Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Bestas quadradas

por henrique pereira dos santos, em 24.07.19

O título deste post é o título da crónica de ontem de Miguel Esteves Cardoso.

"É um choque descobrir que um acto humano de bondade básica - dar de comer a animais na rua - é proibido. ... O PAN decidiu tentar acabar com esta proibição não só porque é imoral e cruel e desumana, mas porque não faz sentido o esforço enorme que tem sido feito para esterilizar gatos de rua que assim podem continuar a viver em colónias".

Confesso que, para mim, é um choque ver pessoas cultas, informadas e cosmopolitas ignorarem o acto humano de humanidade básica que consiste em proteger os mais frágeis de doenças transmitidas e das agressões físicas provocadas pelas colónias de gatos, dos bandos de pombos, das nuvens de gaivotas, das matilhas de cães, para além de recusarem a protecção mínima que um bom coração humano dispensa aos pássaros e as lagartixas e as borboletas condenadas a ser estraçalhadas por garras dos gatos.

Quem se quiser documentar, pode ir à Caparica visitar as milhares de gaivotas que esperam pelos restos dos pescadores, ou o bando de gatos de tornou a entrada da Mata da Machada num deserto faunístico, ou à Fonte da Telha visitar a matilha de vinte ou trinta cães selvagens a que a Câmara de Almada não consegue dar destino porque tem os canis cheios da bondade que proíbe o seu abate, uma espécie de bomba relógio à espera de um ataque mais severo da matilha a quem por ali passe.

Ou pode informar-se em estrangeiro, se preferir: "They estimate that cats in the UK catch up to 275 million prey items a year, of which 27 million are birds" (Ler mais aqui)

E ignorarem a básica bondade humana que consiste em proporcionar aos filhos espaços públicos de qualidade e não esterqueiras que alimentam ratos.

E ignorarem a bondade humana básica que consiste em apreciar o desenvolvimento de sistemas naturais equilibrados, incluindo lagos com vegetações marginais diversas com espécies diferentes explorando nichos ecológicos diferentes, em vez de construir um mundo desertificado pelo excesso de patos mudos alimentados pelo milho trazido pelos bondosos que têm imensa bondade pelos patos que alimentam, e zero de empatia pelo mundo que nos rodeia.

Nesta história talvez devamos ter um longa conversa sobre quem são de facto as vítimas da bondade sem razão e conhecimento, e depois fazer o balanço de perdas e ganhos da alimentação de animais vadios.


6 comentários

Sem imagem de perfil

De EMS a 24.07.2019 às 23:18

"E ignorarem a bondade humana básica que consiste em apreciar o desenvolvimento de sistemas naturais equilibrados, incluindo lagos com vegetações marginais diversas com espécies diferentes explorando nichos ecológicos diferentes, em vez de construir um mundo desertificado pelo excesso de patos mudos alimentados pelo milho trazido pelos bondosos que têm imensa bondade pelos patos que alimentam, e zero de empatia pelo mundo que nos rodeia."


Pois, Henrique, a monocultora do eucalipto é que é boa. Aquilo é que é a verdadeira diversidade ecológica.
Felizmente são os malandros dos patos e dos gatos que ardem todos os Verões.
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 25.07.2019 às 09:50

Não percebi o comentário nem a sua relação com o post

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D