Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Literatura e política

por henrique pereira dos santos, em 09.10.18

Ao que parece há uma grande comoção com as eleições brasileiras e o crescimento do fascimo.

Grande parte dessa comoção resulta do facto de se entender que o PT governou mais de dez anos mas não é responsável por coisa nenhuma do que se passa, e de Bolsonaro dizer umas coisas inacreditáveis.

Avaliar as pessoas pelo que fazem com as palavras é do domínio da literatura, no domínio da política o que interessa não é o que as pessoas dizem ou escrevem, mas o que fazem.

No dia em que a independência judicial for posta em causa, em que começarem a fechar jornais ou televisões, em que as eleições forem adiadas ou feitas com a oposição presa (isto é, no dia em que o Brasil funcionar como hoje funciona a Venezuela), aí sim, vou às manifestações contra o crescimento do fascismo.

Até lá, Bolsonaro (tal como Trump e os outros fascistas de turno, cada um que aparece sempre considerado como pior que o anterior) é apenas um político como os outros, que defende coisas certas e erradas, sendo a classificação de certas ou erradas em cada uma dessas políticas uma coisa muito subjectiva (tanto mais que o peso relativo que é dado às diferentes políticas também é muito subjectivo e, no caso do Brasil, há muita gente a valorizar mais o sentimento de insegurança que as tolices sobre orientação sexual ou questões de raça ou género), tal como Lula foi um político como os outros, que fez coisas certas e erradas, mantendo as garantias democráticas intactas, não podendo ser confundido com políticos como Maduro, Chavez ou Raul Castro, só porque, muitas vezes, diz coisas semelhantes ao dizem esses seus amigos.

O que um político diz, interessa muito pouco, o que interessa mesmo é só o que faz.

Autoria e outros dados (tags, etc)



8 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria a 09.10.2018 às 17:57

Apesar de estar numa cama do hospital após uma operação, achei graça á sua frase. O PT após ter governado 10 anos não é responsável por nada.Temos um Antonio Costa 2.
Cumpd


Sem imagem de perfil

De Maria a 09.10.2018 às 17:58

Apesar de estar numa cama do hospital após uma operação, achei graça á sua frase. O PT após ter governado 10 anos não é responsável por nada.Temos um Antonio Costa 2.
Cumpd
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2018 às 09:11

Quando as "pessoas" constantes de certos discursos políticos votam nos outros, passam a estar erradas.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2018 às 11:08

"O que um político diz, interessa muito pouco, o que interessa mesmo é só o que faz."



Ora, exatamente, muito bem. O problema é que os opositores do Lula o atacam com base naquele que ele diz. Se elogia o Maduro ou o Chavez, é um perigoso comunista, que quer a mesma coisa da Venezuela.
Imagem de perfil

De slade a 10.10.2018 às 11:52

Como é que se pode julgar um político em campanha - para uma primeira eleição em que terá verdadeiro poder executivo (como deputado, dizem, foi pouco menos que falhado, pois não se lhe conhecem propostas nem jamais obteve qualquer maioria) - por outra coisa que não as palavras? 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2018 às 19:45

Não será preciso esperar para ver o que Bolsonaro faz, basta esperar que o autor deste extraordinário post entre em contradição, pois não o estou a ver a aplicar a outros o benefício da dúvida com que trata Bolsonaro.
Sem imagem de perfil

De alves a 10.10.2018 às 20:09


é sempre bom ouvir o povo...
https://www.youtube.com/watch?v=Na6jlxn_Exk

só que ás vezes pode ser chato...
Sem imagem de perfil

De Alvaro Costa a 10.10.2018 às 23:15

O problema é que a classe atual de politicos fala muito e faz pouco... cá como lá.... 

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anonimus

    País em que o debate dos transportes públicos se r...

  • Anónimo

    «Martinho Lutero, no Documento Adendo: Contra as H...

  • xico

    Das boas heranças que o comunismo deixou nos paíse...

  • Anónimo

    continua a guerra de trincheiras da I GM preferia ...

  • Anónimo

    ainda não percebi o que mrs entende ser a função d...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D