Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Paradoxos

por João-Afonso Machado, em 23.06.21

O País continua vivendo entre as atoardas de Costa, o Europeu de futebol e as oscilações da covid.

Quanto ao nosso 1º, nada haverá a esperar. Nem já mesmo a bazuca financeira...

No mais, tenho algum medo o Europeu seja de mais rápido desfecho do que a covid. E se, porventura, for um Europeu de grandes alegrias e emoções, ainda venha complicar o dito imbróglio covid.

Estranhamente, nos jogos disputados há assistência e não se estabelece qualquer nexo de causalidade entre esse facto e o recrudescimento da doença. Aqui... acabamos de verificar que muitos com a primeira vacina já aplicada ainda vão contagiados parar aos hospitais. Fala-se numa hipotética 4ª vaga, no retrocesso dos desconfinamento, a indústria do turismo vive já em alarme. E a India e a sua versão covid são a mãe de todos os males.

Todos os dias aprendemos. Aprendemos, ao menos, que não conseguimos aprender.



17 comentários

Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 23.06.2021 às 13:06

Então, mas se os casos estão a aumentar por culpa dos que já estão vacinados, porque é que continuam com esta chantagem moral estúpida de criticar o comportamento das pessoas?
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 23.06.2021 às 13:38

Eu não disse que os casos estao a aumentar por causa dos já vacinados.
Disse foi que há já vacinados que, afinal, ainda apanham a doença. Ou seja, pus em causa a sua infalibilidade.


Do meu ponto de vista, consegue-se fazer a gestão da pandemia com alguns cuidados como, por exemplo, evitar os grande aglomerados de pessoas. Se entre um ajuntamento de 1000 cidadãos, houver um infectado, a possibilidade e o grau de propagação são enormes.


E que assim deve ser demonstra-o ainda hoje creio estarem presentes em Budapeste, no estádio, muitos milhares de portugueses. A coisa levada com disciplina vai lá.
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 23.06.2021 às 14:15

Se um terço dos internados corresponde a pessoas já vacinadas é de supor que o número de infectados deva acompanhar essa proporção. Porquê então continuarem a acusar as pessoas de comportamento desviante?
Porque não param um pouco, e analisam com seriedade e sem fundamentalismos?
Se as coisas correm bem, o mérito é do governo, se as coisas correm mal a culpa é das pessoas.
Sem imagem de perfil

De balio a 23.06.2021 às 14:15


consegue-se fazer a gestão da pandemia com alguns cuidados como, por exemplo, evitar os grande aglomerados de pessoas


Certo. Concordo.


Grandes aglomerados de pessoas, só se forem ao ar livre. Como por exemplo num estádio de futebol.


Algumas experiências indicam claramente que o vírus se transmite em boa parte por aerossóis. Espaços mal arejados são por isso especialmente perigosos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.06.2021 às 00:22

"32. The resurgence in both hospitalisations and deaths is dominated by those that have received two doses of the vaccine, comprising around 60% and 70% of the wave respectively. This can be attributed to the high levels of uptake in the most at-risk age groups, such that immunisation failures account for more serious illness than unvaccinated individuals. This is discussed further in paragraphs 55 and 56."
(https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/975909/S1182_SPI-M-O_Summary_of_modelling_of_easing_roadmap_step_2_restrictions.pdf )


Sem imagem de perfil

De Elvimonte a 24.06.2021 às 00:25

Ver também:
"SARS-CoV-2 Spike Protein Elicits Cell Signaling in Human Host Cells: Implications for Possible Consequences of COVID-19 Vaccines"
( https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7827936/ )

"SARS-CoV-2 Spike Protein Impairs Endothelial Function via Downregulation of ACE 2"
( https://www.ahajournals.org/doi/10.1161/CIRCRESAHA.121.318902 )

"The BNT162b2 mRNA vaccine against SARS-CoV-2 reprograms both adaptive and innate immune responses"
( https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2021.05.03.21256520v1 )

Relório Confidencial da Pfizer obtido do Governo Japonês
( https://www.docdroid.net/xq0Z8B0/pfizer-report-japanese-government-pdf#page=17 ) 

http://prntscr.com/167ea10 - efeitos adversos, dados extraídos da EudraVigilance


Sem imagem de perfil

De Poizé... a 24.06.2021 às 15:04

Estudos e informação, está muito certo.


Mas as pessoas não querem cá informação, querem espectáculo, querem medo, querem regras e normas. Querem que as entretenham e que lhes digam como hão de se entreter...
Sem imagem de perfil

De balio a 23.06.2021 às 14:12


muitos com a primeira vacina já aplicada ainda vão contagiados parar aos hospitais


(1) Uma pessoa vacinada pode contrair e, até, propagar o vírus. O que muito dificilmente pode é contrair doença covid-19 em forma grave. Os testes às vacinas apenas asseguram que a vacina é eficaz contra a doença; não asseguram que a vacina impeça a pessoa de contrair ou de propagar o vírus.


