Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Salvar a Pátria

por João Távora, em 24.02.21

pedro-passos-coelho.jpg

O retorno à ribalta política de Pedro Passos Coelho como salvador da pátria é um assunto recorrente no debate à direita que reflecte bem a profunda crise que atravessa, com clara dificuldade de renovar-se com novos protagonistas, mas principalmente de assumir bandeiras que entusiasmem um eleitorado tendencialmente resignado – e assustado. Esse sebastianismo também espelha uma falta de autoridade e reconhecimento público das elites políticas envelhecidas que há décadas circulam desgastadas pelos corredores do poder e seus vasos comunicantes: há muito que o serviço público vem deixando de atrair os melhores, seja pela fraca remuneração duma carreira política, mas principalmente por causa do desprestigio em que esses cargos decaíram. Evidentemente que há excepções que só confirmam a regra, e percebe-se a veneração que Passos Coelho suscita numa direita inconformada com a decadência permanente dos indicadores económicos e o desprestígio das instituições do país.

Mas o seu tempo na ribalta política passou: se Passos Coelho foi o salvador da Pátria e o sucesso no resgate do País se deveu à sua heróica resistência, por esse motivo conquistou demasiados inimigos e preconceitos, e suspeito que será sempre uma personalidade desgastada pelos anos de chumbo que lhe alienaram o centro político.
Para mais, se não queremos somar aos já muitos problemas do país um choque geracional a prazo, parece-me urgente a promoção de novos actores no espaço público partidário, urge rejuvenescer as lideranças, que tragam um discurso renovado e mais afoito para denunciar os nossos vícios velhos e inspirar alguma esperança no futuro. A tralha ferrugenta que se pavoneia em comentários nas televisões são o espelho duma decadência que urge inverter.

Também é por isso que deposito altas expectativas em Francisco Rodrigues dos Santos que gostava de ver mais vezes no espaço público, para que sem complexos se dedique a uma agenda de valores conservadores e liberais, que tanta falta fazem ao equilíbrio dum debate político que se queira estimulante. Bandeiras não hão-de faltar a uma direita rejuvenescida que conseguisse emergir do pântano moral, político e económico em que estamos todos atolados.



21 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.02.2021 às 13:15

Passos Coelho é a única pessoa consensual que pode congregar toda a Direita. Deve voltar, estamos precisados de alguém com as suas capacidades e qualidades. Mas este não é o tempo dele, por isso  espero que não regresse ainda. O seu carácter límpido não condiz com a espelunca em que tornaram o país, desde que ele se afastou.
 Que seja, portanto,  poupado a este pântano moral, político e económico em que estamos atolados, como diz.



De resto _  confesso a "maldade" _  mas acho divertido e sinto puro prazer   que seja o ACosta a ter de enfrentar esta crise.  Justiça poética ! É o Universo a retribuir o que cada um merece, na justa medida, de acordo com  a sua conduta. 
 Cá se fazem, cá se pagam.  E ainda a procissão vai no adro!!!
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 24.02.2021 às 13:45

Por causa da justiça ser poética é que o Passos se livrou da trafulhice na Tecnoforma. 
Imagem de perfil

De SAP2ii a 24.02.2021 às 13:31

Passos e Sócrates são a causa final da Dívida que o Regime Abrilista (47anos) deixa aos jovens.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.02.2021 às 14:10

Convinha que avivasse a sua memória, lendo o artigo que vai indicado. Preste atenção ao título: "2011 nunca existiu". 
 Duplamente interessante, porque tendo sido escrito em 2016, (já instaladas as políticas geringonças) , pode comparar com país actual e verificar como tudo permanece tão igual . Não fosse a indicação da data,  diria que o tempo não passou. Fica, assim, comprovada a estagnação do país.
Interessante também, porque demonstra que vivemos a crédito, atolados em dívidas que aumentam cada vez mais. Compare o passado e o presente. É um exercício interessante, acredite.


 "Frankfurt emite a moeda que permite adiar reformas e acumular dividas. De certo modo, é um regresso ao início do Euro. Políticas viradas unicamente para o presente, sem pensar no futuro, com o objectivo de preservar privilégios apenas sustentáveis com o aumento permanente da dívida." - João Marques de Almeida.



Daqui:
https://observador.pt/opiniao/2011-nunca-aconteceu/



Imagem de perfil

De SAP2ii a 24.02.2021 às 16:45

«PCP, BE, PAN, PS, PSD, CDS» são o Regime Abrilista há 47 anos. Vivem uns dos outros.
Sem imagem de perfil

De balio a 24.02.2021 às 13:53


uma agenda de valores conservadores e liberais


Umas vezes conservadores, outras vezes liberais, à la carte e conforme as conveniências.


Coerência política, nenhuma. Ou se é conservador, ou se é liberal. Aliás, o liberalismo desenvolveu-se precisamente contra o conservadorismo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2021 às 11:43

Uma coisa não exclui a outra.
"Conservadorismo" tem sido associado a estagnação, a  paralisação, a uma recusa de evolução ou avesso ao progresso. Nada mais errado.

