Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Declínio e Queda da Extrema-Esquerda

por Miguel A. Baptista, em 09.02.24

Um dos aspectos interessantes das sondagens é que a extrema-esquerda, ou esquerda radical se preferirem, tem intenções de voto relativamente baixas. 

Haverá várias razões para explicar o fenómeno, a guinada à esquerda do PS de Costa e Pedro Nuno será uma delas. Já agora, acredito que, nos dois líderes, tal aconteceu por motivos diferentes. O encostar à esquerda é convicto por parte de Pedro Nuno, e com Costa foi meramente oportunista ou instrumental, pois para preservar a sua carreira política Costa ter-se-ia encostado a qualquer lado. 

Mas terá sido a formação da geringonça que assinou a inexorável decadência da extrema-esquerda, que pode ser a quase sentença de morte do PCP, ora vejamos como. 

Antes de mais, em termos históricos, o PS e o PCP eram inimigos figadais. A afirmação do PS fez-se combatendo o modelo comunista soviético, preconizado pelo PCP, e em defesa do modelo de democracia liberal, do tipo ocidental, em que nos inserimos. O sentimento dos comunistas para com os socialistas era semelhante ao que benfiquistas e portistas nutrem entre si. Esse pacto, visto por muitos como contranatura, quebrou um fortíssimo interdito mental. 

Mas penso que não terá sido essa a razão principal, esta terá sido o contacto com a realidade. O que é que quero eu dizer com isso? Pois bem, a extrema-esquerda vende sobretudo ilusões de paraísos não atingidos. São amanhãs que cantam que, quando colocados em prática, inevitavelmente se transformam em pesadelos. O modelo comunista sempre deu errado, mas há a constante ilusão de que desta vez irá dar certo. É um pouco como meter a mão molhada na tomada, esperando que desta vez não dê choque. 

Pois bem, situando-se o raciocínio comunista como algo fora da realidade, terá sido com alguma decepção que se assistiu à participação do partido na realidade, no caso no governo da geringonça. Os comunistas terão sido obrigados a concluir que a sua participação no governo não altera grande coisa, que não existe nenhum "toque mágico" comunista. A participação comunista só teria sido justificada se tivesse ocorrido um "salto quântico", e este não aconteceu, era óbvio que só em mentes fantasiosas é que poderia ocorrer. 

Com o seu mundo a desabar, muitos partiram em busca de novas ilusões, que, curiosamente, vários vão acalentar do outro lado do espectro político.  


12 comentários

Sem imagem de perfil

De IMPRONUNCIÁVEL a 09.02.2024 às 22:15




Porém, exactamente por essa razão, a 'geringonça' deu vantagem ao PS.

Pois permitiu que esses desiludidos da extrema-esquerda encontrassem refúgio no PS. 


O PS com a 'geringonça' conquistou muitos eleitores vindos dessa extrema-esquerda. Razão pela qual, com essa concentração de votos e beneficiando do método de Hondt, conseguiu «maioria absoluta» em 2022.

Para o PS esse esvaziamento da esquerda-radical foi uma benesse.


O PSD terá de fazer o mesmo caminho. Terá de conseguir que os votos dos partidos à sua 'direita' (IL+Chega) convirjam para si. Pois, enquanto o não fizer nunca vencerá o PS com muita diferença de votos (traduzida em Deputados eleitos).
Sem imagem de perfil

De IMPRONUNCIÁVEL a 09.02.2024 às 22:53

E há outro aspecto que decorre dessa absorção pelo PS dos desiludidos ideológicos da extrema-esquerda. 

Essa desilusão ideológica tornou os partidos da extrema-esquerda mais focados em ‘medidas concretas’ do que no apregoar de utopias ideológicas como fizeram no passado. 

Ora isso traz vantagem ao PS, por ser útil para colher ‘ideias práticas’ para o seu programa.

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 09.02.2024 às 23:06


A Extrema Esquerda não teve algum declinio e queda. A sua narrativa domina  a paisagem e não foi beliscada em nada.


A guinada à esquerda do PS deve-se ao jornalismo embora a origem de fundo esteja obviamente na Academia.O curioso neste texto é que não se fala da guinada à esquerda do PSD e Iniciativa Liberal e já agora do Chega socialista.


Poderá-se falar do declinio da extrema esquerda quando o PSD estiver no Governo e não aumentar impostos e o poder do estado, quando a  defesa pessoal ser defendida pela lei, quando a lei do aborto tiver restrições ao aborto sem causas médicas, quando a propriedade privada tiver defensores culturais. Até lá não há declinio e queda algum da extrema esquerda.


