Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Posso pedir um favor?

por henrique pereira dos santos, em 21.02.18

Se a realidade corresponder às previsões, teremos até ao próximo Domingo um episódio consistente de vento Leste.

Isto significa que teremos uns dias lindos, uma luz fantástica, bastante mais frio, maiores amplitudes térmicas e, sobretudo, baixa humidade atmosférica que, em algumas alturas do dia, irá abaixo dos 40%.

Por esta razão, e porque nos últimos tempos tal não tem sido possível já que a chuva, apesar de escassa, tem sido distribuída ao longo do tempo e nos intervalos tem havido bastante humidade (com a consequente precipitação oculta, isto é, orvalhos pela manhã e, de vez em quando, nevoeiros), a Montis está a fazer todos os esforços para, na manhã de Sexta-Feira, queimar os cerca de dez hectares que programámos queimar no Outono, sem que o tenhamos conseguido até agora.

No caso da Montis a queima é feita de acordo com todas as regras e autorizações, com técnicos qualificados, com apoio de bombeiros, com faixas de contenção do fogo perfeitamente executadas e portanto o principal problema que enfrentamos é apenas faltar um bocado de vento que permitisse uma maior intensidade de fogo em algumas circunstâncias, havendo o risco de parte do giestal não arder ou arder mal, não cumprindo integralmente os objectivos da queima.

Na generalidade do país, todos os pastores estarão a pensar o mesmo que nós: até Domingo há uma boa oportunidade para queimar em boas condições, depois começa a chover, facilitando a recuperação da vegetação e o renovo dos pastos, e sabe-se lá quando haverá nova oportunidade.

É portanto natural, normal e francamente positivo, que se comecem a ver colunas de fumo e alguns fogos mais intensos daqui até à chuva de Segunda-Feira. A esmagadora maioria destas queimadas são totalmente ilegais - o quadro legal, penso que escrito, no essencial, por Kafka, não ajuda -, algumas não serão feitas nas melhores condições e, aqui e ali, podem representar riscos que eram perfeitamente escusados e perfeitamente controláveis se o Estado se convencesse que é mais útil ter um bom apoio técnico no campo a uma grande estrutura repressiva a tentar parar o vento com uma peneira.

É também possível, aí com maiores riscos, que muita gente tente resolver nestes dias a limpeza de terrenos para se livrar de multas, e desate a queimar a trouxe-mouxe à volta de casas e aldeias.

O favor que queria pedir é muito simples: meus caros decisores públicos, comandantes de bombeiros e GNR, por favor, deixem arder o que deve arder, acompanhem o fogo para limitar e eliminar riscos, apaguem-no só quando existe alguma coisa relevante em risco, mas deixem arder o mato quando não há nada que possa ser negativamente afectado por estas queimadas, feitas nesta altura e nestas condições.

É que o que arder agora, em condições favoráveis, com baixas temperaturas e em condições de fácil controlo é combustível que é retirado aos fogos de Julho, Agosto e Setembro, é um serviço que nos é prestado, gratuitamente, pelos pastores.

E se querem gastar recursos e conversa sobre a limpeza de combustíveis à volta da casa, aproveitem para dizer às pessoas que as condições até estão boas para queimar, mas que o façam com cabeça, com quem sabe e com os olhos postos nas condições meteorológicas, em especial tenham medo de alterações de vento traiçoeiras.

Se, pelo contrário, desatarem a multar toda a gente que vai queimar por estes dias, o resultado será as pessoas optarem por queimar nas horas em que terão menos probabilidades de ser vistas e tenderão a largar o fogo e desaparecer, para não serem apanhadas, deixando o fogo sem acompanhamento, a desenvolver-se nas piores alturas.

É só este o meu pedido.

Autoria e outros dados (tags, etc)



5 comentários

Sem imagem de perfil

De José Monteiro a 21.02.2018 às 20:44

If...If..If
Se tivessemos um poder consequente, poderiamos ver nos OCS um aviso no sentido do que domina este artigo.
Informação pública numa perspectiva de conjunto: familias, empresas, agentes de seurança... If
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 22.02.2018 às 15:13

A esmagadora maioria destas queimadas são totalmente ilegais

Que eu saiba, não é nem nunca foi ilegal fazer queimadas em fevereiro. Sempre os agricultores e pastores fizeram queimadas nos meses frios. Mesmo que eventualmente seja ilegal, a lei nunca foi aplicada.

Agora, fazer queimadas em 16 de outubro de 2017, como alguns pastores fizeram, é que, além de ilegal, é criminoso.

Mesmo o pastor mais burro tinha obrigação de saber que fazer uma queimada na madrugada de um dia quentíssimo era arriscar um incêndio dantesco.

Os incêndios que devastaram a serra da Estrela, e para além dela, em 16 de outubro passado foram consabidamente causados por queimadas ateadas de madrugada por pastores.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2018 às 16:11

 lord Byron: 
This age of cant 

(«estos tiempos de hipocresía»)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.02.2018 às 10:46

Épá, que profundo...
Sem imagem de perfil

De jo a 24.02.2018 às 10:21


Se algo correr mal podemos sempre culpar o Estado por não ter forças de prevenção.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Leia-se "candente", mas pode ser também cadente!Ob...

  • João Távora

    Sábado todos os associados no respeito mútuo devem...

  • Anónimo

    Até qu'enfim que o João aborda este tema cadente! ...

  • maria

    Sugiro criar um Grupo dos Perguntadores Compulsivo...

  • Anónimo

    VIVÓ SPORTING!!


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D