Os conservadores são pessoas como as outras e portanto olham e seguem a direcção do movimento dos ponteiros dos seus relógios como toda a gente e não de maneira diversa. Quer isto dizer que acompanham o movimento do Mundo, a sua evolução e as suas transformações. Assimilam o tempo em que vivem e de que fazem parte. Não aceitam a "Revolução" mas sim a "Evolução". É essa a grande diferença e o significado do "conservadorismo"
Um conservador não pára no Tempo, defende a Evolução, mas encara as lições da História, para com elas evitar as experiências traumáticas de todas as Revoluções. Olham para a Ordem do Mundo e para o seu contínuo movimento imparável. Seguem a sua progressão, contínua, as suas mudanças e, por isso NÃO são avessos ao Progresso e à Transformação inevitável que implica toda a Evolução. Mas encaram-na de outra maneira:  "Substituindo e Adaptando". A transformação faz-se mas não é radical, pois conserva com "adaptações", SEM rupturas.  Elimina-se o desnecessário, mas sem deitar fora violentamente, portanto sem gestos a mais ou a menos, nem excessivos, que retiram a lucidez e trazem à tona toda a rudeza própria dos impulsos irracionais e primários. 

Nada disto implica necessariamente lentidão, mas Sabedoria, ponderação, inteligência e pragmatismo.
Li já não sei onde (e tenho pena de não me lembrar) que um conservador não deita fora o casaco que, embora usado, ainda está em bom estado e portanto pode ser aproveitado depois de reciclado e novamente usado: põe-lhe lapelas novas, visto as outras estarem fora de moda, depois se precisa de compor as mangas, põe-lhe cotoveleiras novas, uns botões novos mais modernos, substitui o forro um pouco gasto, ... e assim por diante, conforme as necessidades. No fim, um casaco usado, de fazenda de óptima qualidade, de boa confecção, seria um desperdício não o conservar. assim foi aproveitado, transformado e ficou como novo, adaptado e mais moderno moderno. Contudo, o casaco é o mesmo, com algumas "Substituições e Adaptações". Não se deitou fora o «Antigo» . É a melhor definição que encontrei para o conservadorismo.


Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2021 às 11:56


 
A Revolução, como o nome indica, com os incontornáveis radicalismos bombásticos, rebeliões e violências que lhe estão associados, preconizam a ruptura, o corte abrupto com o Tempo/Espaço anterior, ora fazendo rodar ao contrário os ponteiros do relógio, ora acelerando-os e por fim desregulando o Tempo, na ânsia de, num ápice, cilindrar tudo o que pré-existe, não deixando pedra sobre pedra, apagando, eliminando e destruindo cegamente tudo o que se interpõe no seu caminho e nos seus objectivos. 
  A irracionalidade e os exacerbamentos até ao paroxismo não estão, de certeza, no rol das Virtudes humanas e estão na base de todas as experiências traumáticas que sempre trazem as Revoluções.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.02.2021 às 08:20

A Revolução em Marcha, de Rui Ramos.

https://observador.pt/opiniao/a-revolucao-em-marcha/



"A extrema-esquerda consiste hoje numa galeria de professores universitários, comentadores de televisão, e, em Portugal, até conselheiros de Estado. Tudo muito formalmente encasacado(...)

Mas mesmo sem os grupos armados clandestinos dos anos 1970 e 1980, a extrema-esquerda não perdeu a pulsão da violência, porque não cedeu na ideia da revolução. Basta reparar em como não fala de um único “problema social” que não seja para justificar atitudes de revolta ou actos de confronto. Vimo-lo o Verão passado nos EUA, quando usou o movimento do Black Lives Matter para desencadear uma vaga de insurreições urbanas, que desaguaram numa inevitável “comuna de Paris”(...). Vemo-lo agora na Catalunha, onde a prisão de um arauto da violência serviu para mais uma campanha de desordem urbana. Pode não haver ainda “luta armada”, para grande pena de Házel, mas a extrema-esquerda não se “moderou”.  -  Rui Ramos


Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.02.2021 às 11:03

Caos  vs  Cosmos - O "Caos" é o Tempo primário, anterior ao "Cosmos", o Universo organizado.  


"Caos"  é a DESORDEM, a Disjunção = o Mundo  "disperso", fragmentado e ainda informe, por organizar.

--------  representa:
 desunião, fragmentação, desarmonia, separação, cisão, dispersão...


"Cosmos" é a ORDEM do Universo e do mundo, a Conjunção = a Beleza do Todo (conjunto).
 ---------  representa:
a União, a Totalidade do Universo coordenado, formando um conjunto organizado, disposto em ordem e harmonia, numa contínua Progressão espaço-tempo integrado no Universo, em união).


O "Cosmos"   c o r r i g e    o "Caos".
..............................................................
Revolução é---DISJUNÇÃO, cisão, ruptura, aniquilamento, movimento sincopado, disperso, sem direcção definida, caótica  =Caos=Desordem
..............................................................
Evolução é --- CONJUNÇÃO, movimento contínuo, organização do todo, a integração sem ruptura, a harmonia, a convergência   =Cosmos=Ordem
............................................................


