Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ir além da troika

por henrique pereira dos santos, em 29.10.22

A mentira mais frequente, mais insidiosa, mas também mais sólida, sobre Passos Coelho, é a de que Passos Coelho queira ainda mais austeridade que a troika.

Esta mentira, largamente difundida pela imprensa, e largamente usada pelas pessoas que, não tendo votado Passos Coelho, se consideram enganados por ele durante a campanha eleitoral - ou seja, pessoas que votariam Passos Coelho mas afinal não votaram nele porque foram enganadas durante a campanha eleitoral - baseia-se numa frase que, com variações, Passos Coelho usou umas quantas vezes, com significados muito claros quando se põe a frase no contexto em que foi dita.

Em nenhum caso a interpretação dominante da frase - a de que Passos Coelho estaria a defender uma maior austeridade que a defendida pela troika e expressa no memorando assinado e negociado pelo Partido Socialista - é admissível.

A primeira vez que Passos Coelho falou em ir para além da troika foi ainda antes das eleições - na tal campanha em que dizem que prometeu o leite e o mel, para depois roubar as pessoas sem piedade - quando apresentou o seu programa, dizendo que iria cumprir integralmente o memorando, contando com a possibilidade de aqui e ali poder negociar ajustamentos das medidas acordadas com os credores, mas que o programa ia para além da troika, no sentido em que o programa não era apenas executar o memorando. No fundo, disse o mesmo que Jorge Sampaio quando este lembrou, ainda antes, que havia vida para além do orçamento.

É claríssimo o que estava a dizer Passos Coelho: cumpriremos as obrigações com que o país está comprometido para que os credores nos emprestem dinheiro, mas o nosso programa político não se restringe a isso e queremos fazer reformas que consideramos necessárias ao país.

Não estou a discutir se o programa era bom ou mau, estou apenas a constatar que o significado do além da troika era um, e a generalidade da imprensa (e a oposição, incluindo o partido que tinha metido Portugal na alhada da dependência excessiva dos mercados financeiros) resolveu pegar na letra das frases e fazer a interpretação que entendeu, mesmo sabendo perfeitamente que estava a dar curso ao velho ditado "com a verdade me enganas tu".

Das outras vezes que Passos Coelho falou em ir para além da troika foi mais ou menos sempre no mesmo contexto: quando a generalidade da opinião publicada falava em espiral recessiva e na inevitabilidade do segundo resgate, mais tarde, verificando-se que não havia segundo resgate, em reestruturação da dívida para a tornar sustentável, Passos Coelho garantia o cumprimento das metas negociadas com os credores pelo Partido Socialista (e depois, à medida da sua execução, com adaptações já negociadas por Passos Coelho) iria ser alcançada e, talvez, mesmo se conseguisse ir além dessas metas.

Qualquer pessoa percebe que conseguir ir além dos resultados pretendidos, necessários e benéficos para o país e para as pessoas, é muito diferente de querer ir além da medicação e tratamentos dolorosos necessários para atingir esses resultados.

A ninguém passa pela cabeça não ficar satisfeito porque um tratamento difícil e doloroso, cheio de efeitos secundários negativos, está a correr melhor que o esperado e o doente está a melhorar mais que o previsto.

Pois foi exactamente essa a opção da opinião publicada (grande parte da imprensa publica opinião disfarçada de informação, portanto opinião publicada inclui as notícias), pretender que o médico que constatava as melhorias do doente, admitindo que a terapia até poderia dar resultados melhor que os esperados, estava era a defender que se deveria carregar na terapia com o objectivo de aumentar o sofrimento do doente e aumentar os efeitos secundários da terapia.

Em relação a Passos Coelho, ainda hoje o lema se mantém, quer por parte da imprensa, quer por parte do Partido Socialista que nos levou ao hospital: "com a verdade me enganas tu".

Passos Coelho falou várias vezes em ir além da troika, é verdade, mas em nenhuma dessas vezes ele disse o que dizem que disse, isto é, em nenhuma dessas vezes ele defendeu um programa de maior austeridade quando falou em ir além da troika.

Claro que escrever isto é inútil, nem um dos que foram enganados por Passos Coelho na campanha eleitoral, e portanto não votaram nele, irá alguma vez admitir que está a esquecer o contexto das afirmações, para lhe ser possível citar um frase verdadeira como demonstração de que Passos Coelho disse o que na verdade nunca disse.


