Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"Saíram da pobreza através do Estado"

por henrique pereira dos santos, em 15.06.21

O título desta crónica é uma citação de Pacheco Pereira, retirada de um artigo no Público de 12 de Junho e sobre o qual escrevi noutro contexto em que achei que não tinha espaço para dar a atenção devida a esta frase.

Se a frase tivesse a mínima base real, a Coreia do Norte seria um país sem pobres e os Estados Unidos seriam um país de miseráveis.

Acontece que no primeiro país se patrulham as fronteiras para impedir que as pessoas de lá saiam, no segundo as fronteiras se patrulham para controlar a imensa massa dos que para lá querem ir.

Exageros meus, os países escandinavos, e a generalidade da Europa estão cheios de demonstrações de que Pacheco Pereira tem razão quando diz que é o Estado que tira as pessoas da pobreza.

Sucede que os países escandinavos são dos países economicamente mais liberais do mundo e não parece haver relação directa sólida entre a dimensão do Estado na economia e os índices de pobreza dos países (para os pobres portugueses seria óptimo que essa relação fosse linear).

Pacheco Pereira, um situacionista militante especializado na retórica inversa, engana-se redondamente na frase que dá título a esta crónica: é a economia, não o Estado, que liberta as pessoas da pobreza.

Com certeza o Estado pode ter um papel de substituição da economia nessa libertação da pobreza, em especial nas franjas da sociedade que acabam por ficar à margem do processo económico, mas só o consegue fazer quando as finanças públicas assentam em economias saudáveis e eficientes.



16 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.06.2021 às 12:43

PP lembra-me a cebola.
Debaixo de uma camada, há OUTRA CAMADA.
Debaixo da outra camada, há OUTRA CAMADA.
etc., etc.
Até chegar ao centro (o grelo) COMUNISTA.
Esta casta não fez, não faz nem fará nada de construtivo para Portugal.
E já teve mais de quatro décadas para mostrar o que vale.
Por enquanto só ... destruição. 

Comentar post


Pág. 2/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    (cont.)"havia rumores de fuzilamentos sumários; um...

  • Anónimo

    (cont.)Ainda assim, nos primeiros momentos a eufor...

  • Anónimo

    (cont.)Do lado de cá, em Portugal, sabemos como fo...

  • Miguel Neto

    Resta saber em que grau a entrada de migrantes na ...

  • lucklucky

    O pior é que o Fernando Rosa deve saber. Mas o dis...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D