Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O anti-imperialista de sofá

por henrique pereira dos santos, em 05.12.18

Com a mania de andar de transportes públicos, lá ia eu pela Rodrigo da Fonseca abaixo para a paragem da Joaquim António de Aguiar, quando sou barrado pelas cancelas da polícia.

Pergunto porque não posso passar, respondem-me que está uma alta individualidade no hotel e eu, na minha irritação, protesto, inútil e infantilmente, em altos brados "Abaixo a ditadura chinesa, liberdade para o povo chinês, liberdade para o povo do Tibete", pensando que depois lá iria fazer os 280 metros a subir e descer, em vez dos 120 metros planos que me separavam da paragem do autocarro.

Só que o senhor graduado da PSP resolve mandar-me calar a meio. Naturalmente pergunto-lhe por que razão me está a mandar calar, responde-me que é para não incomodar os vizinhos, replico que às dez da manhã dificilmente a minha voz isolada viola a lei do ruído, responde-me que tenho de me calar porque o senhor graduado me está a dizer que esteja calado e eu, naturalmente, repeti em altos brados "Abaixo a ditadura chinesa, liberdade para o povo chinês, liberdade para o povo do Tibete" porque estou como o Pinheiro de Azevedo, não gosto que me dêem ordens ilegais, é uma coisa que me chateia.

Lá vem um empurrão, doutro agente ali ao lado, eu pergunto porque me está a empurrar, o agente manda-me seguir, empurrando-me, eu pergunto-lhe a que propósito me está a empurrar, responde-me que eu não estou a acatar as instruções que me deram, respondo que quero saber qual é a norma legal que estou a infringir, dê-me a sua identificação, está aqui senhor guarda, senhor guarda não que isto não é a GNR, é senhor agente, três horas depois (fui ter a reunião que tinha de ter e depois voltei, não estive ali três horas) estava a apresentar uma queixa crime por abuso de autoridade numa esquadra próxima.

Eu compreendo que os senhores agentes estejam de saco cheio com o que devem estar a ouvir de há dois dias para cá por causa da paranoia securitária de um ditador. A única razão para eu apresentar queixa é a convicção de que é inaceitável que na cultura organizacional da PSP ainda caibam oficiais que não saibam que uma pessoa qualquer, num sítio público, tem todo o direito de dizer, em altos brados "abaixo a ditadura chinesa, liberdade para o povo chinês, liberdade para o povo do Tibete".

O meu problema não é com aqueles agentes em concreto, o meu problema é com o comando da PSP que não conseguiu, até hoje, incutir na cabeça de todos os seus oficiais, o respeito por direitos básicos dos cidadãos: se eu quisesse estar o dia inteiro, naquele espaço público, a gritar "abaixo a dituadura chinesa, liberdade para o povo chinês, liberdade para o povo do Tibete", poderia ser o maior dos idiotas, mas estava no meu direito fazê-lo (enfim, tenho dúvidas que fosse mais idiota que os anti-imperialistas que se manisfestam contra as visitas de Merkel ou de um presidente americano, mas dos quais não se ouve o menor murmúrio perante a vassalagem do estado português a um ditador como o presidente chinês).

Depois, na longa hora que me demorou estar a fazer a queixa percebi que o problema central é ainda mais fundo: se o Estado português investisse tanto na eficácia e modernização das polícias, como tem investido na eficácia e modernização da máquina fiscal, Portugal era, seguramente, um país muito mais decente.

Autoria e outros dados (tags, etc)



11 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.12.2018 às 17:43

Estava aqui a pensar naquele polícia que numa praça de Lisboa foi desancado ao lado de uma colega, com pontapés e empurrões, armados com o seu radio e mais umas coisas penduradas na fardinha. E tenho uma novidade para si: vivemos em boa época, porque isto está a azedar e vai ser ainda mais triste.
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 05.12.2018 às 19:52

Não percebi a relação entre o seu comentário e o que escrevi.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.12.2018 às 21:29

o 'chenês' e o antónio das mortes são 2 aziáticos
cada um tem a sua ditadura e o seu gulag
Perfil Facebook

De Martim Moniz a 06.12.2018 às 10:12

Bem vindos ao "Admirável mundo novo" (que por vezes ainda se confunde com os métodos de "1984" de Orwell)que está em fase adiantada de sua "construção".Ainda não sabemos é se o "nosso" Costa Ping também vai assinar um acordo luso-chinês para termos aquela maravilha que é o sistema big brother chinês a entrar full-time em 2020.
Imagem de perfil

De João Távora a 06.12.2018 às 10:15

Ah valente! Pena não ter estado ao teu lado!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 06.12.2018 às 11:00

Isto nem lembra ao Chinês...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 06.12.2018 às 20:01

Não houve bastonada?
Para amaciar as ideias...


Desiludido com as nossas forças policiais.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.12.2018 às 15:49

Foi o Costa que vendeu a EDP e mais umas companhias de seguros etc. e tal ao chinês?
Sem imagem de perfil

De The Mole a 07.12.2018 às 18:21


Não, não foi (nem isso fizeram...).


Foram vendidas para tapar uma (muito) pequena parte do buraco deixado pelo Sócrates, pelo seu Nº2 (Costa), e pelos Pinhos, "Jamais" e outros que ainda por aí andam...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.12.2018 às 18:45

Isso anda muito perto do clássico "you are under arrest for resisting arrest"
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.12.2018 às 14:01

Não conto com os socialistas para reforçar a autoridade, são o partido que teria mais gente presa se houvesse autoridade.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • António

    Mortágua é economista mas acima disso é comunista....

  • António Lencastre

    Um povo que não tem inteligência coletiva...é assi...

  • The Mole

    Esse "milagre" a que ela se refere, é também produ...

  • João Távora

    Há um pouco de ruído à volta que não ajuda, mas ai...

  • Anónimo

    "Será verdade que não se ouve, lê, nem vê uma notí...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D