Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O regresso do filho

por henrique pereira dos santos, em 20.11.22

Frank Zappa tem três discos de solos de guitarra de que me lembrei ontem: Shut Up 'n Play Yer Guitar, Shut Up 'n Play Yer Guitar some more e Return of the son of Shut Up 'n Play Yer Guitar.

Lembrei-me desta sequência depois de ver as notícias de que António Costa foi ontem a vários congressos do PS (esqueçamos a provável pegada de carbono e os excessos de velocidade necessários para que esta agenda seja exequível) falar.

Uma nota prévia sobre o facto de entre hoje e ontem António Costa andar de reunião em reunião do partido, é muito conveniente para os dois: por um lado Costa mostra que ninguém o pode substituir em lado nenhum, neste momento, por outro o partido fica preparado para dizer que nem o conhece, se a coisa der para o torto, como fez com José Sócrates.

A razão pela qual me lembrei destes discos de Frank Zappa é porque têm uma tradução directa para a vida do Partido Socialista: cala-te e defende o teu partido, cala-te e defende o teu partido um bocadinho mais e o regresso do filho de cala-te e defende o teu partido.

Num contexto em que assuntos sérios afectam o governo, poder-se-ia esperar que António Costa estivesse a fazer um esforço de mobilização do partido para estar vigilante em relação a comportamentos inaceitáveis ou mesmo ilegais que a prazo possam minar o apoio ao partido.

Mas não.

Costa sabe que há um videirinho a fazer negócios duvidosos que a justiça investiga e mesmo assim chama-o para o seu lado? O problema não é a complacência para com esse comportamento, o problema é que os adversários do PS não se conformam com a maioria absoluta.

Costa reconhece que ligou a um regulador para tentar influenciar a sua actuação? O problema não é o abuso evidente dessa actuação, o problema é que os adversários do PS não se conformam com a confiança que os portugueses depositaram no PS.

Poderia continuar a descrever casos e casinhos, mas não vale a pena, para Costa nada disso tem a menor importância, o que é relevante é a cabala montada contra o PS e é isso que é preciso dizer a cada um dos militantes: não se deixem impressionar por umas ilegalidadezitas ou por manifestações de ausência de sentido de Estado ou pelo enfraquecimento das instituições, isso não interessa nada e nem vale a pena discutir essas questões, o relevante é repetir incessantemente que há uma cabala contra o PS e todas essas notícias não passam disso mesmo, de manifestações dessa cabala.

Para qualquer observador independente, é evidente que o PS é vítima de uma orquestração a que uma imprensa hostil dá guarida, orquestração essa tem origem no facto dos adversários do PS não conseguirem digerir a maioria absoluta do PS.



18 comentários

Sem imagem de perfil

De entulho a 20.11.2022 às 09:18

há 7 longos anos que o impreparado costa, e não só, se serve da republiqueta como quintal seu entregue aos bichos
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 20.11.2022 às 10:12

" ...no facto dos adversários do PS não conseguirem digerir a maioria absoluta do PS."
Ora aí está, para bom entendedor meia palavra basta.
Sem imagem de perfil

De JP a 20.11.2022 às 10:19

Caramba, até dói ver o nome do Frank Zappa escrito mal das duas vezes que o nomeia.
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 20.11.2022 às 10:34

Muito obrigado, já corrigi, eu tento ter sempre muita atenção para com pessoas especialmente sensíveis
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 14:14

Desculpe, JP, não se diz "escrito mal", diz-se "mal escrito".
Sem imagem de perfil

De JP a 20.11.2022 às 18:11

Sim, claro, toda a gente sabe que os advérbios em Português não podem vir a seguir aos verbos…
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2022 às 08:17

Claro que podem! Mas veja...
- Este projeto foi mal planeado
- Estamos mal adaptados às mudanças climáticas.
- A sala está mal arejada
- JP, a sua resposta foi mal pensada. 
(Não só seria abusar da paciência do HPS, como seria também fastidioso explicar-lhe a colocação do Advérbio de Modo "mal", porque está relacionada com o "grau" em que se encontra (no comparativo, por ex.). 
Também não desconhecerá que a posição dos Advérbios em geral  depende de outra particularidade, a saber: pode ser um  Advérbio do Verbo  e, neste caso, "descreve" a acção expressa pelo verbo (à semelhança dos Adjectivos que descrevem as qualidades dos Nomes) ou então, o Advérbio pertence à Frase e, nesse caso, modifica o sentido inteiro de toda a Frase  tendo uma posição própria dentro da frase).  
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 10:36