34 comentários

Sem imagem de perfil

De entulho a 29.10.2022 às 09:56

'i cum caneco!'
a kumunicação resume-se a desinformação e contrainformação até na bola.
a inflação é passageira ... do tgv.
perderam várias eleições europeias, mas vão ter direito a lulas recheadas
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 29.10.2022 às 11:37

O  diz que disse é tramado, e então quando é necessário ser outra pessoa a explicar o que toda a gente ouviu, está tudo dito.
Parece que também disse que era um perfeito disparate ir tirar o 13° mês ao pai da criancinha. Querem ver que agora também é uma insidiosa mentira?
Querem ver que agora também era mentira os cortes que já estavam previstos na Segurança social e no SNS?
Se calhar era tudo mentira, cambada de aldrabões. 
Sem imagem de perfil

De Luis a 29.10.2022 às 15:51

Querem ver que também é mentira que o foi o PS com Sócrates ao leme que nos arrastou para as mãos da troika? Querem ver que também é mentira que foi o PS quem assinou o memorando porque já não havia dinheiro nem para mais 1 mês de ordenados tal não era a qualidade da sua governação? Querem ver que Passos afinal não governou condicionado pela troika chamada pelo PS e pelo memorando assinado pelo PS? Querem ver que afinal também é mentira que o governo de Passos contra todas as expectativas não só conseguiu que o país saísse do programa mais cedo o que obviamente aliviou os juros mais cedo mas ainda evitar um segundo resgate ainda pior do que o negociado pelo tão bom e amigo de todos nós, o magnânimo PS? Querem ver que é mentira que o Passos mesmo tendo tido que fazer o que fez, conseguiu ainda assim bater o seu opositor direto isoladamente em eleições e que este último teve que se vender à extrema-esquerda para não ser comido vivo pelo PS? Só aqui se percebe quem realemente arruinou o país e quem realmente se mostrou capaz de tudo para se agarrar ao tacho. Pois é PS de Sócrates e PS de Costa, mudou o líder nas o cancro e é o mesmo. 
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 30.10.2022 às 09:46

Querem ver que também é mentira que o Passos Coelho se aliou ao Bloco de esquerda e ao PCP para chumbar o Pac4 e obrigar a vinda da troika?
Querem ver que também é mentira que o Passos Coelho arrasou a classe média para aumentar o número de ricos em Portugal ?
Querem ver que também é mentira que o Luís Montenegro disse em 2012 que as pessoas estavam pior mas o país estava muito melhor?
Pois é, a clubite partidária é terrível, descontraia, são só quatro anos.
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 30.10.2022 às 11:03

Sim, é verdade que o PSD votou contra o PEC4, tal como o PC e o BE, mas é mentira que se aliaram (isso foi depois, em 2015, que foi feita uma aliança com o PC e o BE, mas foi o PS que fez essa aliança) e, sobretudo, é mentira que tenha sido isso que tenha obrigado o PS a chamara a troika, o que obrigou o PS a chamar a troika foi a falta de dinheiro que era de tal forma grande que foi o ministro das finanças, à revelia do primeiro-ministro, que considerava ter condições para continuar a governar sem pedir dinheiro a ninguém, que anunciou a chamada da troika.
Sim, é mentira que a classe média tenha sido arrasada e é mentira que tenha aumentado o número de ricos em Portugal.
E também é mentira que Montenegro tenha dito que as pessoas estavam pior, o que ele disse foi ""A vida das pessoas não está melhor mas a do País está muito melhor"".
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 30.10.2022 às 12:11

Ainda bem que você segue tudo à letra, já agora pode também confirmar que a Fitch subiu o "ratting" de Portugal para BBB+, é verdade, não é?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 10:24

Carlos Sousa, deixe lá o passado e o presente. Foquemo-nos no futuro. Por isso, gostava de o "ouvir". Que me diz a isto?
" algo se move. Numa mesma semana, os dois principais dirigentes do PS agitaram o nome de José Sócrates de forma pública e com orgulho, como se fosse um estandarte ou uma medalha. Não sabemos se é uma coincidência ou um plano — mas é seguramente um sinal. Como diz a frase célebre, “Se anda como um pato, se nada como um pato e se grasna como um pato, então é porque é um pato”. Esteja sentado em São Bento ou esteja a candidatar-se a Belém, este PS está disponível para, através de um banho lustral, transformar Sócrates num exemplo."

