Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O jornalismo de qualidade merece ser apoiado

por henrique pereira dos santos, em 24.06.19

Várias pessoas mandaram-me mensagens sobre uma notícia do Público, penso que de hoje (isto de andar em fusos horários diferentes baralha-me).

O lead (acho que é assim que se chama) da notícia diz ""Vários proprietários têm-se queixado de estragos feitos em pomares e terrenos por “cabras sapadoras”. O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, responsável pelo projecto-piloto, diz não ter “conhecimento de prejuízos causados”."

E o leitor, que quer apoiar o jornalismo de qualidade, pergunta-se a si próprio: e as jornalistas, o que pensam? Vários proprietários (cinco, pelas notícias) e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, dizem o que sabem sobre o assunto, e as jornalistas (Carla Nunes, que escreve, Rita Ferreira, que edita), o que viram?

É que o comentário de Luis Fontinha (por sinal a tentar contactar o Público, sem sucesso, para pedir que corrijam o que escreveram porque acha que isso o prejudica, na medida em que tem interesse directo no desenvolvimento do uso de cabras para a gestão de combustíveis) fala de outras realidades: "nao foram cabras porque elas nao existem neste local!! Nao ha la rebanho nenhum e muito menos de sapadoras do icnf, os locais chamam cabras do mato aos corços e tem tido problemas ai longo dos anos com eles, esta noticia e falsa e infundada e prejudicial as cabras sapadoras".

De facto, mal li uma das descrições, na sítio em que eram, pensei imediatamente nos veados e corços que por ali existem, mas não fui lá, não verifiquei os factos, não pedi a fontes crediveis que me sustentassem o que dizem, não foi perguntar a várias outras fontes para cruzar informações, não perguntei aos cinco proprietários de quem eram as cabras para poder falar com o dono, enfim, minudências e manias que tenho há muito tempo, de maneira que não tinha intenção de escrever nada sobre o assunto.

Eu acho que é inevitável haver conflitos entre pastorícia e agricultura, tal como é inevitável haver acidentes quando existem carros e estradas, tal como é inevitável haver erros médicos quando há médicos, de maneira que nem sei bem onde está a notícia, tal como é apresentada.

O que acho evitável é o Público apresentar uma janela a dizer-me que o jornalismo de qualidade merece ser apoiado, e depois servir-me uma notícia destas para me explicar por que razão o Público tem dificuldade em vender jornais e não merece ser apoiado, se for este o seu padrão de produção de notícias.

Autoria e outros dados (tags, etc)



8 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 24.06.2019 às 17:20

O Henrique faz exigências irracionais aos jornalistas.
Os jornalistas reportam pontos de vista. Não é função deles, em todos os casos que lhes aparecem, armarem-se em detetives, ou inspetores da Judiciária, à cata de todos os factos.
Se o Henrique quer ficar a saber a verdade, toda a verdade, e só a verdade, vá investigar, por sua conta e a suas expensas. Os jornalistas fazem-no nalguns, poucos casos, mas não têm a obrigação de o fazer.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.06.2019 às 01:55


Eu não faço exigências irracionais: se os jornais servem para o que o Luis diz, não me interessam, diz que disse não justifica o dinheiro que custam.
Em qualquer caso, não sou o único a achar que a imprensa deveria reportar factos.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 24.06.2019 às 17:24

é inevitável haver conflitos entre pastorícia e agricultura, de maneira que nem sei bem onde está a notícia, tal como é apresentada

É claro que há conflitos. A questão é se as partes envolvidas estão ou não estão a fazer os possíveis para evitar os conflitos. A notícia é que talvez não estejam.

Os rebanhos de cabras são supostos ser acompanhados por um cabreiro, que evita que elas vão para certos terrenos. Também, os agricultores com plantas jovens são supostos proteger essas plantas. De corços selvagens e de cabras domésticas.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.06.2019 às 18:49

o mal do ex-mundo rural é ter  levado um pontapé 'nas partes'
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.06.2019 às 20:11


Mas eu também vi cabras sapadoras a destruir os pomares e tudo o que aparecia à frente, mesmo florinhas…
Não me digam que não vão parar os fogos!
Sem imagem de perfil

De Nuno a 25.06.2019 às 09:34


Um dia destes enviei um mail para um jornal nacional apontando quatro erros só num pequeno parágrafo de meia dúzia de linhas. Responderam-me que a pressão de colocar notícias online nem sempre dá tempo para verificar tudo. No fundo limitaram-se a reproduzir uma notícia da LUSA que por si, já se tinha baseado num jornal local. Não refutaram nenhum dos erros que apontei.

A notícia era relativamente pertinente e visava uma instituição pública como esta visa o programa das cabras sapadoras.
Esta notícia até coloca alguém a colocar um ramo de pseudotsuga na boca de um cabrito como se eles comessem ramos de resinosas. Era preciso estarem a morrer de fome para tal, digo eu.
Perfil Facebook

De Luis Fontinha a 17.07.2019 às 13:42

Mas comem que as minhas “malditas sapadoras” tem nas podadas por baixo inclusive caruma de pinheiro verde e umas folhas de eucalipto esporadicamente 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.06.2019 às 14:53

Cabrito e cabra sapadora com fome, até cardos come...
Hoje em dia aparece de tudo !

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D