Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O risco das boas intenções como norma

por henrique pereira dos santos, em 29.05.21

Esta história conta-se depressa.

"Não tenho maneira de saber se isto é realmente verdadeiro, se é, é gravíssimo e estre Francsico Santos Silva merecia uma carga de porrada (desculpem a linguagem e a sugestão, mas estou a tentar manter-me ao nível do texto original).
Se não é, o mesmo se aplica a quem inventou esta história, e continua a ser gravíssimo."

Este é um post que fiz no Facebook e que levou a que esteja proibido de escrever e comentar por três dias (resulta, provavelmente, da denúncia de um comentador aqui do Corta-fitas, a julgar pelo comentário ao meu post anterior em que me pergunta porque não digo nada no Facebook, já que é difícil a terceiros saber que estou bloqueado e ele sabe), a propósito desta coisa inacreditável.

190949480_4286610188072559_2802155587041864706_n.j

É para o lado que durmo melhor (eu próprio abandono o facebook de tempos a tempos) e acho que o Facebook tem todo o direito a gerir o estaminé como entender: eu só lá estou se quiser, e eles permitem que eu esteja, se quiserem.

Para o que queria chamar a atenção, a propósito de uma troca de argumentos entre numa conversa em que participei ontem, e dos argumentos a favor da liberdade de expressão de Luís Aguiar-Conraria, Carlos Guimarães Pinto, Eduardo Cintra-Torres e das cautelas em relação a essa liberdade de Joaquim Vieira e Manuel Carvalho (é extraordinário como são os senadores da imprensa a querer encontrar mecanismos para controlar a liberdade do discurso), é que o resultado concreto do policiamento do discurso tem sempre, sempre, o risco do que é evidente neste caso.

Um indivíduo concreto tem uma atitude vergonhosa: não concordando com um colega, faz queixa ao empregador do colega, usando argumentos falsos (isso é o menos, poderia ter usado argumentos verdadeiros que continuava a ser vergonhoso), pretendendo que o empregador sancione o colega pelo que disse (e ainda invoca a liberdade de expressão).

Eu comento essa atitude vergonhosa dizendo que não tenho maneira de confirmar se existe (embora todos os indícios seja no sentido de que seja verdadeira e o senhor Francisco Santos Silva tenha orgulho em ser um denunciante sem causa), mas a existir o seu autor merecia isto ou aquilo e, a não existir, quem inventou a história, merece isto e aquilo.

Qualquer criança com sete anos percebe que estou a usar uma mera figura de estilo (e não a organizar uma espera a ninguém), mas outro orgulhoso denunciante sem causa sabe que pode usar as regras de policiamento de discurso para me chatear e portanto faz uma denúncia e o Facebook toma uma decisão que na prática significa apoiar denúncias indignas como a que foi feita, sancionando quem se revolta contra esse tipo de indignidade.

O problema é a imperfeição do sistema de controlo social do Facebook?

Não, o problema é haver tanta gente, tão qualificada que não perceba que este é o resultado inevitável de qualquer sistema de policiamento do discurso que desloca da sociedade para uma entidade qualquer o poder de sancionar discursos desadequados.

Ou melhor, o problema é haver tanta gente a querer tornar este modelo num modelo normativo assente no aparelho repressivo do Estado, dando-lhe formas legais e coercivas.

E haver ainda mais gente que acha que não há grande risco nisso e que realmente há coisas que não se podem aceitar no discurso público, como a mentira, o incitamento ao ódio e todas essas boas intenções que sempre justificaram todos os sistemas de censura que existiram e existem.



13 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2021 às 11:22

Comentário apagado.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2021 às 12:02

A demagogia e as falsas promessas governamentais também as podemos denunciar? E já agora, a "propaganda" e os encómios do jornalismo eufeudado ao poder, também podemos desmascará-los como publicidade enganosa? E os "comentadores" pouco isentos que nos aparecem nas pantalhas a comentar em causa própria?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2021 às 11:26

Só há uma coisa simples a dizer: a repressão, sob que forma for _ e a censura é uma das formas _ é um atentado contra e Estado de Direito!!! 
É preciso pôr um travão nesta gente!
Perfil Facebook

De Antonio Maria Lamas a 29.05.2021 às 11:58

A lei 27/2021 já entrou em vigor, ou na verdade nem é preciso lei nenhuma para aplicar a nova censura?
E ainda pode ser pior.
O grupo Impresa está falido e emitiu dívida obrigacionista para tapar buracos.
Vamos seguir com interesse quem vai subscrever as obrigações.
A CGD? Se calhar......


Sem imagem de perfil

De Susana V a 29.05.2021 às 12:10

Não deixa de ser desconcertante um suposto antifascista denunciar um colega à respectiva entidade patronal. E é ainda mais curioso esse indivíduo não se aperceber da ironia dessa forma de agir. O mundo ao contrário.
Sem imagem de perfil

De Terry Malloy a 29.05.2021 às 13:29

Se o discurso for livre, os que têm asas voam (leia-se, melhores argumentos e inteligência superior).


Se todos nos pudermos entreter a rasteirar uns aos outros, somos todos iguais nos tropeções.


A censura 'woke' - difusa, disruptiva, universal- é igualitário-socialista no seu ADN. É a marca perfeita do zeitgeist.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2021 às 17:33

https://portadaloja.blogspot.com/2021/05/a-impresa-esta-falida-fechem-para.html



Em Roma não era hábito premiar-se traidores. Raça degenerada em que isto se tornou!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2021 às 18:33

Quem nos policia a linguagem, obviamente que dará largas aos seus instintos e à sua vocação: acabará a (querer) vigiar-nos os comportamentos, os nossos movimentos, e até a controlar o que pensamos. Como está a acontecer! Vamos consentir? Eis a questão! 
Sem imagem de perfil

De Elvimonte a 29.05.2021 às 23:44

Quão longe vão os tempos em que se escrevia:


"Discordo do que diz, mas defenderei até à morte o seu direito de o dizer."


"Se quiseres saber quem te oprime, verifica quem não podes criticar" (Voltaire), ou onde não podes exercer o teu direito de criticar - generalidade das redes sociais que, para além da reconhecida censura que praticam, vieram dar voz aos imbecis.
Sem imagem de perfil

De JBarreiro a 31.05.2021 às 14:57

Entao mas a denuncia já nao faz parte da liberdade de expressão ?
Ó Henrique... vamos lá a ser um bocadinho mais coerentes
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 31.05.2021 às 16:17

Claro que faz, e não ponho em causa a sua liberdade para ser um denunciante sem causa, não consigo é evitar este sentimento de pena por alguém que tem tanto gosto em ser tão pequenino.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 01.06.2021 às 21:51

Este deve ser daqueles para quem liberdade é isenção de critica...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.06.2021 às 11:19

O burro faz uma denúncia baseada na opinião de outros burros. 

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Tiro ao Alvo

    Por incrível que parece, o trânsito automóvel aume...

  • Anónimo

    Pagar mais é com o PS, não se metam nisso, Liberai...

  • Anónimo

    Desculpe estar a lembrar a ausência na discussão d...

  • Anónimo

    Admito estar a fazer uma enorme confusão ou a ser ...

  • Anónimo

    Ouvi há pouco na sicN pelas 20h :26m (é uma interv...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D