Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Social democracia á Portuguesa: um horror

por Jose Miguel Roque Martins, em 01.11.21

Como referi no meu Post de ontem, acredito que a social democracia , à Portuguesa, será o melhor que poderemos aspirar em Portugal nas próximas décadas. Convém lembrar, que mesmo muito  melhor do que a esquerda radical, a social democracia à Portuguesa, continua a ser uma opção verdadeiramente muito má.  

A social democracia à Portuguesa, não abraça o liberalismo económico, como acontece, por exemplo, na Escandinávia. Por isso, nunca teremos a criação de riqueza que nos poderia proporcionar um bom nível de vida. Os ecos revolucionários de há 50 anos, ainda se fazem ouvir alto e bom som em Portugal. As palavras de ordem revolucionarias do passado, ainda estabelecem doutrina. Apenas as referencias á social democracia Escandinava ( agora inconveniente), deixaram de se fazer. 

A social democracia, em Portugal, será sempre excessivamente centrada no Estado. Na sua dimensão de provedor, enquanto Pai, na sua missão de se substituir aos cidadãos nas escolhas que fazem. Não advoga um estado social, em que apoia, com rendimento, os menos favorecidos. Escolhe por eles o que devem consumir, como se comportar-se e quando. Por isso temos os subsídios em espécie, as alterações de preços relativos, a imposição permanente de regras e comportamentos. Baralha-se o sistema de informação ( os preços)  que permite racionalidade, substituído pela mais alta capacidade, ao jeito soviético, dos iluminados.  Diminui o bem estar proporcionado pela ajuda que o Estado dá, menoriza-se o cidadão e retiram-se-lhe liberdades, minudências!  É uma social democracia particularmente condicionada ao cumprimento das regras impostas pelas maiorias. Ajudar, sim,  mas só se for para o que a maioria acha  adequado. Ou para satisfazer as convicções pessoais do certo, de quem manda. Todas as sociais democracias são um pouco assim. À portuguesa, é totalmente assim. O respeito pela liberdade individual, pelos direitos e garantias de cada ser humano, são apenas palavras sem substância. A liberdade que resta, é fazer o pouco que ainda não houve o tempo ou o engenho de limitar.

Mas não se ficam por aqui, os vícios particulares da nossa social democracia. Em nenhuma sociedade desenvolvida, conseguimos ver tanta ineficiência na entrega do serviço publico como em Portugal. A confusão entre bem publico e a prestação do serviço publico pelo Estado confundem-se. O que tem consequências conhecidas, mas que são mais uma vez ignoradas. O importante não é prestar cuidados de saúde ou de educação, ou outros. O que conta é que esses serviços sejam prestados por serviços públicos, por funcionários públicos e por gestores públicos, nomeados por confiança política. O resultado é conhecido. Maiores custos, pior serviço. Nem a escolha, pelos funcionários públicos, através da ADSE, um privilegio só seu, em que se libertam do SNS, é entendido como um alerta, como gatilho de reflexão à bondade do sistema vigente. Não me admiro que seja inventada outra sigla, para os funcionários públicos poderem contar, no futuro, com serviços de ensino 100% privados. O descaramento não parece ter limites.

A social democracia á Portuguesa, é uma caricatura tão escabrosa da verdadeira, que até a Sra. Catarina Martins se diz, tavez com alguma razão, social democrata. 

É por tudo isto que, se o melhor a que podemos aspirar é a social democracia à Portuguesa, estamos condenados à mediocridade. É por isso que sou liberal. Sem esperança num Portugal liberal nas próximas décadas,  mas com esperança que algumas sementes possam germinar no nosso parque infantil de pobreza, ineficiência, menorização do cidadão e falta de liberdade.

PS: Dito isto, apesar de ser mesmo um liberal, ficava muito satisfeito se a social democracia, em Portugal, não fosse á Portuguesa. Na impossibilidade de ter o liberalismo social que advogo, ficaria muito contente em viver numa social democracia verdadeira, que é um sistema, embora não ideal, muito decente. 

 

 

 


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Paulo a 01.11.2021 às 11:26

Penso exactamente o mesmo!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.11.2021 às 11:52

Liberalismo!!!??? Quando o Brasil está praticamente dominado pelos Edires Macedos.... Quando Bruxelas é praticamente Islâmica demográficamente... O liberalismo europeu defende o dinheiro de Meca e persegue o dinheiro dos chineses e russo.. A direita em Portugal deve proteger a civilização católica em Portugal dos ventos islâmicos que vem de Bruxelas e dos ventos Edires Macedos que vem do Brasil ( os marxistas no Brasil apoiaram e financiar am os Edires Macedos no Brasil para combater a civilização católica). Liberalismo hoje é entregar a economia a nações estrangeiras... Meca defende o liberalismo na Europa
Sem imagem de perfil

De balio a 01.11.2021 às 14:23


as alterações de preços relativos


O exemplo mais acabado disto é o gasóleo ser vinte cêntimos por litro mais barato que a gasolina. À saída da refinaria o gasóleo tem o mesmo preço (ou às vezes é um pouco mais caro) que a gasolina, mas na bomba é muito mais barato. Os consumidores (e os fabricantes de automóveis) são todos orientados para os carros a gasóleo.


Infelizmente, quando falo disto nenhum liberal me quer acompanhar...

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anonimo

    Parece que muita gente esqueceu o Limiano. Isso si...

  • anónimo

    Votar em partidos ou em candidatos faria alguma di...

  • Carlos Sousa

    Realmente deve ser frustrante a coligação dos perd...

  • Hugo

    Na mouche. Um abraço.

  • zé onofre

    Boa tarde, sr. aleitãoNão costumo confundir alhos ...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D