Imagem de perfil

De zé onofre a 10.02.2024 às 02:09

Boa noite


Mais vale ter utopias e acreditar nelas com convicção do que viver conformado a comer os restos dos $enhore$, como Lázaros. Não, pior que Lázaros, convencidos que comem à mesa quando não passam de rastejantes a rapar migalhas, mais ou menos fartas quanto o humor dos $enhore$.
Como dizia D. Luísa de Gusmão -"Mais vale Rainha por um dia que Duquesa toda a Vida.
Se não fosse a crença na Utopia ainda hoje viveríamos, para não ir mais atrás, numa Monarquia Feudal.
Se Fernão Vasques não tivesse sido um "utópico" que acreditou num Portugal Livre, porque viu à distância os perigos do casamento de D. Fernando I com Leonor Teles, Portugal seria hoje um Província de Castela. É certo que não viu a sua Utopia alcançada em Vida. O certo é que acreditou e lançou as sementes. A revolução de 1383/85 - apesar de ter sido tomada  pelos segundos filhos da nobreza, pelo bastardo D. João, mestre de Avis, e pela alta burguesia - conseguiu o essencial, livrar Portugal de Castela, o certo é que mais tarde a sua Utopia foi levada a cabo por outros.
Assim fala a história.
Zé Onofre
Sem imagem de perfil

De IMPRONUNCIÁVEL a 10.02.2024 às 11:51

Muito bem-dito.
Falta vir alguém que diga o mesmo sobre a perda da soberania de Portugal perante o jugo da 'União Europeia', que os Republicanos perpetraram.
Sem imagem de perfil

De cela.e.sela a 10.02.2024 às 09:07

« Você que ouve e não fala
Você que olha e não vêEu vou lhe dar uma palaVocê vai ter que aprender
A tonga da mironga do kabuletê
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.02.2024 às 11:14

A esquerda está a desabar talvez porque os seus eleitores tenham por fim compreendido o logro das promessas vãs «de amanhãs que cantam». 
Há hoje um cansaço de esperar tanto e quase nada se concretizar e de ter esperanças frustradas.
A dúvida e a desconfiança instalaram-se. 
É, pois, natural que  nas sociedades atuais se verifique uma quebra de confiança no modelo da esquerda, que se tem revelado decepcionante, que não melhorou substancialmente nem estruturalmente a vida das pessoas _ e fê-lo apenas em circunstâncias muito pontuais, com medidas conjunturais e de fachada, eleitoralistas, sem um compromisso sólido e duradouro.  


Que alternativa, então, para os eleitores de esquerda, se a direita sempre lhes foi apresentada como uma prefiguração do Mal? diabolizada e rejeitada como símbolo de tudo o que é nefasto e inimigo da sociedade?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.02.2024 às 11:33

Sobre os "mitos" da direita criados pela esquerda, aconselho a leitura deste texto de Jaime Nogueira Pinto:

https://observador.pt/opiniao/direita-social-isso-e-socialismo/

Imagem de perfil

De O apartidário a 10.02.2024 às 18:57

Há vários artigos (ao longo dos últimos anos) que fazem o diagnostico correcto da realidade política e social, mas o problema continua lá,e em grande parte devido à infiltração dos média e da academia pelas ideologias esquerdistas,isto com a passividade do campo político do Centro-direita(ou direitinha como alguns lhe chamam) . 
Sem imagem de perfil

De Francisco Almeida a 10.02.2024 às 13:15

O PCP desce (o atraso da Europa já vai em 30 anos) mas o BE pode subir e, sobretudo, mantém um desproporcionado controlo da narrativa, na comunicação social. Não prevejo nem declínio nem queda.
Imagem de perfil

De O apartidário a 10.02.2024 às 14:30

O PS/Madeira apelou hoje ao representante da República para a região para não nomear um novo Governo Regional sem a realização de eleições antecipadas, vincando que, caso contrário, Ireneu Barreto estará a legitimar um “regime que está podre” ( do sapo actualidade) 



https://oplanetadosmacacospoliticos.blogs.sapo.pt/um-regime-que-esta-podre-85098
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.02.2024 às 18:42

Quando diz "extrema-esquerda" perde toda a razão. Se é que alguma vez a teve.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anonimo

    O facto do Passos ter dito o mesmo que a Mortagua ...

  • lucklucky

    Os resultados da esquerda também estão em Cuba. Ri...

  • Nelson Goncalves

    Certo. Seguindo esse raciocínio não se podem const...

  • passante

    É o "Trump derangement syndrome" que se arranja cá...

  • VV

    Os funcionários e outros colaboradores que irão ex...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D