Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"Os pombos da senhora Alice"

por henrique pereira dos santos, em 19.11.20

É um livro de Ana Catarina André, para a colecção retratos da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

É mais jornalismo que literatura e vale a leitura: a velhice é tramada para muita gente, e convém ter isso presente quando se decide gastar o dinheiros dos impostos a impedir a TAP de falir, a promover o hidrogéneo em fases precoces da tecnologia, a desenhar paisagens sonhadas que se pagam a através de programas de transformação da paisagem orientados pelo Estado, etc..

Sendo as coisas o que são, gastar dinheiro num sítio é sempre tirá-lo de outro.

E financiar instituições é sempre limitar o financiamento das pessoas que usam estas instituições, levando as instituições a responder aos seus financiadores em vez de responder aos seus utilizadores potenciais e reais.



4 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.11.2020 às 10:30

na tvi 2 jornalistas super-inteligentes e conhecedores dos assuntos deram um trato esperto em rui rio
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2020 às 10:30


Recuando ao tempo antes desta crise, o governo foi eficaz a disfarçar com voz grossa as suas debilidades, a sua incompetência e as más opções que o HPS enumera. Muito sorrateiramente, lá foram sobrevivendo e gerindo de forma atamancada o país. A "boa imprensa", sempre na retaguarda, também ajudou e tratou, com vénias, dos grandes anúncios e das grandes parangonas de 1ª página e nem vale a pena referir os "comentadores" selectos(!) escolhidos a dedo.  ( Gastos, repetitivos e tão confrangedoramente puídos pelo uso. A voz vai-se-lhes sumindo um pouco agora, e empalidecem empoados nos mesmos chavões de sempre. O embaraço cresce. O desgaste é indisfarçável). 
Mas a decadência e esta indecência sempre estiveram lá, mas (quase) ninguém reparou. Bastaria algum sentido crítico para ver o desnorte da governação nas escolhas desmioladas e arriscadas que se têm feito, e consideradas  "o"  grande desígnio do país. O HPS referiu alguns. Que se investiu nas áreas primordiais que promovem o nosso desenvolvimento e o nosso bem-estar e a segurança no nosso presente e futuro? Nada. Uma vez o Sr. Arq. referiu que não se fazem investimentos a longo prazo, porque não têm resultados imediatos visíveis, não se podem pôr na montra e portanto tudo o que não faísca, não "vende".  Simultaneamente incutiram nos cidadãos exaustos noções falsas daquilo que são as verdadeiras prioridades "ponderadas" em função do Bem Comum e em prol da felicidade da população(!) Uma armadilha indecente, sabendo para quem são as vantagens e quem beneficia... Para isto houve planeamento atempado certamente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2020 às 10:30


(cont.)
Por isso falham as nações. Hoje, os sectores vitais ou essenciais estão em falência e não há respostas adequadas, sobretudo aos mais desamparados. 
Há segmentos da sociedade onde já se ouve um grande ruído insatisfação. Quando o mal-estar vai em crescendo e uma população começa a ter consciência de que andou a ser burlada (não vejo outro termo) e as suas expectativas foram defraudadas, então isto pode começar a correr mal.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.11.2020 às 16:57


"E financiar instituições ... , levando as instituições a responder aos seus financiadores em vez de responder aos seus utilizadores potenciais e reais."

Não sei bem porquê mas este conceito fez-me lembrar o finaciamento dos partidos políticos. Afinal passam a ser dependentes do Estado e consequntemente a responder ... ao Estado. Não?.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Vasco Silveira

    ..." temos 3 instituições: as forças armadas, os b...

  • Anónimo

    Pois! Isso foi notícia. Mas é claro, indignnações ...

  • Jose Miguel Roque Martins

     O problema é parecer ou  querer serem p...

  • Anónimo

    Os militares não actuam de livre vontade. Tem que ...

  • Anónimo

    Brilhante artigo. Mais um crme da responsabilidade...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D