Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Boa ciência, má informação

por Jose Miguel Roque Martins, em 12.10.21

Captura de ecrã 2021-10-12, às 10.36.25.png

 

 

A atribuição do Nobel da economia ao Professor David Card, para além de justa e merecida, vai ser mais um prego no caixão da objectividade.

Entre numerosas contribuição importantes, Card estudou empiricamente os efeitos da evolução do salário mínimo nos níveis de desemprego. Confirmando o que a teoria económica estabelece: em determinadas e muito particulares circunstâncias, aumentar o salário mínimo, não conduz necessariamente a menos emprego.

Essas circunstâncias são a excepção, não a regra. Em Portugal, por exemplo, estamos muito longe de qualquer situação, em que o aumento do salário mínimo não afecte o desemprego, como aliás já está a acontecer há dois anos.  

Não importa: dos grandes títulos, como o apresentado, sai o reforço de convicções erradas e nocivas. Da excepção se faz a regra. Da boa ciência, má informação.

 



14 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 12.10.2021 às 11:13

Quase ninguém vai para jornalismo para fazer informação. 
Vão sim para pregar a sua moral. São Padres.
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 12.10.2021 às 11:38

Se não houvesse salário mínimo havia escravatura. É só pôr os olhos nas "empresas de sucesso" dos países do terceiro mundo. Quem viveu com senhas de racionamento é que pode aquilatar bem o que é a justa distribuição da riqueza aos olhos dos empresários modernaços.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.10.2021 às 16:19

OLHE QUE NÃO! OLHE QUE NÃO! 
A DITADURA DO ESTADO É QUE É DITADURA, TRANSFORMANDO TODOS EM ESCRAVOS. 
Sem imagem de perfil

De The Mole a 13.10.2021 às 10:12


"Se não houvesse salário mínimo havia escravatura."
Assim como na Dinamarca, Finlândia, Austria, Suécia? ... países (entre outros) sem salário mínimo nacional.
Sem imagem de perfil

De balio a 12.10.2021 às 14:12


"The overall conclusion is that the negative effects of increasing the minimum wage are small, and significantly smaller than was believed 30 years ago."



em


https://www.nobelprize.org/prizes/economic-sciences/2021/popular-information/


Está-me a parecer que o autor do post continua a utilizar teoria (pura!) económica ultrapassada...


Como sempre em ciência, quem usa somente teoria tem boas probabilidades de errar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.10.2021 às 15:43

O que ali se diz é que os efeitos são menores do que se pensava; no título da notícia, não referem que são menores, mas que não existem.
Quem pagará ao balio para andar por aqui a defender o nosso actual governo?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.10.2021 às 15:52

Caro Balio 


Não foi por acaso que referi que as circunstancias importam. Em algumas situações um aumento de salario minimo não aumenta o desemprego. Na maioria das vezes acontece exactamente o contrario. O proprio autor, assim o reconhece ( Bem como quase todos os economistas) . 
Pessoalmente conheço os efeitos do desemprego causado por aumentos do salario minimo que se têm verificado nos últimos anos. 
A tentação de saber mais do que o mercado, normalmente produz isto mesmo: pobreza. O que ainda por cima seria evitável, já que é possível atingir os mesmos objectivos com outras políticas. 
Por absurdo, apenas para ilustrar, imagine-se que se aumenta o salario minimo para 1500 euros. O que pensa que iria acontecer? 
Por que pensa que temos um desemprego de mais de 7%? 
Sem imagem de perfil

De balio a 13.10.2021 às 12:29


Por que pensa que temos um desemprego de mais de 7%?


Não é por causa do salário mínimo, certamente.


É em grande parte porque os desempregados não querem aceitar as ofertas de trabalho existentes, dado os salários oferecidos serem muito baixos em face da dureza do trabalho.


Por exemplo, aparentemente nas estufas em Odemira não faltam ofertas de emprego. Porém, somente indianos as aceitam, portugueses não. Porquê? Porque para os portugueses o salário oferecido é demasiadamente baixo para compensar.


Atualmente em muitas terras portuguesas há falta de trabalhadores. Há oferta de emprego, porém os desempregados não aceitam as ofertas. Em boa parte, porque o salário oferecido é tão baixo (e o trabalho a fazer é tão duro) que não compensa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.10.2021 às 17:50

Caro Balio 


deixe-me indicar o que penso serem dois equívocos seus: 


1)  nos casos que aponta, a falta de trabalhadores ( odemira, agricultura), o problema não está no ordenado minimo.  Os empregadores, que precisam de trabalhadores, não precisam de dar só o salario minimo. Podem dar mais. Só não dão porque não lhes compensa. Aumentar o salario minimo, nada resolve. Só poderá fazer com que outros trabalhadores possam ficar eventualmente desempregados. 
2) O desemprego em Portugal está muito focado em trabalhadores indiferenciados, aqueles que normalmente ganham o salario minimo. Haverá Doutorados desempregados. Mas os números são insignificantes. A grande massa, é aquela que não encontra emprego formal, porque não há interesse dos empregadores em pagar esse valor. 
Como lhe disse, em Portugal, com as nossas circunstancias, o aumento do salario minimo provoca desemprego de forma grave, já há mais de um ano. Sei por experiencia direta e pela observação de muitos casos particulares. 
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 13.10.2021 às 18:18


"Não é por causa do salário mínimo, certamente."



É certamente. 
Conheço uma data de pequenas e medias empresas onde contratar alguém só com muito cuidado, muito ponderado e se há alguma dúvida é preferível não aumentar a produção e recusar trabalhos.
Sem imagem de perfil

De balio a 13.10.2021 às 12:24


Há um argumento segundo o qual um aumento do salário mínimo pode fazer DIMINUIR (e não aumentar) o desemprego.
Há desempregados que não podem aceitar ofertas de emprego porque o salário oferecido é tão baixo que não compensa os custos - de arrendar uma casa perto do local de trabalho, ou de se deslocar para lá, ou de contratar uma ama para tomar conta de um filho, etc.
A partir do momento em que o salário mínimo é aumentado, as ofertas de trabalho tornam-se mais compensadoras para os desempregados, que podem passar a aceitá-las.
Este problema existe e é muito real em Portugal, onde frequentemente os desempregados se encontram numas regiões, e as ofertas de emprego noutras. Os desempregados não aceitam as ofertas de emprego porque alugar casa na zona onde há trabalho não compensa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.10.2021 às 17:42

Caro Balio 
Há até melhores argumentos do que o seu que justificam que , em certas situações, aumentar o salario minimo aumenta o emprego. Por exemplo numa crise de liquidez, numa depressão causada por uma procura retraída. Tal como lhe disse, existem casos em que aumentar o salario minimo é virtuoso. São é pouco, raros e estão muito longe do que vivemos hoje em Portugal







Sem imagem de perfil

De pitosga a 15.10.2021 às 15:33

Chiça que o tipo pensa que é bom
Sem imagem de perfil

De pitosga a 15.10.2021 às 15:35

Dar troco ao de Leça é o que ele quer para se babar mais.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Nuno

    Pelo menos foi honesto quando disse que não contas...

  • Anónimo

    Compete ao Estado zelar por nós, dizem. Mas, e se ...

  • Anónimo

    Tempos difíceis se aproximam e o Costa põe o corpi...

  • Anónimo

    https://blasfemias.net/2021/10/26/vai-se-a-ver-a-c...

  • Anónimo

    Subscrevo. Um período de má memória que vai deixar...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D