Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O problema é do que fica à porta

por henrique pereira dos santos, em 27.01.17

"A terminar, uma pergunta: “está em condições de dizer qual foi o saldo orçamental corrigido de medidas extraordinárias?”

"insistiu, duas vezes. “Responda à pergunta, por favor”."

"“Terá a resposta quando o diabo cá chegar”."

O problema não é termos um primeiro ministro que responde assim, trata assim o maior grupo parlamentar, trata assim o parlamento e, consequentemente, trata assim as pessoas que pagaram os impostos de que se fala nesta discussão.

Estão cumpridas as formalidades democráticas, está garantido respeito pela lei, o primeiro ministro é absolutamente livre de funcionar desta maneira, ninguém obriga, felizmente, os governantes a terem um mínimo de decência, só estão obrigados a cumprir a lei.

O que é grave é que a sociedade, em especial os seus mediadores mediáticos (passe o pleonasmo), ouçam isto, vejam isto e passem por isto como se fosse mero passo de dança, uma troca de galhardetes, uma bandarilhada.

O que é grave é a complacência, nossa e da imprensa (ou da imprensa e nossa) para com a opção do primeiro ministro entender que não tem de prestar contas aos seus cidadãos, através dos seus representantes no parlamento.

O primeiro ministro trata-nos a todos, e aos senhores jornalistas, como mentecaptos que se calam com piadas e nós, e os senhores jornalistas (naturalmente todas as generalizações têm de ser entendidas nas suas limitações) damos-lhe razão, não lhe perguntando em lado nenhum como é possível que não responda a uma pergunta destas, nem lhe perguntam como convive com tamanha falta de respeito pelos seus eleitores, nem escrevem editoriais a explicar por que razões é que responder assim é diminuir a qualidade do debate democrático e bloquear os mecanismos de limitação de poder característicos das democracias liberais sólidas.

É legítimo que o faça, mas é incompreensível que não se lhe faça notar qual é o verdadeiro significado de o fazer: o senhor primeiro ministro não é uma pessoa decente.

Autoria e outros dados (tags, etc)



13 comentários

Sem imagem de perfil

De Pois... pois... a 27.01.2017 às 14:06

 o senhor primeiro ministro não é uma pessoa decente.



Desculpe a pergunta.  Está a referir-se ao actual 1º ministro ou ao anterior?


É que o anterior (PPC), não é flor que se cheire. Ou é?
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 28.01.2017 às 07:20

Confesso que não percebi a relação entre o seu comentário e o post. Pode explicar melhor a sua ideia?
Sem imagem de perfil

De XisPto a 27.01.2017 às 16:40

É só mais um evento na longa narrativa de Costa sobre o a realidade das coisas. Que os políticos mentem e fazem spin é dos livros, mas Costa por vezes parece verdadeiramente tomar a descrição imaginada pela realidade, reagindo infantilmente quando apanhado a mentir, perdão, a apresentar com habilidade descrições sobre factos, números no caso. Não pode enunciar quanto é o défice sem medidas extraordinárias, informação do dominio público, porque isso destroi tudo o que verbalizou antes habilidosamente, e isso não é pouco, é o seu sucesso político. Entre outras manifestações desta sua personalidade política recordo a campanha que fez durante meses contrapondo o seu mérito de redução da dívida na CM Lisboa a Passos Coelho que aumentou a da República (omitindo o empréstimo da troika que o seu governo contratou e omitindo a receita extraordinária com os terrenos do aeroporto) até tropeçar na realidade num debate televisivo de forma confrangedora. Acho que é isso que acabará por suceder, inevitavelmente. 
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 28.01.2017 às 14:55

Tem toda a razão. O nosso primeiro é dado a esses malabarismos. Estranho é que as pessoas conhecedoras da situação, do seu Partido  e dos outros, não reajam. Assim como é estranho o silêncio da Comunicação Social, embora comecem a aparecer algumas, poucas, vozes menos alinhadas e mais esclarecidas.
Sem imagem de perfil

De XisPto a 28.01.2017 às 18:23

Não tenho partido nem nada contra os partidos, antes pelo contrátrio. Quanto à imprensa, funciona, não vivemos em ditadura. Como quase tudo neste país, vive encostada ao estado, estará sempre do lado do poder do momento, e, no fundo, nunca provocará ou impedirá a mudança de opinião política dominante, isso compete aos políticos profissionais.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 28.01.2017 às 22:06

Caro XisPto, quando escrevi “do seu Partido”, estava a pensar no “seu dele”, do nosso PM. Dizem que a nossa língua é traiçoeira, mas não foi o caso, eu é que não fui claro. As minhas desculpas.

