Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Alergia á realidade

por Jose Miguel Roque Martins, em 15.02.24

Enquanto os bem-pensantes e os partidos do centro se recusarem a olhar para a realidade, o Chega vai estar por aí.

As notas dos comentadores aos últimos debates são quase uniformes: André Ventura perde em toda a linha. O problema é que as votações populares não acompanham as analises. Um divorcio entre a “realidade” e a percepção do Povo.

Não me revejo minimamente no Chega, uma manta de retalhos sem norte nem substância, uma onda de protestos sem soluções. Mas que tem bandeiras poderosas tem, caso contrário não seria hoje a 3 força política, aparentemente em grande ascensão.

Será que o estado da justiça não é mesmo uma calamidade em que ricos e poderosos nunca serão condenados? Será que não há limites para os recursos e outros expedientes de má-fé a pretexto dos direitos liberdades e garantias de acusados? Será que prisões preventivas de 21 dias são equilibradas? Será que justiça tardia continua a ser justiça? Será que não há nada a fazer? Será que não tem que existir uma reforma profunda que não acontece e a que os partidos de bem não parecem atribuir uma necessidade premente? O que fazem PS e PSD nas ultimas décadas?

Será que a corrupção, que sempre existiu e irá continuar a existir, não merece, pelo menos, a perspectiva de que, quando identificada, possa ser punida exemplarmente, como forma de dissuasão? É o que temos? O que fazemos para alem de rasgar as vestes?  

Será que os muitos que protestam contra a imigração de estrangeiros (no meu entender tão necessária), não têm direito a um modico de razão quando lhes parece existir desordem, trafico de pessoas e pretendam que exista uma política de emigração com algumas regras conhecidas? Será que, mesmo que o problema não tenha a gravidade percepcionada, não merecem esses cidadãos o conforto de uma resposta publica, mesmo que seja um placebo, que os tranquilize?

Será totalmente infundada a convicção que demasiados etnicamente ciganos, que mantêm a cultura cigana, mantêm todos os seus direitos, mas não cumprem todas as suas obrigações e deveres, num clima de impunidade prática que não se aplica aos outros cidadãos? 

Será que uma verdadeira segurança publica, pode conviver com a actual definição de brutalidade policial que leva policias para a prisão, porque disparam contra bandidos em fuga, matando uma criança fechada num porta-bagagem?

Será que as pessoas realmente consideram que os problemas de género, de racismo, de culpas históricas, de fantasmas fascistas são aquilo que mais as deveriam preocupar, como aparentemente parece, no mundo mediático?

O Chega aproveita grandes falhas, as incapacidades do regime, problemas que nem são assumidos como problemas reais e a que os grandes partidos não dão resposta. Soma a incapacidade que o PS demonstrou nos últimos 8 anos na saúde, na educação, na habitação, na economia, sobretudo por questões ideológicas, junta promessas fantásticas e obtém um capital político imenso que se traduz em votos.

Se nos quisermos livrar do Chega, não vale a pena chamar-lhes fascistas. Basta olhar para a realidade, assumi-la, dar-lhe soluções e esvaziar as grandes razões de protesto. É o que começa a acontecer por essa Europa fora, da esquerda à direita moderada no combate ao radicalismo populista. Por cá, somos sempre alérgicos à realidade, à acção e a solucionar os problemas. Ou talvez apenas incompetentes. 


20 comentários

Sem imagem de perfil

De IMPRONUNCIÁVEL a 15.02.2024 às 12:17

A realidade é, que até ao momento, ninguém sabe se ganha ou perde.
Sem imagem de perfil

De O Moreira a 15.02.2024 às 13:31

Subscrevo! A hipocrisia dos partidos do regime, com PS e PSD à cabeça, é que faz a revolta medrar. Estes casos de justiça mais recentes são o mais flagrante exemplo disso: perante a gravidade dos factos, o "regime" assobia para o ar e recusa reformar-se. Que opção resta ao eleitor? Votar em protesto, naturalmente...o contrário é que seria estúpido. 
Imagem de perfil

De zé onofre a 15.02.2024 às 13:44

Boa tarde, João M R Martins
"Ou talvez apenas incompetentes."
Ou talvez os partidos do Centro lutem tanto pelo poder que se esquecem de Governar.
Ou talvez um povo tão desinformado que não enxerga que promessas leva-as o vento.
Ou talvez um povo tão desinformado que pensa que só há Porto e Benfica (mais a norte), ou Sporting e Benfica (mais a sul).
Ou mau trabalho dos órgãos de comunicação que são caixas de ampliação de
quem "lhes paga" do que de informação.
Tantas razões. 
Zé Onofre 
Imagem de perfil

De O apartidário a 15.02.2024 às 13:57

"Se nos quisermos livrar do Chega, não vale a pena chamar-lhes fascistas. Basta olhar para a realidade, assumi-la, dar-lhe soluções e esvaziar as grandes razões de protesto"  --------------------------- Ora nem mais! Mas o que vemos é mais do mesmo, acantonamento e defesa dos "castelos"  de cada grupo e de cada cor,para desgraça do país e maior bandalheira a cada ano e a cada legislatura.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.02.2024 às 15:13

Politicamente incorrectíssimo : no Portugal ( e na Ibéria ) de hoje, votar Chega é uma questão de bom senso...e auto-defesa...
Quanto  à cambada de  "comentadores" ...é ver o tratamento dado às aldrabices da mortágua  e aos " excessos líricos" do Ventura...
Juromenha
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 15.02.2024 às 18:20

O presidente do Chega, André Ventura, disse hoje que o secretário-geral do PS "não tem moral" para dizer que "com a direita há bagunça", devolvendo essas críticas a Pedro Nuno Santos.

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/ventura-diz-que-pedro-nuno-nao-tem-moral-para-acusar-direita-de-bagunca
Sem imagem de perfil

De Filipe Costa a 15.02.2024 às 15:35

Eu tenho o meu voto definido, fora do Sistema cinquentenário, não se trata do Chega, mas se não tivesse alternativa, votava no Chega como forma de protesto, é que nem quero saber das ideias deles, votava só para meter "nojo".
Sem imagem de perfil

De passante a 15.02.2024 às 15:45

 os bem-pensantes


São muito úteis - em vez de se estar com canseiras, basta votar em quem eles gostam menos.


Poupa-se imenso tempo, e não se erra muito. E tem a virtude de os deixar desconcertados, às vezes até se questionam. Se bem que seja só momentâneo, passados dois dias estão outra vez a debitar o mesmo.

Sem imagem de perfil

De marina a 15.02.2024 às 17:24

Sem imagem de perfil

De IMPRONUNCIÁVEL a 15.02.2024 às 17:33

Realidade...


“Reality only exists for us in the facts of consciousness given by inner experience” 


(W. Dilthey, 1976, “Dilthey: Selected Writings”, ed. H.P. Rickman, Cambridge University Press, p.161)

Sem imagem de perfil

De maria a 15.02.2024 às 18:07

O PS tomou tudo o que é bom, deixou os ossos.
Não é com frouxos e idiotas úteis que se muda esta perversão.
Claro, os aviados e são muitos, temem.

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D