Onde estamos e para onde vamos? Eis a questão.
cca
Sem imagem de perfil

De balio a 24.02.2021 às 13:55


Concordo com o post. Passos Coelho tem 57 anos de idade e, como tal, não pode rejuvenescer nada. Não é propriamente um velho, mas está quase na idade da reforma.
Países mais desenvolvidos que nós têm presidentes e primeiros-ministros entre os 35 e os 50 anos de idade.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.02.2021 às 15:40

Li bem? Oh! Como se celebrou o rejuvenescimento nos EUA! 
Sem imagem de perfil

De balio a 24.02.2021 às 16:36


Leu bem. É verdade que há países, como a Itália e os EUA (e, já agora, a ex-União Soviética) que têm classes políticas ainda mais velhas do que a nossa. São, em minha opinião, péssimos exemplos. Em minha opinião, os governantes não devem estar acima da idade da reforma; e, de preferência, devem ser bem mais jovens que isso.
A primeira-ministra da Finlândia tem 35 anos de idade. A da Nova Zelândia tem 40. Acho que esses são bons exemplos. Aliás, no Portugal pós-25 de Abril também era assim. Cavaco Silva subiu ao poder bem antes dos 50 anos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.02.2021 às 18:19

Convenhamos que é manifestamente exagerado considerar que estão acabadas pessoas entre os 50 e 60 anos... Quanto aos bons exemplos que mencionou são excepcionais e excepções! Tomáramos nós!
Sem imagem de perfil

De balio a 25.02.2021 às 09:50


é manifestamente exagerado considerar que estão acabadas pessoas entre os 50 e 60 anos


Nem eu considero tal coisa. Somente disse que uma pessoa de 57 anos de idade não pode rejuvenescer a política portuguesa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2021 às 19:40

Desde quando "rejuvenescer" é sinónimo de boas políticas? É  descabido, sobretudo num país envelhecido. Não percebo que vantagem traz e, sinceramente, não acho esse o melhor critério.
Bons governos distinguem-se com outras valências: só com gente capaz, os mais competentes e escolhas dos melhores entre os melhores  e com provas dadas, com conhecimento da Vida, com profissões fora da política (e que nem precise dela!) fora do carreirismo e da partidarite destes incompetentes que se rodeiam de invertebrados "yes men"  e de aparatchiks solícitos, que nos desgraçaram a nós e ao país. É disso que precisamos, que o país precisa e os portugueses merecem: de correr com estes carreiritas de pacotilha, estes oficiais do carimbo burocrático do papel na mão, sem qualquer préstimo,  e livrarmo-nos dos oportunistas famélicos que cirandam à volta, curvados à espera dos restos e das migalhas. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2021 às 20:05

"A primeira-ministra da Finlândia tem 35 anos de idade. A da Nova Zelândia tem 40." Cavaco também era novo.

Mas os seus governos têm sucesso não por causa da idade, mas pelas características pessoais excepcionais, pelas capacidades de liderança, visão, porque têm um RUMO definido para seus países,  sabem o que querem e por onde devem ir , munidos de um Plano , um  Projecto e  uma Bússola. E porque, acima de tudo, põem tudo isso em prática com toda a competência, rodeando-se dos melhores, sendo jovens ou não. 
E daqui a muitos anos conservarão este carisma e acrescentarão a experiência que não é de somenos importância no caso destes exemplos que apontou. 
Sem imagem de perfil

De João Brandão a 24.02.2021 às 20:52

O Passo Coelho de novo no PSD?
Isso parece ser um rematado disparate!
A comida requentada agrada a poucos ...


Isso parece ser mais uma boutade da luminária de Belém. 
Está a ver o PSD a ir cano abaixo por conta do desempemho daquele nado morto para a politica que é RRio e assim, depois ter atrofiado aquele partido com o empurrar para do portuense para lá, quer ver se ainda vai a tempo de apanhar alguns cacos.
De caminho talvez conseguisse acalmar o Chega, mas ...


Só se for completamente tonto é que Pc vai nessa conversa, até porque a luminária merece tanta confiança como um cesteiro ...   
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2021 às 14:55

a direita a sonhar com salvadores da pátria...
Sem imagem de perfil

De pitosga a 25.02.2021 às 15:33


O da Póvoa do... é saloio, parvo, estúpido e esquerdalho da bosta, palavra esta consagrada por um gajo do BE e do Senegal. Dado que uma desgraça nunca vem só. Mai nada.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2021 às 23:02

Precisamos, em suma, de correr com esta fancaria! Salvar a Pátria enquanto é tempo, que o abuso está a ir longe de mais. Muito além da conta.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Reescrevem-nos a História, rasuram-nos o passado,...

  • Miguel Alçada Baptista

    Obrigado pela dica. Sou covilhanense e não conheço...

  • Anónimo

    Criar um Museu temático dos Descobrimentos Portugu...

  • Anónimo

    Os afamados produtos da reputada Fábrica Renova, ...

  • Anónimo

    La Palisse , em voz baixa : "Os EUA já não existe...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D