Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Balido dos Culpados

por José Mendonça da Cruz, em 08.08.18

Ouviste o que disse o pastor, ovelha? Monchique confirma o sucesso. Arderam mais de 20 mil hectares, arderam casas e carros, mas não importa, é uma exceção, foi um sucesso. Não viste o pastor nutrido apontando o mapa no ecrã, garboso e ativo no domicílio de férias, no comando do teu destino? Viste? O sucesso foi ele. Diz que amas o pastor, ovelha, prova que o amas verdadeiramente. Bale agora, ovelha:

«Méééééééééééééééé»

Foste tu, acaso, ovelha, uma das que foram arrancadas a uma casa em Monchique (por vezes, 5 vezes -- ou 100, ou nenhuma, é a mesma coisa --, como uma família irlandesa) e metida num redil, não fosses arder como os 100 de Pedrógão? Dobra as mãozinhas em vénia, ovelha, faz o que te mandam, como votaste e gostas. Recolhe. Que importam a tua casa, as tuas árvores centenárias,o teu carro, as tuas alfaias, a tua fabriqueta sem importância, as tuas coisas, as tuas fotografias e recuerdos. Essa treta leva-a o vento, nem fica rasto de notícia nos media de reverência. Mas se ardesses, como os de Pedrógão, já não havia exceção nem sucesso, até a reverência dos media lá teria que ficar brevemente (o mais brevemente possível) posta entre parêntesis. De maneira que agradece, ovelha. Vá, fala:

«Mééééééééééééééé»

Mas terás tu, por absurdo, ovelha, alguma desconfiança, algum reparo sobre o descontrolo de Monchique, quererás tu aventar, ovelha, menoridades sobre a total desorientação dos bombeiros, as constantes rajadas de informações contraditórias -ora apaga, ora descontrola -, os gastos desvairados e inconsequentes, ou a geral falta de competência? Ingrata ovelha! Não ouviste o ministro Cabrita? Não sabes quem é o Cabrita? Mas tu aplaudiste-o, ovelha, já o aplaudes há tanto tempo, hás de lembrar-te dele, o homem de confiança de José Sócrates (como o Costa, os dois Silvas, o Campos, o Pereira, enfim, o governo todo) para a campanha do Magalhães, essa bugiganga qu o grande vendedor da banha enfiou pela garganta de escolas e famílias, com grande lucro e contentamento de uns amigos que tinham uma fábrica de computadores e hão de ter lucrado, sem comissão para o vendedor, é claro. Isso, o Cabrita! Esse! E não ouviste o que este teu sub-pastor querido disse? Disse que não se critica! Chiu, ovelha, agora, é calar a boca! Agora é tentar apagar o fogo (que nunca mais se apaga, raios partam!) Boca calada, portanto, ovelha. Mas antes de calar a boca, a tua saudaçãozinha, ovelha:

«Méééééééééééééééééé»

E quando o tempo apagar o fogo, ovelha, agradece ainda, ovelha. Agradece o caos no Serviço Nacional de Saúde. (E agradece conjuntamente o fato de os media falarem disso o menos possível, não como no tempo do odioso anterior governo; os media fazem isso para teu bem, ovelha, são teus familiares, ovelha, não querem apoquentar-te). Agradece o estado comatoso de INEM e 112 (e agradece que os media não te aflijam com notícias de partos em ambulâncias ou pessoas de 137 anos que, salvo erro, foram vítimas do anterior governo). Agradece que os comboios não andem, agradece que haja menos comboios nas linhas onde são mais necessários, agradece que não haja comboios nenhuns onde a CP gere camionetas. Os comboios são sucata ou não existem, mas são teus. Que querias, ovelha, comboios a funcionar e a horas para encherem os bolsos dos horrorosos privados? E agradece a emigração, que bateu recordes este ano (e agradece que os media não vejam, nem ouçam, nem cheirem a coisa, senão iam pôr-se numa choradeira como no tempo do anterior governo, a cada vez que algum jovem profissional talentoso decidia que valia mais que isto, ovelha).

Aplaude agora, ovelha, agradece outra vez, ovelha:

«Méééééééééééééééééééééééééé»

E agora, ovelha, faz como os media de reverência: diz que foram os incendiários, diz que foi o anterior governo, diz que foi o Trump, diz que foi a União Europeia, diz que foram os eucaliptos, diz que é pior na Califórnia, diz que foi um tornado, diz que é o aquecimento, diz qualquer coisa reverente, diz como dizem os media de reverência:

«Mééééééééééééééééééééé»

Autoria e outros dados (tags, etc)



2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.08.2018 às 01:16

desde novembro do ano passado que o pechisbeque que guia a geringonça diz aos que lá vão dentro: em 2018, pode arder o país todo, pode ter que se mandar toda a gente para a Madeira e para os Açores, ou até para Espanha, mas não pode haver nem um morto nos fogos. E só pode haver fogo no Sul porque o resto do país já se foi. Nesta data, o objectivo do pechisbeque está a ser conseguido. Ah ganda sucesso! Mééééé
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.08.2018 às 15:36

Mééééééééééééééééééééé´!!! ...puf....

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Aurélio Buarcos

    Depende do animal.O sangramento foi utilizado dura...

  • JOTAPA

    Considerando que, na altura, a corrida ao espaço e...

  • Anónimo

    Há 50 anos o homem foi à lua a actualmente a human...

  • Anónimo

    Eu comparo a ida do homem à lua com os factos rela...

  • MAR!

    há cinquenta anos eu nem sequer planeada era! ma...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D