(2) Vão parar aos hospitais, mas com quê? Com doença covid-19 ou com outra coisa qualquer? As autoridades não no-lo dizem. Alguns daqueles que estão nos hospitais e são portadores do vírus não têm doença covid-19: estão no hospital por outro motivo qualquer.
Sem imagem de perfil

De Elvimonte a 24.06.2021 às 19:51

"32. The resurgence in both hospitalisations and deaths is dominated by those that have received two doses of the vaccine, comprising around 60% and 70% of the wave respectively. This can be attributed to the high levels of uptake in the most at-risk age groups, such that immunisation failures account for more serious illness than unvaccinated individuals. This is discussed further in paragraphs 55 and 56."
(https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/975909/S1182_SPI-M-O_Summary_of_modelling_of_easing_roadmap_step_2_restrictions.pdf )


Sem imagem de perfil

De Elvimonte a 24.06.2021 às 23:19

Não sei o que se terá passado, mas o link actual para o documento que cito é este:


https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/975909/S1182_SPI-M-O_Summary_of_modelling_of_easing_roadmap_step_2_restrictions.pdf 
Imagem de perfil

De cheia a 23.06.2021 às 14:30

"Todos os dias aprendemos. Aprendemos, ao menos, que não conseguimos aprender."

Infelizmente, poucos sabem pouco desta pandemia, não temos motivos para festas nem euforias.
Feliz dia, amigo!
Um abraço 
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 23.06.2021 às 14:48

Obrigado.
Um abraço caro Amigo.
Sem imagem de perfil

De pitosga a 23.06.2021 às 14:45


João-Afonso Machado,
Tudo isto é uma enorme mentira política. No Ocidente. O teste da PCR é ignóbil dado não servir para diagnosticar nenhuma doença infeciosa. Sabe-se há anos e foi dito pelo prémio Nobel que inventou a análise por PCR e pelo fabricantes dos kits para a covid. Toda a casuística da 'peste' é baseada num teste falso. No Ocidente, os politiqueiros aproveitaram-se de uma falsidade para criar um novo tipo de ditadura. Uma gaita.
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 23.06.2021 às 15:57

É muita informação a correr de um lado para o outro e a esbarrar contra si mesma. 

Até a ministra Temido admite isso.
Sei que, andando sempre arredio, estes meses, estive fora e dentro de Portugal, fui aos Açores... enfim, por tudo onde não fosse prá multidão. E cá estou...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.06.2021 às 14:43

Concordo.

É muita informação 'contraditória'.

E é verdade, sim, que a vacina não é infalível. As notícias c/ os nºs têm estado a sair, ontem e hoje. Quanto ao football, a Dinamarca "mandou" testar todos os adeptos que estiveram na Bélgica. São critérios.

Alguma ordem há, na vacinação (não é clara, para mim, a vacinação de "todos os mais novos!" Tenho dúvidas, qdo a vacina está autorizada, mas ainda não aprovada), mas já não nos testes. Deixaram de se fazer, nunca foram, sistematicamente, em contextos prioritários.

Está confuso, isto. 

“Não há falta de verdade, nem deixa de haver”. Há falta de informação sistemática, firme e clara,...

E falta de autoridade!,de pulso firme «=» resiliente, claro, paciente até ao objectivo final e 1º, para levar isto direito até ao fim, onde for preciso; e o 1ºM já não o faz (contrariamente - outra contradição! - à(s) forma(s) ditas “ditatoriais”, ou de “pensamento único”.

Só acredito em mudanças lá para Set., Out., reinício de ano. Até lá, ainda falta passar o Verão!

Comentário longo, mas foi assim. 

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.06.2021 às 20:27

O que falta neste e em todos os blogues da nação é a explicação acerca de onde vem o dinheiro e para onde ele vai. Todas estas mentiras têm custos muito elevados para o povo.
Sem imagem de perfil

De É mesmo uma boa pergunta... a 25.06.2021 às 05:52

E a resposta a ela é engraçada, porque: o dinheiro, vai para donde já vinha!


Não é fantástico?! E super simples! Em três tempos:


1 - Cria-se dinheiro do nada, e empresta-se aos estados.


2 - Estados endividam-se e tal como entra sai, para o bolso das farmacêuticas - as "brindadas" da ocasião.


3 - Agora toca ao povo fazer dinheiro do concreto, a chamada mais-valia, para poder saldar a dívida e os juros.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    (cont.)"havia rumores de fuzilamentos sumários; um...

  • Anónimo

    (cont.)Ainda assim, nos primeiros momentos a eufor...

  • Anónimo

    (cont.)Do lado de cá, em Portugal, sabemos como fo...

  • Miguel Neto

    Resta saber em que grau a entrada de migrantes na ...

  • lucklucky

    O pior é que o Fernando Rosa deve saber. Mas o dis...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D