Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As falácias de Louçã (I)

Resumo

por Jose Miguel Roque Martins, em 26.07.21

 

 

Quando o Cidadão Louçã escreve, nunca o faz sem propósito e aparentemente sem honestidade. A desconstrução da realidade e da história é a sua especialidade. Mesmo que tenha que recorrer, sob a capa de um aparente conhecimento científico, á omissão, descontextualização, distorção e a saltos ilógicos.

O Expresso, mais uma vez, presta-se a ser o veiculo de difusão de pura propaganda de um dos mais insidiosos, perigosos  e subversivos demagogos do universo Português. Ventura, embora esteja longe de ser analfabeto,  é propositadamente básico, táctico, caixa de ressonância e trauliteiro.  Louçã é elaborado,  estratégico, manipulador e venenoso.

Sob o titulo “ A traição dos liberais”, desenvolve um “ensaio” do fantástico sobre o liberalismo. Um ataque ou um eventual teste de uma nova abordagem do bloco de esquerda: já não serão apenas sociais democratas, provavelmente serão os representantes do verdadeiro liberalismo. A angustiada procura de novas vestes da esquerda radical, obriga a estranhas e extraordinárias revoluções. E o pequeno sucesso da IL, tem que ser anulado e capitalizado.

Há uma primeira ideia forte. Existem os liberais “bons”, que foram esquecidos e pertencem ao passado e os liberais maus, que são a única expressão do liberalismo no ultimo século, resumindo, os liberais.

A simples aceitações que há liberais bons, é aparentemente um extraordinário salto no pensamento político de um bloquista. Afinal, qualquer liberal ( bom ou mau)  é, por natureza e definição, um antimarxista  e antitrotskista! Mas o que não se pode combater, pode aproveitar-se, corromper-se, distorcer-se, desvalorizar-se, transformar-se.

Os liberais bons, defendiam o voto das mulheres, a democracia, políticas sociais., uma forte intervenção do Estado na Economia. O mais lúcido, advogava até a nacionalização dos meios de produção, ou pelo menos a terra.  Os liberais de carne e osso, exactamente o oposto, já que foram, segundo Louçã,  cooptados, quando não comprados, pelos demoníacos conservadores, tal como também aconteceu com os maus socialistas e comunistas.

Os liberais bons, que também estão na minha galeria de personagens ilustres, arriscam-se a ser entronizados. Da pior forma, porque se arriscam a ser usados para justificar o comunismo, que doravante poderá ser eventualmente conhecido como liberalismo pragmático.  Os outros grandes liberais, que também tanto respeito me merecem, afinal são feios porcos e maus. Como eu.

Numa peça épica de contorcionismo e demagogia, Louçã volta a atacar. Um mestre da falácia. Não há mentiras a apontar. Mas com a verdade engana que se farta. 

O que obriga a uma divulgação pausada dos argumentos que tornam o seu ensaio, numa obra superlativa do burlesco, do fantástico e do horror. Que Lenine teria aplaudido enternecido.

 

 

( a continuar)



1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.07.2021 às 13:54

estaline in Jornal "Pravda (https://www.marxists.org/portugues/dicionario/verbetes/p/pravda.htm)" ("A Verdade"), nº. 269, 26 de novembro de 1924

Camaradas:

Pouco me resta dizer depois do detalhado informe de Kamenev (https://www.marxists.org/portugues/dicionario/verbetes/k/kamenev.htm). Limitar-me-ei, portanto, a acabar com algumas lendas propaladas por Trotski (https://www.marxists.org/portugues/trotsky/index.htm) e pelos seus correligionários sobre a insurreição de Outubro, sobre o papel desempenhado por Trotski na insurreição, sobre o Partido e a preparação de Outubro etc. Ademais, falarei do trotskismo, como uma ideologia peculiar, incompatível com o leninismo, e das tarefas do Partido em relação com os últimos escritos de Trotski (https://www.marxists.org/portugues/trotsky/index.htm).

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não é preciso perder tempo com essas questões _ me...

  • Anónimo

    Esta corte pomposa de pedantes pensa sempre em gra...

  • Anónimo

    Em Portugal é na base "olha para o que eu digo e n...

  • Francisco

    A dificuldade em construir ciclovias dentro das ci...

  • Anónimo

    "Não quero emitir julgamentos sobre sistemas de ou...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D


    subscrever feeds