Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Da Expo até à desesperança

por Miguel A. Baptista, em 22.05.23

Faz agora 25 anos que a Expo abriu as portas. Enquanto evento efémero não me entusiasmou particularmente. No entanto, acho que foi uma boa forma de "fazer cidade". 

Por essa altura Portugal viveu os seus últimos momentos de ilusão. Nessa altura ainda acreditávamos que, num espaço de uma geração, iriamos estar entre os países desenvolvidos da Europa. Miragens como sermos a Califórnia deste continente ainda eram possíveis. 

98 é um marco, mas as raízes do problema já vinham de trás. Cavaco deu um importante impulso desenvolvimentista ao país, mas nos dois últimos anos de mandato já era visível que o modelo estava esgotado. Estava esgotado o modelo, e estavam esgotados os protagonistas. Cavaco acabou rodeado de "yes men". Depois veio Guterres com o propósito de anestesiar um país já de si amorfo. A bandeira do "diálogo" foi uma óptima desculpa para suspender o reformismo e promover uma cultura de pântano na qual tão bem nos damos. 

O facto de nos últimos vinte cinco anos sermos dos piores países no que a crescimento económico diz respeito, sim os piores somos nós a Grécia e a Itália, entristece-me, mas não é o que me entristece mais. O que mais me entristece é a forma como passámos a aceitar a mediocridade. Da mesma forma que a China, do século XIX foi invadida pelo entorpecente ópio, nós fomos invadidos pela letargia socialista, em que o partido do Governo faz uma campanha a gabar-se que mais de um milhão de famílias acede a medidas de apoio ao cabaz alimentar. Sim, o que me entristece foi como perdemos qualquer ambição ou brio. 


11 comentários

Sem imagem de perfil

De passante a 22.05.2023 às 21:41

Na mouche. Estão inchados de orgulho de criarem um país de pedintes, sempre de requerimento metido para um apoio ou subsídio.
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 22.05.2023 às 21:59

Gabar de ajudar 1 milhão de familias miseráveis é realmente motivo de gabarolice. Somente neste país indigente a caridade é motivo de orgulho.
Mas pronto, ao que é importante: 2 milhões de votos já cá cantam.
Sem imagem de perfil

De Zé raiano a 23.05.2023 às 09:51

população amorfa que se contenta com a esmola miserável de uns cêntimos
onde falta trabalho e gosto por trabalhar
o competente A. Costa bem se tem esforçado por enfiar o país no labirinto onde o esperam milhares de bóis no papel de minotauros


pensava que Cavaco era um ganadeiro que de quando em vez solta os minotauros desembolados, os quais colhem sempre um pançudo com dificuldade em correr e desta feita um idoso a tirar selfies


a diversão continua em Penha Garcia, Quadrazais e Jarmelo
Sem imagem de perfil

De balio a 23.05.2023 às 10:31


acreditávamos que, no espaço de uma geração, iriamos estar entre os países desenvolvidos da Europa


Portugal é um país desenvolvido da Europa.


Não é certamente tão desenvolvido quanto a Alemanha ou a Irlanda, mas ainda assim é muito mais desenvolvido que Marrocos, a Turquia ou o Uruguai.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.05.2023 às 16:41

Está encontrado um dos cérebros que ajudou a parir a satisfação da criatura fazedora de indigentes em cartaz: o criativo Luís Lavoura.
Reconhecer, com esta grandeza,  a pobreza de cerca de três milhões de portugueses só esta ao alcance de gente iluminada.
Imagine-se agora o que serão os festejos quando o número de dois milhões for alcançado (nomeie-se já um comissário para assegurar, com pompa, a celebração da ocasião).


Há dias, ouviu-se no Observador um jovem a aconselhar os seus demais a dar corda aos sapatos para longe do Eden do chefe do comissário Adão, ao que se acrescenta:
quando estiveram no aeroporto a fugir desta miséria não chorem de   saudade, chorem de alegria por partir para longe de governantes deste calibre e dos boys criativos que ajudam a parir estes cartazes.

Fujam, caralho!
Imagem de perfil

De O apartidário a 23.05.2023 às 11:04

Claro, e apontar o facto de  que certos países do leste(que entraram depois de nós na UE) nos ultrapassaram na economia é (segundo afirmou o inquilino de S.bento)  inveja dos outros que fazem melhor que "nós"(leia-se desgoverno nacional).
Imagem de perfil

De O apartidário a 23.05.2023 às 11:06

Vivemos num pântano Sis-temático. 

https://visao.sapo.pt/opiniao/ponto-de-vista/linhas-direitas/2023-05-22-as-banalidades-do-sis/

OServiço de Informações de Segurança (SIS), apesar do nome pomposo, faz e trata de coisas corriqueiras. Banalidades, por isso. Tarefas sem importância. Foi como o primeiro-ministro viu a atuação da secreta no caso do computador. É capaz de ter razão. Se o SIS não tem nenhuma importância, então para que serve o Serviço de Informações da República (SIRP)?
Sem imagem de perfil

De Alexandre N. a 23.05.2023 às 14:45

Não sei se já viram, mas estes tempos são muito parecidos aos da primeira república.
Portugal está a precisar de sangue novo, enquanto os viventes do Maio de 68 estiverem nos círculos de poder, isto não vai passar da cepa torta.
Sem imagem de perfil

De anónimo a 23.05.2023 às 20:31

Quanto orçamento derrapado e dívida acumulada é que o seu  "fazer cidade" nos custou?



"Fomos invadidos pela letargia socialista". Certo. Mas a letargia vem de longe e não foram as estimulinas do pseudo-desenvolvimento cavaquista (alcatrão, betão e corrupção) a alternativa desejável.
Sem imagem de perfil

De anónimo a 24.05.2023 às 11:40

Ali prós lado do Largo do Rato garantem-nos que temos o melhor PM desta união eutopeia. Escolheram-no, cuidadosamnte, para benefício de todos os portuguêses, alguns dos quais se comportam como uns mal agradecidos.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 24.05.2023 às 15:38

Mais outra grande conquista socialista

https://www.bbc.com/news/world-africa-65671718



Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D