteja agora plenamente convencida de que um indivíduo pode ser filho de dois pais ou filho de duas mães, a ponto de exigir que isso fique legislado...

Tags:


Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • lucklucky

    Com o jornalismo que existe no ocidente é inevitáv...

  • lucklucky

    Break even é zona depressão.

  • Anonimo

    Não dá para sair com break even?

  • Anonimo

    Esquerda e direita. Os extremos woke. Os que dizem...

  • Anonimo

    Ou se calhar era uma questão de tecnologia. Não de...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D

    subscrever feeds