Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Das casas, da natureza do socialismo e dos seus ridículos

por José Mendonça da Cruz, em 20.04.18

Liberto pelo anterior governo da camisa de forças com que Salazar e os socialistas o tinham tolhido, o mercado imobiliário restaurou Lisboa, tirando-a do estado catatónico e ruinoso em que estava. Os socialistas estão, pois, muito preocupados; agora que Lisboa foi restaurada contra sua vontade, querem «revertê-la», ou seja, reassumir o caminho da ruína.

O primeiro passo foi decretar que umas casinhas novas renovadas a expensas da Câmara iam ser arrendadas por baixo preço, para... ah, como é que eles dizem?... rejuvenescer a cidade ... ou evitar a gentrificação... ou o raio que os parta.

Mas como o socialismo não passa, no fundo, de um comunismo envergonhado, os socialistas trataram das casinhas públicas e económicas, mas, depois, puseram-nas a leilão. O resultado foi o mercado rir-se dos socialistas camarários, como a economia se ri dos do governo: as casinhas subiram aos preços que a oferta e a procura determinam como razoáveis.

Horror, terão pensado os socialistas, o nosso homem novo escapou-se-nos das mãos outra vez! E, visto isso, declararam nulo o próprio contrato que haviam redigido e assinado -- um hábito muito seu, como sabemos, sempre em defesa das «pessoas», evidentemente. Dizem que anunciam a continuação quando a continuação continuar.

E entretanto? Entretanto vêm à carga com a ideia de tirar casas a senhorios que as tenham vazias ou, por qualquer razão, não alugadas. Fica o Estado com elas. Mas, sendo comunistas na versão tolhida pelo pudor, dizem: é só durante uns tempos.

São ideias. A estas se juntarão -- deve esperar-se -- a do regresso ao congelamento de rendas ou despejos, o combate ao turismo (a «pressão turística», como eles chamam a quem em muito os vem subsidiando), e outros entraves à propriedade e à liberdade económica. Tudo (todos em coro, agora) em favor «das pessoas». As mesmas ideias que levaram as famílias a endividarem-se porque arrendar casa era impossível; as mesmas ideias que conduziram à desertificação do centro e à decadência de diversos bairros da capital. As mesmas ideias que -- como julgam os doidos e os socialistas -- desta vez vão ter outros e bons resultados.

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.04.2018 às 20:45

A cúpula do PS é quase toda comunista e o resto é conversa fiada. Estes senhores vivem num mundo de fantasia que pensam ser a Rodésia dos anos 70 com as mesmas minhocas do rei lá do sítio. Por que não vão viver para Cuba?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.04.2018 às 22:27

É verdade. Esbulhar a seu gosto a propriedade privada é um dos mais eficientes meios que um Estado socialistas/comunistas têm ao seu dispor para destruir uma já exígua classe média e implantar o seu radioso projecto.
A inveja do Comité Central do PC é esta  Camara M. de Lisboa.
Cedo este País anunciará a sua saída. à força, da União Europeia e o seu alinhar com Cuba e Venezuela, pois Russia e China já há muito que mudaram de rumo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.04.2018 às 17:51

Amigos, o socialismo é uma doutrina da solidariedade

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    desta feita o gordo careca tinha licenciatura?arri...

  • Anónimo

    "Portugal é um país que pergunta a crianças de nov...

  • Carlos Gonçalves

    "...e de mais elites..."

  • Anónimo

    nesta versão social-fascista da urssassiste-se a t...

  • António

    Belíssima iniciativa a desses académicos. A mim nã...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D