Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Até onde se dobram as espinhas

por José Mendonça da Cruz, em 27.01.21

As televisões «informam-nos», hoje, de que não foi o oxigénio que faltou no Amadora-Sintra (uma PPP que o governo socialista «reverteu», com os resultados que se veem). Não, não faltou oxigénio no Amadora-Sintra, «informaram» sic e tvi, foi apenas um excesso de doentes a necessitar dele para sobreviver. Compreenderam?

Ainda assim, não vá ficar nódoa no andrajoso pano do governo, não vá faltar a este um coro de elogios, José Alberto de Carvalho precipita-se para o hospital de São José para «informar» sobre a ampliação da capacidade: tem agora mais 4 camas 4. E mais relembra o Carvalho, que «um Covid gasta o oxigénio de 10 pessoas com pneumonia» (mau Covid, culpado de o ser e perdulário!).

Quem ainda não tinha reparado pode, portanto, tomar nota : tendo que optar entre o bem-estar do governo socialista e a própria vida dos portugueses esta espécie de gente fará tudo pelo bem estar do governo. Esta gente não conhece limite para o dobrar da espinha, nem tem abjecção a que não desça. Quando esta espécie de gente vier proclamar as virtudes democráticas da «informação» que pratica vale a pena mandá-la às partes que vos ocorram.



12 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.01.2021 às 21:06

Dejectos em forma de gente. Metem verdadeiro nojo.


JSP
Sem imagem de perfil

De João Brandão a 27.01.2021 às 21:34

Ainda tem estomago para escrever o nome desses vermes?


Por mim, denomino-os de outras maneiras ...
Sem imagem de perfil

De voza0db a 27.01.2021 às 22:39


Claramente quantos mais forem assassinados MELHOR será a recompensa...


Até agora a Chacina Marcelista está a correr maravilhosamente bem... Ainda bem que lhe renovaram a Carta de Caçador Mor da Farsa República.


https://voza0db.livejournal.com/12736.html
Imagem de perfil

De olhosqueleem a 27.01.2021 às 22:49

Caro José,
Gosto da sua escrita, da critica mordaz e realista....cada um de nós tem que separar o trigo do joio, porque o que se passa todos os das neste pais é de bradar aos céus e depois colmatamos a falha do oxigénio no Amadora Sintra, com o ridículo de haver mais 4 camas disponíveis....noutro hospital.
Todos os recursos são bem vindos, mas fazer uma grande notícia (ou ele pensa que fez) pelo motivo exposto é ridículo. Não fica bem, não é notícia, não é nada.
Virtudes democráticas? Ou o tipo é um incompetente ou prometeram-lhe algum lugar no governo, o que também não me espantaria nada.
Cumprimentos,
Ana
Imagem de perfil

De olhosqueleem a 27.01.2021 às 22:52

[errata] linha 2 ...o que se passa todos os dias ...nestes país.
desculpas a todos os leitores.
Perfil Facebook

De Marques Aarão a 28.01.2021 às 08:15

Se calhar até merecemos o governo que temos, mas mais insuportável é o curvado e repulsivo jornalismo de unhas untadas.
Sem imagem de perfil

De voza0db a 29.01.2021 às 13:33

"Se calhar"?!?!
Sem imagem de perfil

De Jota a 28.01.2021 às 09:46

Os telejornais e informação da TVI têm sido miseráveis...
Sem imagem de perfil

De balio a 28.01.2021 às 11:33


Não vejo qual é o escândalo. Faltar oxigénio é como faltar camas, ou faltarem enfermeiras, ou faltar outro recurso (físico ou humano) qualquer, para tratar um número inesperadamente alto de doentes.
É natural que, estando a acorrer aos hospitais da área de Lisboa um número inesperadamente alto de doentes (e de muitas outras pessoas que julgam que estão doentes mas somente têm maleitas ligeiras), se registem faltas súbitas de diversos recursos.
Nenhum hospital pode ter um número altíssimo de camas, enfermeiras, oxigénio, etc para atender uma qualquer situação inesperadamente alta que surja.
É normal que haja falta de oxigénio nalguns hospitais, tal e qual como noutros hospitais há falta de camas e noutros hospitais há falta de enfermeiras.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.01.2021 às 15:06

Compreendo-o, HPS! 
Faz muito bem em expor como pensam os Balios desta vida.
E votam, Santo Deus! E votam...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.01.2021 às 18:31

Desculpe, José Mendonça da Cruz, pelo meu lapso (troquei o nome da sua distinta pessoa pelo de outro também ilustre colaborador desta casa).
Sem imagem de perfil

De Carlos Guerreiro a 29.01.2021 às 13:50

Se não havia oxigénio para os doentes tecnicamente faltou oxigénio, mas neste caso existia oxigénio suficiente nos depósitos , falhou o sistema de fornecimento. O que aconteceu foi que aumentou muito o consumo de oxigénio e o sistema de abastecimento não tinha capacidade de fornecer esse volume de oxigénio pelo que o sistema colapsou. O sistema para funcionar com segurança necessita de ter uma determinada pressão, se o consumo for superior à capacidade de fornecimento a pressão vai baixar. que foi o que aconteceu.
Isto é apenas mais um sinal da falta de planeamento da ministra Temido, mas o criminoso é falar na falta de planeamento e não a falta de planeamento em si.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Elvimonte

    Quer a literatura científica, quer a evidência emp...

  • Anónimo

    De salientar que é sabido e conhecido que os subsc...

  • Anónimo

    E vê alguma crítica? Vê, ouve ou lê alguma notícia...

  • Anónimo

    HPS, ouvindo isto:https://observador.pt/programas/...

  • Anónimo

    HPS,agradeço a colocação no tempo do vídeo que des...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D