Será que se preparam para o levar em ombros a algum sítio? 
Sem imagem de perfil

De Antonio Barbosa a 11.11.2022 às 19:06

Mas que grande Advogado de defesa de Passos "o desejado" aqui temos... 
Sem imagem de perfil

De Luis a 12.11.2022 às 00:13

Outro que não desmente nada do que digo mas apenas manda umas bocas para o ar. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 10:32

(cont.) 
"Querem ver que agora também é uma insidiosa mentira" como diz o Carlos Sousa e teriam inventado tudo quanto se sabe sobre o Sócrates. Vai ver que "se calhar era tudo mentira, (de) uma cambada de aldrabões"?
Querem ver que as verdades só estão reservadas ao Passos Coelho!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 12:52

Sem dúvida que esta é a pura Verdade, HPS.
Foi como diz:
"o que obrigou o PS a chamar a troika foi a falta de dinheiro que era de tal forma grande que foi o ministro das finanças, à revelia do primeiro-ministro, que considerava ter condições para continuar a governar sem pedir dinheiro a ninguém, que anunciou a chamada da troika."



Tanto assim foi que o Teixeira dos Santos pediu, por moto próprio, e com urgência, para ser entrevistado em horário nobre, nas TV's para revelar aos portugueses a gravidade da situação financeira em que se encontrava o país. E fê-lo porque não teve outra saída, foi uma solução de recurso, já que o Sócrates tinha entrado em negação, e recusava-se a admitir a Verdade. Era a única forma que ele tinha de forçar o Sócrates a fazer o que era já inevitável: pedir assistência e ajuda  financeira. (Soube-se que Sócrates quase cortou relações com T.dos Santos por este o ter desmascarado nas tv´s , à sua revelia, a situação real do país... ao país inteiro!!!. As imagens de ambos, da época. ilustram bem a tensão entre eles.)


E apesar de Teixeira dos Santos o ter prevenido, muitos meses antes, do desastre que se anunciava, Sócrates com o seu voluntarismo, adiava e ia pondo sucessivos "pensos rápidos", aqueles famosos Pec's I, II,II, IV ... para nos ir tapando os olhos e esconder dos portugueses a ruína em que os encontrávamos. 
Teixeira dos Santos, ao dar a entrevista, quis demarcar-se de Sócrates, para  "descolar" a sua imagem da tragédia por que o país ia passar: o pedido de resgate e a vinda da Troika. 
 Estou ainda a ver o Sócrates apanhado no ar perguntado, (enquanto compunha a gravata): " Ó Rui, vê lá se fico melhor assim? ou  assim?"! Ficou nos anais do  Anedotário nacional. Um caso de psicopatia e uma  personalidade exacerbadamente, doentiamente narcísica. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 14:09

... doentiamente narcísica e desconectado da realidade.
Sem imagem de perfil

De anónimo a 29.10.2022 às 13:07


Claro que é inútil. A pequena faixa de portuguêses que presta, de forma eficaz, atenção à política sabe perfeitamente que o Passos Coelho, e o PSD, caíram no erro de aceitar uma "batata quente": o acordo de Sócrates com a Troica, originado pelo caos financeiro gerado pelas políticas levianas do PS. Isso é indiscutível. Rui Rio soube evitar aquele mesmo erro.

Agora A. Costa está de cabeça perdida.


Consequências da típica cultura política de esquerda iniciada pelo PCP/PS no 25 de Abril (precisamente os autores da Constituição e da cultutura política) e permanentemente instilada, nos cativos média, durante meio século.
Os resultados estão à vista. Governos de pedintes sem vergonha, perdulários falídos.

Entretanto os credores tiraram o tapete a A. Costa...
Imagem de perfil

De O apartidário a 29.10.2022 às 13:28

Ora aí está, e o resto é cantigas. 
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 30.10.2022 às 10:09

Exactamente! Ó patego (povinho em geral) olha ó balão. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 13:07

" Agora A. Costa está de cabeça perdida.". 
Pois deve estar, mas desta vez, votarei neles pela 1ªvez !!! Será o PS a limpar a casa,  a apanhar os cacos  e toda a porcaria que fizeram. Era o papel que estave sempre reservado à direita, mas nunca mais. Pagaram um preço demasiado elevado  por terem herdado um país na " m - - - a" e depois tirarem-no das alhadas em que o PS o meteu. 

