Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Rampa deslizante

por henrique pereira dos santos, em 12.08.20

Filipe Froes, consultor da Direcção Geral de Saúde e coordenador do Gabinete de Crise da Ordem dos Médicos para assuntos relacionados com a covid terá dito ao Público "Apesar de os números serem favoráveis, temos de continuar a insistir na eliminação de toda a actividade viral e em ganhar as melhores condições para a retoma económica e social ... é preciso aproveitar a dinâmica positiva para erradicar a actividade do vírus".

Escrevo terá dito porque não acredito que alguém com um mínimo de conhecimento sobre o assunto diga isto.

Se dúvidas houvesse, vejamos uma notícia de hoje: "Na terça-feira, Ardern já tinha ordenado o restabelecimento do confinamento da maior cidade do país, Auckland, após o aparecimento de quatro casos do novo coronavírus ao fim de 102 dias sem registo de qualquer contágio local. Os quatro casos foram identificados na mesma casa, mas a origem é desconhecida. Auckland entra hoje no nível 3 das medidas de confinamento, o que significa que a população deverá ficar em casa e os bares e outros negócios terão de fechar portas. Os ajuntamentos estarão limitados a 10 pessoas. As escolas estarão fechadas por três dias. O resto do país entrará no nível 2 das medidas, no qual bibliotecas e espaços públicos podem manter-se abertos caso respeitem as medidas de contenção. A primeira-ministra neozelandesa admitiu a possibilidade de adiar as eleições, agendadas para 19 de setembro".

Resumindo, num país que é uma ilha no fim do mundo, em que todos os aeroportos e portos estão basicamente fechados desde Março, em que a epidemia surge no fim do Verão, portanto em condições ainda bem mais favoráveis que as do hemisfério Norte, que tem uma baixa densidade populacional, que teve uma taxa de ataque da epidemia especialmente baixa e em que foram adoptadas medidas extraordinárias, bastaram quatro casos testados positivos para voltar a fechar tudo, seguindo a lógica absurda de "erradicar a actividade do vírus", coisa que nunca foi possível sem vacinas e, mesmo com vacinas, só foi realmente reconhecida como erradicada a varíola, mais doença nenhuma.

A ideia que Filipe Froes pretende passar de que "erradicar a actividade do vírus" é bom para a actividade económica e que uma boa solução é resolver tudo o que diga respeito à epidemia antes de pensar no resto, tem o pequeno problema de não ser exactamente uma ideia, mas sim uma fraude.

E tanto é uma fraude do ponto de vista de saúde pública - erradicar a actividade de um vírus com as características deste é uma impossibilidade - como é uma fraude do ponto de vista da actividade económica e social - a sociedade e a economia têm instrumentos para lidar com a incerteza, por exemplo, quanto à confiança das pessoas para voltarem a viajar, mas não têm instrumentos para lidar com a arbitrariedade do Estado, que abre e fecha o que entende, quando entende, da forma que entende, sem sequer explicar os critérios que estão na base das decisões.

Eu sei que a resposta normal para as minhas discordâncias é que não é possível que esteja toda a gente errada e portanto se todos os governos acabam a convergir nas mesmas medidas, é porque provavelmente há alguma racionalidade nisso.

Em primeiro lugar nem sequer é verdade que toda a gente convirja para as mesmas medidas, para o que todos os governos convergem é para a redução do seu risco político, tudo o resto é diferente de sítio para sítio ou de tempo para tempo.

Por outro lado, quando se verifica que um médico do Instituto Ricardo Jorge envolvido na produção da informação oficial sobre a epidemia, é também o presidente da associação dos médicos de saúde pública, que fala frequentemente nessa qualidade e também pertence ao gabinete de crise da Ordem dos Médicos (para além do PSD), percebe-se melhor como é fácil haver convergência de opiniões na gestão da epidemia.

Infelizmente, é uma convergência com base numa ideia cuja utilidade está por demonstrar, mas cujos efeitos económicos e sociais estão muito bem documentados e que na verdade tem vindo a afirmar-se numa rampa deslizante progressivamente mais radical quanto à necessidade de "erradicar a actividade do vírus" e mais cega quanto à necessidade de erradicar a falta de senso em todo este assunto.



7 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.08.2020 às 20:39

Henrique, continue sempre a desconstruir estes discursos lamentáveis das autoridades de saúde, oxalá a sua voz chegasse ao grande público, que tristeza.
Sem imagem de perfil

De Joao S. a 14.08.2020 às 16:27

ahahahha. A voz deste chegar ao grande publico. LOLOLOL Este guru da epidemiologia !!!!!!   Isto quer é chanfana  em todas as casas à força
Sem imagem de perfil

De voza0db a 12.08.2020 às 23:58


Calma que lá no ilhéu do hemisfério sul a culpa está a ser lançada para carne congelada importada!


VAMOS EXTERMINAR O CONSUMO DE CARNE... Agora é que o PAN vai atrofiar de vez.
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 13.08.2020 às 11:19

Eu não sou defensor das teorias da conspiração, mas...
Sendo esta paranóia a nível mundial. 
Sendo que já há uma vacina, mas que ninguém quer. 
Sendo que há alguma dificuldade em implementar o 5G.
E sendo a inteligência artificial exímia em algoritmos. 
Ao misturar tudo será que não haverá forma de controlar qualquer pessoa em qualquer parte do mundo, e em tempo real?
Eu não acredito em bruxas, mas que as há, há...
Sem imagem de perfil

De pitosga a 13.08.2020 às 21:48


1o - Perdoa o discordar. Escassos anos após o anúncio da erradicação da varíola (pela OMS) apareceram focos no sub-sahara que não foram controlados. Depois do 11 de Novembro, os EUA vacinaram toda a gente contras a varíola após as cenas do antraz. Não foram descritas complicações da vacina, quando toda a gente médica temia as encavalites e meningo-encefalites post-vacinais.



2o - Para mim, o sr Frosques é óptimo para vender pentes a calvos.


Abraço
Sem imagem de perfil

De Joao S. a 15.08.2020 às 20:23

Henrique....


Pode sff comentar sobre esse 26 mortes SEM EXEMPLO em Espanha
Antes de responder, aconselho-o a ver os grafiicos novamente


Obg
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 15.08.2020 às 21:47

Não percebi, qual é a sua questão? A média de mortes de sete dias, em Espanha, anda pelos 15.
Para chegar aos 850 do fim de Março/ princípios de Abril ainda vai ter de subir muito, de maneira que não sei o que quer que eu comente.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Albino Manuel

    Este idiota apresentou-se primeiro como ambientali...

  • Anónimo

    princípios só no começo do ano

  • Anónimo

    Parece que em Liège ouviram o nosso Henrique Perei...

  • pitosga

    João Távora,Leia isto: El Vaticano dio a Afineevsk...

  • João-Afonso Machado

    O OE é uma bela representação tragico-cómica. Vai ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D