Já não há pachorra para tanta impunidade do socialismo. A crónica de hoje da Helena Matos vem reforçar a mesma ideia: 
"Tudo isto já vimos e tudo isto nos conduz a um problema estrutural do regime: a impunidade do PS. Nenhum outro partido protagonizou em Portugal uma tal sucessão de casos excepcionais na sua gravidade. Tenho aliás a convicção de que nenhum outro partido teria resistido. Mas o PS não só sobrevive como, passado o susto inicial, imediatamente recupera e passa ao ataque: as denúncias são rotuladas como cabalas e as vítimas transformam-se em títeres manipulados por forças obscuras – de direita, obviamente – ou por desejos mesquinhos. Os factos, esses, passam para segundo plano."
Aqui:
https://observador.pt/opiniao/precisa-se-manual-de-boas-maneiras-para-criticar-o-ps-de-forma-correcta/



Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 10:52

Há um padrão:
Foi assim em 1996, quando o dirigente socialista Rui Mateus expôs como o PS  financiou ilegalmente as campanhas presidenciais de Mário Soares  " com dinheiro proveniente de Macau e não só. O livro de Rui Mateus Contos Proibidos – Memórias de um PS desconhecido desapareceu das livrarias e nunca mais foi reeditado e o próprio Rui Mateus, logo rotulado como traidor, desapareceu".



Foi também assim quando em 2003 o então Procurador-geral da República, José Souto Moura, acusou o deputado do Partido Socialista, Paulo Pedroso, no âmbito do processo Casa Pia. De imediato o PS passou a apresentar-se como vítima de uma cabala. Os mais de 100 rapazes e raparigas que se estima terem sido vítimas de abusos passaram rapidamente para segundo plano, com os incidentes processuais a dominarem as discussões. 



Catalina Pestana,(...) nomeada provedora para recuperar a Casa Pia passou de personalidade admirada e respeitada a pouco menos que odiosa porque nunca deixou de denunciar o papel desempenhado nesses abusos ou no seu encobrimento por personalidades com poder político nomeadamente da área socialista.


E o Procurador-geral da República que chegou a ser ameaçado de demissão (por causa das declarações de uma sua assessora de imprensa!) acabou isolado e denegrido".



Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 10:59

(cont.)
"Foi assim quando em 2005 o nome de José Sócrates surge no que havia de ser o caso Freeport: era uma cabala.


Foi assim em 2007 quando se percebem os contornos rocambolescos da licenciatura de José Sócrates: foi uma urdidura.



 Foi assim em 2010 quando a Operação Face Oculta expôs um esquema de favorecimentos em concursos a troco de contrapartidas: uma aleivosia.



Foi assim em 2012 quando Sócrates aparece no meio de uma investigação a esquemas de lavagem de dinheiro, a chamada Operação Monte Branco: era uma canalhice.



Foi assim em 2014 quando a Operação Marquês revela que José Sócrates enquanto primeiro-ministro teria recebido mais de 30 milhões de euros por favorecimento: era uma conspiração.


(...) há algo que se mantém invariável: a reacção dos socialistas perante os factos que dão conta da impunidade com que o PS governa. Reagir atacando, nunca reflectir, controlar danos e agir como se nada tivesse acontecido: eis o manual de sobrevivência do PS."
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 11:05

O PS tem um controlo crescente numa sociedade em que todos são cada vez mais dependentes do Estado e em que para evitar causar agitação ... muitos optam ou são convidados a optar pelo silêncio. Por exemplo, porque vai Andy Brown sair da administração da GALP?


 Porque se calou ou mandaram calar Nuno Ribeiro da Silva? Provavelmente por ter explicado que não há forma de contornar os aumentos da energia



Porque não foi Francisco Assis apresentar o livro de Luís Rosa como estava anunciado?



E porque dizem os banqueiros que não vão lê-lo? Entre outras razões porque não existe um manual para criticar o PS de forma correcta. Logo o silêncio tornou-se dominante.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 12:00

Mas como adjectivar a fauna que votou (vota ) semelhante charlatão (charlatães ) ?...
JSP
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2022 às 15:29


" ...no facto dos adversários do PS não conseguirem digerir a maioria absoluta do PS."


Que querem? Comam caranguejos e bebam Chateau Petrus!
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 20.11.2022 às 16:17

Portugal ama o ps, e o ps ama Portugal. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2022 às 13:24

Rita amava Carlos que amava Dora que amava Pedro que amava tanto que amava a filha que amava Carlos que amava Dora que amava toda a quadrilha

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • entulho

    na minha aldeia, ex-vila acastelada da Casa do Inf...

  • Anónimo

    Se reparar, caro Sr., não divergimos assim tanto e...

  • Marques Aarão

    Por associação de ideias arrisco uma das frescas d...

  • Anónimo

    E, como disse, partem e nunca mais regressam!

  • henrique pereira dos santos

    Vê-se bem que o senhor anónimo não partilha os meu...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2007
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2006
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D