Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A tomada de posse do nosso Marcelo

por João-Afonso Machado, em 09.03.21

Não ouvi o discurso da praxe, estava muito ocupado em terminar a leitura do Mau Tempo no Canal. De resto, não faltarão os milhares do costume para o analisar e comentar.

Curioso é,  sempre fui imaginando Marcelo não se recanditaria. Assim a modos de que quereria ser exemplar até ao fim: no desempenho e no desprendimento.

Afinal, a situação pandémica veio alterar o que seria realmente o seu pensamento. A Pátria reclama ainda o sacrifício e o heroísmo de Marcelo.

E o resto são as incógnitas já por todos faladas: a crise económica, a provável crise política. Por quem desembainhará Marcelo a espada?

Marcelo não é do PSD como Soares era do PS. Não creio assistamos à desilegância e falta de seriedade do segundo mandato de Soares. Ou de Sampaio, em relação a Santana. Nem Marcelo se deixará enxovalhar pela Esquerda, como deixou o ingénuo Cavaco.

Esta fase que hoje se inicia na vida da inefável República, terá essa marca: Marcelo estará sempre ao lado do que, ou de quem, lhe garanta a manutenção da sua popularidade. Prosseguirá a fartura de afectos e selfies. O mais não é problema seu.

 


17 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.03.2021 às 13:38

Em suma: o que o João-Afonso Machado está a dizer é que Marcelo sairá como entrou. Ou seja, no fundo o país é-lhe indiferente e sairá sem que nada de substancial se tenha alterado. Deixar-nos-á, portanto, o mesmo país, exactamente com o encontrou. Depreendo que o empenho de Marcelo RS seja unicamente no seu interesse pessoal  e no seu "doce prediecto" : a garanta dos elevados níveis de popularidade, os quais  ele retribuirá "com açúcar, com afecto". 
Não me parece que seja apenas isso. Seria demasiado mau. Marcelo é astucioso e matreiro, talvez devamos esperar mais dele. Tenho esperança de que tenha lá alguma "guardada". 
LS
Sem imagem de perfil

De Robinson Kanes a 09.03.2021 às 17:26

O problema é que enquanto guarda e não guarda já passaram 5 anos... Já se perderam 5 anos... No mundo atual, 5 anos são o equivalente a 100 nos anos 90.
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 09.03.2021 às 19:14

E daqui a 5 anos, o equivalente a um número hoje inimaginável.
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 09.03.2021 às 19:11

Não disse que o País lhe era indiferente.
Acentuei o seu interesse pela popularidade.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.03.2021 às 19:26

Mas como diz um comentador em baixo, o discurso de MRS enviou muitos recados ao governo. Insisto que ele é matreiro...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.03.2021 às 19:58

João-Afonso Machado, prefiro pensar que Marcelo RS actuou  com reserva mental. Há que esperar pacientemente, ele quer dar tempo para que os portugueses fiquem vacinados de vez contra o socialismo. Mas antes, têm de continuar a beber o veneno socialista até ao último gole para que nunca mais se esqueçam do seu travo amargo. Haverá danos? Claro que já houve nestes 5 anos. E ainda vai piorar por mais alguns. 
É um preço demasiado elevado? Mas que importa se o resultado for a erradicação total desta doença?
mt
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.03.2021 às 15:11

no final da pose houve uma salva de 21 tiros e nenhum acertou no alvo como acontecera durante a pose.
os mamadus não protestaram nos Jerónimos perante os racistas Camões e Gama
Imagem de perfil

De Maria a 09.03.2021 às 15:51

Marcelo é um "animal" político. Mas também é um animal de palco! Conhece a ribalta e bastidores como ninguém. Atrever-me-ia a avançar que "nada, ou muito pouco" será como antes. Aliás, aquele discurso bem dissecado, tem um milhão de recados. 
Não os considerará quem é tolo. Veremos... o que se segue.
A mim o que me interessa é que esta pandemia seja controlada, que não morram pessoas sem ninguém querer saber. E que (ainda) tenhamos um país de "pantanas" porque a popularidade fala mais alto. Entretido e preocupado com ela, não se tomam decisões em tempo adequado, por caprichos deste e do outro. Briguinhas de cácáracá.
Uma boa semana, meu amigo. E desculpe comentar. 
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 09.03.2021 às 19:12

Venha sempre comentar.
Aliás, no fundamental, estamos de acordo.
Uma boa semana, minha amiga.
Imagem de perfil

De cheia a 09.03.2021 às 18:20

Tanto que, este País, precisava de políticos!  Mas, infelizmente só tem vendedores de ilusões e afetos.
Bom resto de dia!
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 09.03.2021 às 19:13

Sim, ninguém muito fiável...
Uma boa semana!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.03.2021 às 12:06

cheia (https://blogs.sapo.pt/profile?blog=cheia),
Lembrou-me uma pequena cena do filme «The Hunt for Red October» quando um homem novo que tentava perceber a causa das deserções do submarino e do seu comandante é abordado por outro que lhe diz:

Listen, I'm a politician which means I'm a cheat and a liar. And when I'm not kissing babies I'm stealing their lollipops.

