Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Palas nos olhos

por henrique pereira dos santos, em 26.01.22

O movimento ambientalista em Portugal (de que faço parte, não me canso de sublinhar) está capturado pelos "activistas", de maneira geral, pessoas especializadas em explicar aos outros o que devem fazer em relação a assuntos em que os activistas nunca demonstraram saber fazer melhor.

Atavés deste artigo de João Adrião, fiquei a saber que a Associação Zero tinha feito um semáforo para avaliar as componentes ambientais dos programas eleitorais dos partidos com representação parlamentar.

Em relação à Iniciativa Liberal, o resumo feito pela Zero é uma boa descrição do que é um bloqueio mental: "Boas ideias em vários pontos, mas será difícil lidar com os intangíveis do ambiente num sistema mais liberal".

Se dúvidas houvesse, há uma apreciação parcial que é de antologia: "Defende a sustentabilidade da floresta através da obtenção da rentabilidade, acabando por não deixar espaço para os fatores não quantificáveis."

Confesso que fiquei sem saber se a Zero defende que a sustentabilidade é possível sem rentabilidade, ou se entende que esquecer a rentabilidade resulta em melhores condições para criar espaço para os factores não quantificáveis, num país em que o abandono rural é unanimente considerado o principal problema de gestão das áreas menos produtivas do país.

A ideia da Zero é boa, é útil que as associações ambientalistas escrutinem os programas ambientais dos partidos, mas é uma pena estragar boas ideias com más execuções como  considerar que lidar com "os intangíveis do ambiente" é mais difícil em sistemas mais liberais.

Estão a falar das políticas ambientais dos países nórdicos, dos países mais liberais do mundo, por exemplo? Estão a sugerir que o sistema de parques nacionais americanos é pior que o sistema de parques de Cuba, Coreia do Norte ou China? Estão a negar que o aclamado sistema de áreas protegidas da Costa Rica funciona bem, entre outras razões, por ser um enorme activo económico do país, gerido como tal?

A diferença de opiniões é uma coisa intrinsecamente boa, mas convém é não esquecer que existe uma realidade, que essa realidade é feita também de factos, e que ter opiniões sem atender aos factos não é muito útil.



4 comentários

Sem imagem de perfil

De Cac a 26.01.2022 às 17:45

O problema é que estes ambientalistas e "activistas" não passam de gente que põe à frente do ambientalismo a ideologia.
Veja-se o que se passa com a Climáximo: um grupo de idiotas úteis disfarçados de ambientalistas, todos eles ligados umbilicalmente ao BE e que, muito mais que as questões ambientais, estão apostados em impôr a destruição do capitalismo. Capitalismo onde  vivem e do qual usufruem. Sim, porque está malta é muito "revolucionária" mas não é parva.
Por eles, e à boleia da desonestidade intelectual que padecem, voltaríamos à idade média. 
Sem imagem de perfil

De Nuno a 27.01.2022 às 11:41

Os "outros" voltariam à idade média. Eles fariam parte de uma nomenclatura previligiada.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.01.2022 às 21:40

"... uma boa descrição do que é um bloqueio mental".

Adorei! Por cá é mato. 


Opinam que se fartam. Mas nem sempre acertam e bloqueados ficamos todos.
Sem imagem de perfil

De Carlos Guerreiro a 28.01.2022 às 08:50

A Zero é a versão climática do que é o Livre na politica, uma associação climática unipessoal (Francisco Ferreira) contrapondo o Tavares no Livre.
A Zero é o novo veículo de promoção das vaidades do Ferreira, criada quando a Quercus deixou de servir. Quando o Ferreira fala, mudo de estação, assim contribuo para diminuir a poluição sonora.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • lucklucky

    "Parece-me que a história é, por definição, o pont...

  • lucklucky

    E como digo desde há anos: Fujam de Lisboa, fujam....

  • Elvimonte

    (continuação)Smith, J.D. et al. (2016) “Effectiven...

  • Elvimonte

    (continuação)Radonovich, L.J. et al. (2019) “N95 R...

  • Elvimonte

    "Have you ever wondered who's pulling the strings?...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2007
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2006
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D