Sem imagem de perfil

De António Maria a 27.01.2017 às 18:34

O Nuno Garoupa fez uma acusação gravíssima sobre a classe jornalística ao dizer que seria bom saber quantos deles tinham spread zero no BES e ninguém tugiu ou mugiu.
O senhor Costa e o senhor Marcelo "são deles".
O resto que se lixe.
Imagem de perfil

De jojoratazana a 28.01.2017 às 17:34

O diabo ainda não chegou.
Portanto o promotor do Demo de Massamá, só tem de esperar sentado.
E já agora o senhor também.
Sem imagem de perfil

De Fernando S a 29.01.2017 às 01:55

O "diabo" chegou logo com a "geringonça" e tem vindo a fazer das suas !....
O "diabo" está numa taxa de crescimento demasiado fraca e em taxas de juro da divida pública que mais do que duplicaram !...

 
Imagem de perfil

De jojoratazana a 01.02.2017 às 00:53

Ainda bem, mais rápido a UE tem de acordar para a realidade.
Os estudos estão feitos é só serem aplicados.
Sem imagem de perfil

De Fernando S a 01.02.2017 às 15:51

Quais "estudos" ?... Quando muito "propostas" de quem acha que cabe aos contribuintes dos paises que são melhor governados pagar ainda mais pelos erros e pelas irresponsabilidades dos paises mal governados !... 
A UE não vai "aplicar" nada disto pelo que "acordar para a realidade" é os portugueses perceberem de uma vez por todas que "a salvação" não virá do além ou do alto mas sim daqui, do nosso esforço para pôr as nossas contas em ordem e para produzirmos mais e melhor !!
E quanto mais depressa o percebermos melhor porque menos tempo será perdido, menor será o esforço e melhores serão os resultados ! 
Imagem de perfil

De jojoratazana a 02.02.2017 às 18:48

EBA propõe criação de “banco mau” europeu e Regling concorda


Sim na UE não vai fazer nada.
Sem imagem de perfil

De Fernando S a 03.02.2017 às 01:44

Não é nada que, a concretizar-se, possa resolver os nossos problemas passando a factura para os outros paises europeus !...
De resto, é uma iniciativa que diz apenas respeito ao sector bancário e deixa de fora a questão das dividas públicas.
De qualquer modo, não é nenhum "almoço gratis" !...
Suponho que, para além do titulo em letras gordas do JN, também leu o conteudo da noticia, nomeadamente :   
"[] Os bancos poderiam vender parte do seu crédito malparado a esta empresa de gestão de activos "pan-europeia". Segundo o plano apresentado, os créditos seriam avaliados de acordo com o seu "valor económico real" – em vez do valor de mercado – e a empresa (uma espécie de "banco mau") teria cerca de três anos para vender esses créditos.
(...)
[Mas] o plano da EBA não prevê a partilha de riscos bancários entre os estados da UE, já que, se os créditos não forem vendidos e for necessária uma recapitalização, a "factura" será apenas dos credores do banco e do Estado de origem da instituição em causa."
Temos mesmo de trabalhar para podermos sair da situação em que nos encontramos !
Entretanto, continuamos a perder tempo e recursos com a conversa de que não é preciso porque mais dia menos dia a Europa nos vai pagar "o almoço" !!  

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Aurélio Buarcos

    Depende do animal.O sangramento foi utilizado dura...

  • JOTAPA

    Considerando que, na altura, a corrida ao espaço e...

  • Anónimo

    Há 50 anos o homem foi à lua a actualmente a human...

  • Anónimo

    Eu comparo a ida do homem à lua com os factos rela...

  • MAR!

    há cinquenta anos eu nem sequer planeada era! ma...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D