Fazem sempre a cara e a caramunha. Ou seja, fazem o mal e escondem a mão atrás das costas, lamuriando-se como se nunca tivessem tido a culpa, as inocentes criaturas!  Mas desta vez, NÃO!
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 31.10.2022 às 08:49


Os novos senhores do mundo não precisam de governar directamente.Os governos nacionais encarregam-se de administrar os negócios por conta deles.A nova ordem é a unificação do mundo num único mercado.Os Estados mais não são do que empresas,com gerentes a fazer a vez de governos,e as novas alianças regionais parecem mais fusões comerciais do que federações políticas.A unificação que o neoliberalismo produz é económica: no gigantesco hipermercado planetário só as mercadorias circulam livremente,as pessoas não.

Os mercados financeiros não querem saber da cor política dos dirigentes dos países.O que conta,aos seus olhos,é o respeito pelo programa económico.Os critérios financeiros impõem-se a todos.Os senhores do mundo podem tolerar a existência de um governo de esquerda...com a condição de que este não adopte nenhuma medida que possa prejudicar os interesses dos mercados.O que nunca aceitarão é uma política de ruptura com o modelo dominante.

Aos olhos da megapolítica,as políticas nacionais são conduzidas por anões que se devem vergar aos ditames do gigante financeiro.E sempre assim será...até que os anões se revoltem.

In A Quarta Guerra Mundial já Começou (livro)
Sem imagem de perfil

De Hugo a 29.10.2022 às 15:05

Henrique, mais uma vez impecável. É tão simples e honesto quando se diz a verdade. A alienação mental instalada tem muita dificuldade em lidar com a verdade e com a realidade.
Imagem de perfil

De O apartidário a 30.10.2022 às 18:37

Do blog albergue lusitano: "A cultura woke em nada tem de cultura, são devaneios de uma mão cheia de jovens que tentam, através de uma ditadura de carácter, tentar deixar uma marca tão fascista quanto a extrema direita. Não me venham com a história de não ser comparável, todas as ditaduras são comparáveis, porque todas têm o desprezo pela liberdade de pensamento e de expressão.
A cultura woke tem um ligeiro problema na sua tão formosa luta, que no obstante não deixa de ser um pormenor importante. Na génese destes rebeldes artificiais, que lideram o pensamento contra o homem branco privilegiado, estão exactamente homens e mulheres brancas privilegiados pelo sucesso financeiro dos pais, e não abdicam da mordomia que esse privilégio lhe oferece, acreditando que todo o homem branco, por razão da cor da pele, é privilegiado, mesmo aquele que todos os dias às cinco da manhã está a fazer maratonas entre transportes públicos para trabalhos cujo salário não paga metade do que os "woke rebeldes" gastam numa almoçarada antes de uma manifestação contra a pobreza e a fome, onde mais uma vez vão tecer duras críticas ao tal homem branco,"
Sem imagem de perfil

De anónimo a 29.10.2022 às 15:13


Claro que Madame Leyden confirmou "pode ir ao Banco", pois nunca falta lá "fiat money".

O que estragou a digestão de A. Costa foi o acabar das facilidades.

É preciso também levar ao Banco a papelada toda e a gosto do Credor!.

"...o recebimento da receita provisional do PRR (13,9 mil milhões de euros) é condicional ao cumprimento das metas aprovadas pela Comissão Europeia e eventuais desvios adicionais à programação poderão adiar ou impossibilitar a cobrança...".


E precisa de baixar significamente a dívida soberana, senão by-by UE.

Eis um OE em disforme contabilidade creativa, verbal e não só, made by Medina, em Inglês e tudo.



