Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




VEADO (2).JPG

Logo de início, seria bom entender o que se passou na Torre Bela e, assim, enfrentar aproveitamentos que rapidamente se fizeram sobre a caça e os caçadores, conduzidos à reles condição de assassinos.

A Herdade da Torre Bela conta com 850 hectares de terra totalmente murada de pedra com 3 a 4 metros de altura. Necessariamente, os animais sem asas dali não fogem, uma vez fechados os portões.

Muito se tem especulado sobre quem são os seus proprietários e quem explora a propriedade. Sabe-se, sim, que um qualquer negócio relacionado com a energia fotovoltaica está relacionado com o abate de árvores ali efectuado. E com a sua desmatação, em geral.

Ora isto deixou os animais de grande porte sem quaisquer refúgios. E, ao que parece, eles eram muitos.

A famigerada "montaria" (convém pensar que as "montarias" se fazem nos montes, e não em terrenos planos, como é o caso) foi o modo encontrado para banir esses incómodos "moradores", neste novo e moderno projecto fotovoltaico. Além do mais, rendia dinheiro pela inscrição, a preços elevados, dos participantes.

Vale dizer: a leva de tantos veados ou javalis para outro local mais de acordo com o seu habitat natural, dava trabalho e não rendia.

Foi uma matança de inocentes sem defesas nem esconderijos. Ninguém falou nisso ainda, mas foi também um perigo público - porque, nesta prática, se usam carabinas, capazes de furar uma pessoa a mil metros de distância, e a possibilidade do ricochete é muito grande, com as suas inequívocas consequências.

Seguiram-se, enfim, as fotografias da praxe onde se alcançam os fatinhos comprados em boutique da especialidade, as senhoras de cabelo louro e botas altas, as gravatas verdes pintalgadas de espécies de caça; chapéus de abas e óculos escuros, sorrisos e tudo o mais que compete a uma "Meia Desfeita" devidamente actualizada.

Como não acontece com os verdadeiros caçadores. Esses que se esfalfam um dia a andar com o seu cão, por algumas perdizes. Que têm o gosto de treinar o seu companheiro para um jogo de equipa, e matam o que é de matar com sentido: a caça tem a sua ancestralidade e, se hoje é um desporto, antes foi uma necessidade. Mas o desporto não pode esquecer as suas origens: um caçador atira a um animal em movimento, nunca parado; um caçador atira a  um animal que depois come, não ao primeiro que lhe apareça pela frente. E quando o animal é daninho - caso dos javalis, dos coelhos - redobradas razões explicam o tiro.

Caço desde os meus 15 anos. Comecei com o meu Pai. Ai de mim se atirasse às espécies que não fossem para isso! São as razões por que condeno em absoluto a carnificina da Torre Bela e, serenamente, me mantenho caçador. Agora revoltado - porque  ainda há dias discuti com uma senhora que propagandeia uma "Nova Humanidade", em que todos serão vegetarianos...

Era o que me faltava! E o bacalhau do Natal (aliás, pescado e morrendo aos poucos, sufocado, no convés do navio...)?



5 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.12.2020 às 01:24

Isso mesmo! Bem dito. E os que condenam a caça certamente não sabem o que é viver do campo, ou o cheiro pátrio da floresta.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.12.2020 às 10:35

sempre fui caçado à paulada
para silva pan 'quem não tem gata caça com cão'
histórias de çaça sem cedilhas
se bem me lembro era da herança Sommer (Verão)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.12.2020 às 11:50

Há uma carga negativa e sinistra naquele lugar desde 1975.

Torre Bela é o símbolo da nossa decadência e de todos os falhanços deste país que se adiou voluntariamente.  Um país que tem vivido enredado em ficções e equívocos permanentes:  há décadas que estamos entre a insanidade das "utopias" hipócritas e rançosas de ontem (?), e o embuste das "causas" impostas de hoje.


A ler, de Helena Matos:




https://observador.pt/opiniao/o-presepio-da-torre-bela-ou-o-triunfo-dos-javalis



(H. M. faz a "ligação" à breve biografia de Wilson Filipe. Vale a pena "clicar" para ser lida e ficar-se com uma ideia do tipo de personagens a que o país esteva entregue, nesses anos de brasa.) 
Perfil Facebook

De Madalena Cardoso da Costa a 27.12.2020 às 12:00

Muito bom, bem,. Muito bem dito e escrito. E sentido, sobretudo isto, por quem sabe, desde há muito, desde cedo, porque é caçador. E um grande caçador, com tradição familiar, conhecedor da natureza, e conhecedor-mor da natureza animal (zoológica). Gostei mesmo, pela "justeza" - de justo - do texto, com a história, a experiência e a Humanidade, e pela oportunidade do mesmo, de quem sabe e vive o que fala. Muitos parabéns e obrigada pelo texto esclarecido. Aproveito para desejar continuação de Boas Festas, e um um Bom Ano Novo, também.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.12.2020 às 18:11


foi também um perigo público - porque, nesta prática, se usam carabinas, capazes de furar uma pessoa a mil metros de distância


Não acredito que tenham feito o abate sem terem tido todo o cuidado de evitar que houvesse outras pessoas, que não os atiradores, na propriedade. O abate foi feita por uma empresa profissional, que diabo.


A caça é frequentemente um perigo público cá em Portugal. Mas este abate, duvido muito que o tenha sido.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    sonham com o regresso de che e de dani vermelho nu...

  • ICH

    Dei-lhe três exemplos, mas há vários outros de esc...

  • Anónimo

    O crime de assédio sexual é assunto de natureza pr...

  • Telmo

    Isso não se diz o valor diz-se a percentagem, são ...

  • Jose Miguel Roque Martins

    pelos vistos, não pressupunha que a patente ficass...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D