Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Casamento e divórcio à esquerda

por Vasco Mina, em 31.10.15

Pacheco Pereira escreve hoje, na sua habitual coluna no Público, um texto notável sobre aquilo a que o próprio se refere como sendo o casamento e divórcio à esquerda. Defende as vantagens de um acordo entre PS, PCP e BE e enquadra-o politicamente numa perspetiva que ainda não consegui ler ou ouvir por parte de qualquer dos representantes daquelas forças políticas. Mais, a fundamentação do casamento à esquerda é hoje, brilhantemente, apresentada por Pacheco Pereira que assim se torna numa espécie de teórico desta inédita coligação. Pode discordar-se (e eu discordo) da abordagem política e de alguma da sua argumentação mas é notável a construção da fundamentação política de suporte a esta alternativa de esquerda. Mas com a mesma lucidez e profundidade políticas a que nos habitou desde há muito, alerta para os perigos do divórcio que a acontecer “ será muito mais gravoso e penoso”. Vai até mais longe com um recado para o PCP: “se entram numa solução deste tipo (a de um entendimento das esquerdas), têm que dar, neste caso ao PS, alguma margem de manobra para fazer o equilibrismo financeiro que é necessário para cumprir, sem qualquer zelo, o Tratado Orçamental, antes de haver alguma negociação que o modere”. Talvez Pacheco Pereira não tenha escutado a entrevista de Jerónimo de Sousa à SIC (ocorreu quase à mesma hora da Quadratura do Círculo” em que afirmou que “o problema não está no erro, está em persistir no erro. Obviamente que nós não fazemos isso [respeitar o Tratado Orçamental]”. Hoje, no DN, é a vez de António Filipe afirmar que "Governo de esquerda? Para já, chame-lhe um governo do PS…”

Como diria o Senhor de La Palice, só há divórcio se houver casamento e este ainda está na fase do namoro e pelas declarações dos dirigentes do PCP a solução passará por cada um ficar em sua casa juntando-se ao fim de semana. É a união moderna de muitos casais e é este o caminho desejado por um dos pares. Assim, não haverá divórcio pois não acontecerá um verdadeiro casamento. As consequências desta espécie de casamento alternativo estão bem descritas no artigo incontornável do Pacheco Pereira.


3 comentários

Sem imagem de perfil

De joaquim a 31.10.2015 às 13:57



Mas o Pacheco Pereira não é ou era PSD. Será que é PSD a moda do PS como nos cozinhados
Sem imagem de perfil

De anonimo a 31.10.2015 às 20:00

Este casamento nem chega a divórcio. Vai ser levado pela mão de D. Torgal ao Papa Francisco para ser anulado por falta de consumação. Vai ser só gente progressista a tratar do assunto. Sem capacidade de consumação, mas seguramente progressista.
Sem imagem de perfil

De campus a 02.11.2015 às 16:32

Isto não é um casamento, é um ménage à trois. De qualquer maneira um excelente artigo do Pacheco, espero que alguém note que está desesperadamente a oferecer-se para uma candidatura presidencial de toda a Esquerda.
D

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D