Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O "direito à indignação", um direito orweliano

por João-Afonso Machado, em 21.10.21

PONTE.jpg

Todos recordarão os últmos tempos do cavaquismo, fatalmente acossado pelo Presidente Mário Soares e pelo "direito à indignação" que criou e constitucionalmente consagrou.

Foram os tempos do famoso buzinão na Ponte sobre o Tejo, cujas portagens haviam sido aumentadas.

Não muito depois, chegaram as SCUTT's, uma das mais formidáveis mentiras da política portuguesa. E seguidamente a bancarrota socrática, de pronto transformada no pecado da austeridade, cometido por Passos Coelho. Quando o País já erguia a cabeça - a rasteira eleitoral de Costa e a sua geringonça...

O que sempre ficou - fechado à chave - foi o dito "direito à indignação", da exclusiva titularidade da Esquerda. Que o usa na perspectiva de George Orwel (in 1984) - «se toda a gente aceitasse a mentira que o partido impunha (...) então a mentira passaria à História e tornar-se-ia verdade».

Ao longo dos anos, esse o grande trunfo da Esquerda, através de uma Comunicação Social muito bem orquestrada.

Só agora, com as redes sociais e a espontaneidade que consentem, o fenómeno tem vindo a ser invertido. Mais a mais, porque o PCP e o BE têm de estar à altura do seu eleitorado da Área Metropolitana de Lisboa.

Em suma, Costa sem uma bazoca que o proteja, o País a queixar-se de mais e mais falhas e, entre estas, como já não é possível esconder, o encerramento à vista do SNS. Pelos seus criadores!

 



13 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 20:23

Não é possível enganar toda a gente o tempo todo.
Já se esperava que um dia destes as pessoas acabariam por topar o logro, o engano, tanto malabarismo e tanto truque para enganar papalvos. Finalmente caiu a ficha aos portugueses.
Como escreveu em 2016 Helena Matos sobre ACosta  "O homem da vermelhinha":
"Qual ideologia ou estratégia política. O que aqui temos, aquilo em que estamos é no jogo da vermelhinha"
 

Mas, Joao-Afonso Machado, falando de indignações, se ainda não teve ocasião, não deixe de ler o artigo de hoje de Alexandre Homem Cristo e verá como é de estarrecer. è mais "uma" para a lista das indignações. Está lá o retrato  desta palhaçada, deste «des»governo dum país sem lei nem roque. O nível de amadorismo é impressionante. A ignorância é confrangedora. Ministérios de gente preguiçosa e sem brio, "aos papéis",  perdidos, sem a mínima noção das suas funções, incapazes de realizar as tarefas mínimas com sentido de responsabilidade e um módico de competência. E quando lhes pedem contas  fogem com o rabo à seringa (passe o plebeísmo). Como dantes se dizia,  chegaram a ministros "sem saber ler nem escrever" mas com uma "ganda lata"!


https://observador.pt/opiniao/eventos-piloto-incompetencia-sem-fim/



st
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 20:32

https://observador.pt/opiniao/homem-da-vermelhinha/



O verdadeiro retrato de Costa e dos seus cúmplices de geringonça está nesta Alegoria "O homem da vermelhinha". 
Já sabemos como acabará: cobardemente em fuga 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 21:43

Claro que depois não há margem para as necessidades dos portugueses...


https://portadaloja.blogspot.com/2021/10/o-comissario-da-linha-justa-da.html
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 21:56

E o cueca azul no jogo da vermelhinha assume que papel? 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 22:50

Esse?! Depois de ter posto a toalha para o cerimonial (do "jogo" da vermelhinha), é lógico que a vai sacudir. A seguir dobra a toalha, cuidadosamente _ como compete a qualquer Mestre-sala.
E ficará bem dobrada como é seu timbre. Pode crer. Não é homem de deitar a toalha ao chão.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 22:06

Indignação?! Tenho dívidas. Talvez as pessoas despertarem, quem sabe!...
Penso que os portugueses têm estado num processo de mitridização: têm sido sujeitos a um  processo longo, demorado de toma de "veneno" a conta-gotas. Lentamente, à medida que a dose de veneno aumenta, deixa de fazer efeito, pelo hábito. E assim a sua insensibilidade diminuiu. Indiferença, diria.
É pena. 



Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2021 às 22:54

É uma tradição iniciada por Mário Soares, isso de mendigar ajudas externas quando acabam os fundos para pagar aos eleitorados de esquerda. Mais uma vez o PS, agora com regência A.Costa/Leão, e pronto, estamos cada vez mais perto de novo momento Sócrates/Teixeira dos Santos. Nada de novo.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 22.10.2021 às 07:10

"Ao longo dos anos, esse o grande trunfo da Esquerda, através de uma Comunicação Social muito bem orquestrada."



A Comunicação Social é a Esquerda. São inseparáveis. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.10.2021 às 07:55

Ao derrubarmos essa esquerda, a comunicação social, nos moldes em que está, também desaba, fica sem pé. É preciso demolir ambas, a bem de todos.
Já chega de manipulações, estamos saturados de publicidade enganosa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.10.2021 às 10:05

Sem dúvida uma curibeca inseparável. Mas cheira a fim de festa (ou de ciclo!), o desnorte é visível e andam de cabeça perdida a tentar sobreviver. 
A população também já viu que estes "três cadáveres adiados" se meteram num beco sem saída. E entendeu que o país está a precisar duma alternativa a este sarilho chamado "socialismo", para acabarem de vez com esta Farsa.


Isto é dramático para os portugueses, porque perceberam que andaram a ser  ludibriados e vivido numa Mentira que estão a pagar caro. Mentira essa, note-se,  "muito bem orquestrada" por uma CS conivente e sem escrúpulos. 


Portanto, os portugueses estão no fim do recado: com esta gente não há futuro, e já não vão na cantilena. Não há volta a dar, deixaram, simplesmente, de confiar.
Estão a passar por uma crise sem precedentes  e sabem que as respostas de que o país vai precisar já não passam por este governo, mas por outra espécie de gente, mais capaz, à altura das dificuldades e com soluções realistas, as «possíveis» (sublinhe-se isto), porque de fantasias e "milagres" socialistas já estamos fartos.



Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.10.2021 às 07:28

Perante um jornalismo-activista  de "causas" e uma comunicação social facciosa, repressiva e que aceita ser parte interessada da máquina de propaganda do poder, o que nos sobra, HOJE, onde conseguimos realmente "respirar" é nestes espaços libertadores, em cujas opiniões nos revemos, refúgio da nossa indignação. Atualmente, são os blogs de confiança como este que  prestam um autentico  serviço público, porque fazem o contraditório e repõem a verdade como ela é, muitas vezes com informações complementares que se desconheciam. Além do mais, lemos opinião individual  bem sustentada, sem peias, com sentido crítico, mas dentro dos limites da seriedade, do bom senso e do bom gosto!
Bem-haja, por lembrar essa coisa que tem andado arredada dos portugueses,  o "Direito à Indignação", de que estamos todos tão necessitados nos dias que correm. 
D. 
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 22.10.2021 às 07:34

Não ha nenhum problema com o "Direito à Indignação", 
O problema é que os jornalistas só aceitam o "Direito à Indignação" quando é a Esquerda.
Foi elucidativo os jornalistas a escreverem "negacionistas" e a colocarem em cachas que os "negacionistas" proferiram injurias. 
Se acreditarmos nos jornalistas foi a primeira vez que se injuriou numa manifestação...
Perfil Facebook

De Marques Aarão a 22.10.2021 às 14:00

Com este circo montado deixou de haver palhaços sérios.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D