Acontece aos todos os Países que perdem a independência a troco do vencer campanhas eleitorais a qualquer custo.
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 29.10.2022 às 16:35

São troikas baldroikas & altas engenhocas que eles sabem inventar! ...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.10.2022 às 17:40

Preocupo me mais com a tentativa de branqueamento à governação do 44 atualmente em curso pelos seus ministros António e augusto. Para 2026 querem um Lula 2 em Portugal!? Alerta! Alerta! 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 09:49

Não tenha dúvida que estão a lançar o seu nome. Quem estiver atento, também deve perceber isso, que algo se desenha no ar e que andam a "prepará-la" com este esforço de reabilitar a imagem do Sócrates. Este apoio descomunal ao Lula, de toda a esquerda é o teste decisivo de que eles precisavam para avaliar quais as hipóteses futuras do Sócrates. Uma espécie de ensaio para auscultar o povo. 
E o teste foi muito animador porque mostrou o resultado desejado:  o Lula passou com a nossa complacência perante um corrupto. Se o Lula passa, porque não o Sócrates?_ pensarão. Afinal que diferença há entre eles? E nas suas  conjecturas, concluiram que os portugueses são fáceis de manipular.  
É tudo uma questão de chamar a Comunicação Social e a Propaganda para virem dar um ajudinha e depois ambas tratam do assunto. É-lhes tão fácil "trabalhar" as cabecitas ocas dos portugueses e levá-los a achar que o 44 morreu com sicuta e "de agora"  é outro que nunca viram, novinho em folha, pronto a estrear.
Só me pergunto porquê tudo isto agora? Dá que pensar...
(Não é de descartar que esta "simpatia" repentna dispensada ao Sócrates, não seja por estarem a ser chantageados / ameaçados de "algo".  Afinal, todos eles conhecem os pecadilhos uns dos outros, fizeram muita coisa de "meias"! Imagino que enquanto um ia à horta, o outro ficava à porta.Todos se encobriam. O Sócrates sabe muita coisa e um "narcisista" não admite que o "larguem" e o descartem sem mais nem menos... E se os ameaçou de falar... algo lhe darão em troca para o calar (é um clássico que vem nos livros) não é assim? Preparemo-nos para o pior.)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2022 às 15:03

António e Augusto são dois condottieri, chefes de bandoleiros. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.10.2022 às 18:41

No fundo, só revela a admiração que tinham nas capacidades e na competência de Passos Coelho. Viram que foi um dos nossos melhores PM. Viram com estupefacção que conseguiu tirar-nos do atoleiro em que nos tinham metido, excedendo todas as expectativas e todas as previsões. Viram que conseguiu que não houvesse o 2º resgate que todos vaticinavam. Viram que ele dispensou a última tranche do empréstimo da troika que nos endividaria ainda mais. Viram quem era Passos Coelho e perceberam que era preciso destruí-lo.  Temiam que todos "vissem" a sua verdadeira dimensão e o carácter e o mérito e o carácter deste Homem marcante e singular. Tinham medo, muito medo que à esquerda estivesse reservada uma longa travessia do deserto. E era o mais certo!
Perceberam, por isso,  que era urgente travar este Homem e tirá-lo do caminho.


Era, pois, absolutamente necessário um plano: e lançarem sobre ele a maior, a mais ruidosa e a mais bem orquestrada campanha de destruição do seu bom trabalho, da sua imagem e da sua reputação como político. Fosse como fosse, custasse o que custasse. 
A tal ponto o temiam que ainda hoje temem o seu regresso, de tal forma que não o largaram. Termino com a palavra "Inveja". Por sinal é a última palavra d' "Os Lusíadas" que Camões entendeu que melhor descreve um lado muito sombrio dos portugueses.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.10.2022 às 19:34

É natural que as esquerdas difundam toda a sorte de mentiras, alimentando falsidades sobre Passos Coelho, porque têm um sentimento de inferioridade em relação a ele.
 Imagino que os perturbe bastante aquela simplicidade donde emana uma autoridade natural e serena. Passos Coelho nunca  se deu ao trabalho de vir  defender-se nem perdeu tempo com esta gente para se justificar. Não lhes dá troco. Limita-se a esperar com aquela calma imperturbável. E eu percebo-o. 
Quando a esquerda se apercebeu de que não estava à altura de conseguir vencer este adversário temível de forma limpa e justa, recorreu à calúnia e à mentira para lhe causar prejuízo e o diminuir aos olhos dos portugueses. Mas nem os próprios caluniadores acreditam no que dizem.  
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 29.10.2022 às 23:09

Desde que nao me tirem o 13o mês e me façam trabalhar mais uma hora, estou feliz com o rumo do país. E se uma vez por outra caírem 125 euritos na conta... top.
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 30.10.2022 às 10:06

E que não faltem as cervejas e os tremoços né?
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 30.10.2022 às 17:08

Sim, devem fazer parte do cabaz alimentar a redistribuir pelo Governo.

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D