Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As perigosas crianças do BE

por Corta-fitas, em 07.04.17

be-arruada.jpg

A agremiação do BE é um fenómeno que espelha bem um certo tipo de diletantismo que invadiu a sociedade portuguesa. Vida facilitada, com poucos constrangimentos do género “levar filhos à escola”, com acesso abundante a informação processada na mecha e a muita oferta cool disponível por aí, esta desarranjada mole urbana permite-se emitir doutrina à velocidade dos acontecimentos. Na abundância destes com a arrogância daqueles medra um imenso ruído e confusão que serve bem o diletantismo de quem ousa tudo julgar sem nada ter de provar, o que, aliado à condescendência como são tratados, resulta num grupo demasiado curto no argumento e excessivamente largo no berro. A desvinculação na prestação de contas e correspondente falta de escrutínio que aos outros se exige não é mais do que a zona de conforto onde o BE respira.

Assim como certas crianças urbanas mal-educadas a quem tudo se permite, não é de estranhar que o tom arrogante e estridente de que o bloquista se socorre sejam o seu norte, pois que à escassez de Nãos (não vá o petiz traumatizar-se) por oposição abundam infinitos Sins. Para tentar acalmar o rebelde, mesmo que fugazmente, há que o fornecer com muitos brinquedos e satisfazer todos os seus caprichos sempre que a reclamação emirja. Como resultado, a malta do Bloco, como qualquer ser a quem pouco se exige e tudo pode, moldou-se para a satisfação do imediato e efémero, olhando para o “sistema” que o criou mas que ele desvaloriza como um pote sem fundo que deve estar sempre disponível para saciar o apetite do momento, ainda que este esteja em conflito com as melhores prácticas ou com o desejo da maioria. No fundo o bloquista é uma criança estragada.

O momento de ouro do BE já foi. Corria o ano de 2015 aquando da vitória do Syriza e a grande ascensão do Podemos. Aquela imagem de Marisa Matias na primeira fila da grelha a bater palmas a Tsipras quando este entrava em palco aquando da aparição após a sua vitória nas eleições de 2015 simbolizava para o BE o início de uma nova era que afinal não o foi: submeter as decisões dos crescidos à vontade das crianças. Perdendo um aliado de peso, e vendo o outro mesmo aqui ao lado perder gás e representatividade, o BE tarde percebeu que só fora do Euro terá espaço para respirar e poder brincar às revoluções. E é aqui que o BE pode ser perigoso.

Como na transição de um adolescente para a vida adulta se desembrulham algumas questões, é incontornável saber agora se o BE se syriza ou se bloqueia? E o BE já respondeu, bloqueia-se. Por ter visto que a Europa não cedeu ao Syriza e que este cedeu, logo interiorizou que dentro da zona Euro nunca poderá dar largas aos seus dislates. Só com escudos e máquinas que os possam imprimir a seu bel-prazer o BE tem futuro no recreio a que se destinou, tendo até já consultor no Banco de Portugal para o efeito.

Até à geringonça o BE tinha o seu raio de acção muito limitado, mas agora tem influência significativa no orçamento. Lá encontra-se de tudo numa pérfida união de interesses. Para além destas crianças que se estão nas tintas para o défice, encontramos os ilusionistas do PS que procuram maquilhá-lo o melhor que podem para não seguirem o caminho do PSOE e PASOK, passando pelos jurássicos do PCP que há muito só querem o escudo e que só se preocupa com os redutos sindicalistas mais arcaicos de que se alimenta. É nesta união egoísta e estroina que o BE pode fazer valer o seu objectivo. Por isso a geringonça serve o BE na perfeição, por isso o BE se agacha a tudo a que outrora berraria. E é por isto o BE pode ser perigoso. A tudo está disposto para sairmos da zona Euro.

 

Pedro Bazaliza

Convidado especial

 



Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • voza0db

    O Roque preocupado com o que se passa na China é m...

  • Anónimo

    https://www.publico.pt/2020/01/27/mundo/noticia/ch...

  • Vasco M. Barreto

    Caríssimo, Tendo em conta que passa a vida a escre...

  • Anónimo

    Ignorância, estupidez e dor-de-corno, deve ser a l...

  • Anónimo

    u já venho a escrever há muitos dias que após Hong...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D


    subscrever feeds