Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fundo de Conservação da Natureza

por henrique pereira dos santos, em 21.04.24

Há mesmo muitos anos que tento, sem conseguir, criar em Portugal um fundo de conservação da natureza que, anualmente, liberte os seus ganhos para o apoio à conservação da natureza.

A ideia é muito simples de explicar: mobilizar capital, preferencialmente privado, mas sem descurar as oportunidades de os contribuintes lá meterem dinheiro, que é aplicado livremente no mercado financeiro, para obter um rendimento anual que deve ser disponibilizado à sociedade, de forma aberta, para a execução de projectos de conservação da natureza, incluindo a compra de terrenos.

A principal dificuldade da ideia, não tendo eu dinheiro, é que para que o retorno financeiro ter algum significado, com base numa a gestão financeira prudente, teria de se basear num capital muito grande.

O que sempre tentei, para resolver esta dificuldade, foi encontrar um mecanismo para ir amealhando dinheiro sempre, até que um dia o capital amealhado fosse suficiente para gerar rendimentos relevantes, o que, evidentemente, demora muito tempo.

De maneira geral, quem tem recursos para aplicar em filantropia ou é uma pessoa que, naturalmente, prefere definir ela como os aplicar, ou é uma pessoa ou entidade que pretende reconhecimento, o que é incompatível com a alimentação de um fundo, anos a fio, antes que se torne relevante.

A única hipótese, parece-me, é ir juntando pequenas contribuições de muita gente.

Foi com esta ideia que, quando se discutiram na Montis as acções a realizar para comemorar os seus dez anos, eu, que não faço parte da direcção, propuz que se fizesse um crowdfunding que, na minha cabeça, não necessariamente na cabeça de outras pessoas, poderia ser a semente desse tal fundo de conservação da natureza.

Não sei, porque as decisões colectivas envolvem sempre muita gente, se este fundo para aquisição de terrenos que a Montis está agora a procurar lançar virá a ser a semente do que eu defendo, ou se virá a ser um fundo que a Montis usa para aproveitar melhor as oportunidades de compra de terrenos para a conservação, que é o compromiso que está na base da campanha.

O que sei é que, de uma maneira ou de outra, um euro investido neste fundo é um euro cuja utilidade para a conservação da natureza se mantém sempre, independentemente da sua evolução futura, porque é um euro em compra de terrenos, o mecanismo mais sólido que existe para garantir a conservação da natureza no longo prazo num determinado sítio.

Dir-se-á que mesmo que os terrenos que hoje tem a Montis, à volta de 15 hectares, aumentem para 30 hectares, é uma gota no oceano.

É verdade, mas se nos próximos dez anos da Montis se comprasse tanto como nos primeiros dez, chegando a esses 30 hectares, e se continuasse, daqui a cem anos seriam 150 hectares mas, sobretudo, é muito pouco provável que o crescimento do esforço de aquisição fosse linear à medida que crescesse a confiança no trabalho que vai sendo feito, com base na transparência de processos.

Por mim, isso vale bem cinco euritos de apoio à campanha, quanto mais não seja, para alimentar a esperança.


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.04.2024 às 11:48

As minhas desculpas por sair do tema do seu post, mas não resisto a enviar o vídeo que se segue (existem muitos mais do mesmo teor). Tenho-os consultado  ultimamente, sobre a vida comunitária na França rural dos anos 50-60, a propósito do que se tem dito e escrito sobre o nosso atraso antes de 25 de Abril.

Não, o vídeo que se segue não se passa no país pobre e rural de Salazar onde era comum a "exploração" do trabalho infantil. 


https://www.youtube.com/watch?v=_YayPDbxjAE

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.04.2024 às 14:55

https://www.youtube.com/watch?v=FnBMw3P43PQ



(trabalhos no campo nos anos 60, em França)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.04.2024 às 11:56

https://www.youtube.com/watch?v=zr_VVDyYybo

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D