Uma das melhores sínteses daquilo que é um político.

ao

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.03.2021 às 09:53

Caro Sr.,  mal consigo reprimir o meu sentimento de revolta por tudo quanto se tem passado no país. Oxalá a reeleição do Presidente MRS coincida com uma mudança de ciclo (bem precisamos) e ele seja mais interventivo  _ não fazendo oposição que não lhe cabe_ mas  vigilante do funcionamento da nossa precária democracia, de que ele esteve alheado e indiferente nos últimos anos. 
Portugal vive, na prática, há mais de 20 anos sob a influência socialista. O socialismo fez de nós um dos países mais pobres e atrasados da Europa a todos os níveis (económico, cultural ou social). Somos hoje menos livres e mais vigiados do que nunca, temos políticos medíocres, a corrupção, o nepotismo e os amigalhaços grassam e espalham-se como mancha de óleo, temos um Estado gorduroso, uma Justiça empenada como uma porta sem fechadura que não fecha nem abre, cargos de topo ocupados por gente imprópria, incapaz, doente (sofre de partidarite crónica), uma Educação pobre e podre que toma os alunos como «pertença» do Estado como em países marxistas e totalitários, onde não falta uma endoutrinação estranhíssima dos alunos, que conspurca gente saudável, como aquelas más influências e más companhias que não queremos que se aproximem dos nossos filhos. 
Podia continuar o rol mas não tinha fim. Apenas a constatação de que o socialismo fez de nós um dos países mais pobres, decadentes, atrasados e estagnados da actualidade, no dito mundo civilizado. Com uma agravante, o socialismo estupidificou as pessoas e retirou-lhes a capacidade de reagir. Veja como os portugueses estão abúlicos, sem iniciativa, dependentes, medrosos, incapazes de tomar as rédeas do seu destino, incapazes de mudança. Veja no que os socialistas tornaram os portugueses, numa gente apática, estupidificada, indiferente ao rumo do país e sem Esperança em nada. O socialismo é o símbolo do nosso atraso, do nosso declínio! É anti-democrático, pois tornou-se um projecto vazio, nulo,  é o poder pelo poder e só. Está fora de moda, já não se "usa" em países civilizados. Hoje só existe em países sub-desenvolvidos e terceiromundistas. Aliás todos pobres e com os mesmos vícios que nós. 
Seríamos um país tão diferente nas mãos de outra espécie de gente. Há tanta qualidade desaproveitada, tanto potencial, tantas pessoas altamente qualificadas que se afastam deste "ninho" de térmitas (para usar o termo de Meireles Graça) e tantas outras que se vêem ultrapassadas porque não têm as relações "certas" que abrem portas...

Parece que nada disto vem a propósito seu post, João-Afonso Machado. Mas  tem tudo a ver.  Então e o Sr. Presidente tão perspicaz, não viu, não vê nada de estranho no Portugal de hoje? Nada enxerga? Não tem visto as sucessivas fraudes no "assalto" socialista às Instituições democráticas de que ele é o garante do seu bom funcionamento? E dos ataques à Liberdade  e à Democracia do país, nada tem a dizer?   Apetece perguntar se ainda seremos um Estado de Direito?
(Caro sr. foi longo o desabafo, por isso mil desculpas por ocupar o seu tempo e o seu espaço.)  CTSampaio


Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.03.2021 às 10:06


" incapazes de mudança...  gente apática... indiferente ao rumo do país."
""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""
Lendo as Sondagens que se seguem, na verdade confirma-se este veredicto sobre os portugueses:
1)- a "resistência à mudança"   2)- o estado de "indiferença ao rumo do país"  Julgo que em ambas as situações se devem ter em conta dois factores.


  1)- o envelhecimento do país  / maior "resistência à mudança"
"olhando para a pirâmide etária ao longo das décadas no nosso país, as diferenças são tão acentuadas que a figura passa a ser uma pirâmide invertida".

  2)-  "Indiferença pelo rumo do país" / população menos informada/ com algumas melhorias mas persistência de um nível baixo de instrução e de qualificações e consequente problema de iliteracia política, para ser feita uma avaliação mais esclarecida da gestão política do país e recentemente da pandemia. 
"A Fulbright (...) foi assistir ao evento para compreender melhor, por exemplo, se há hoje igualdade de oportunidades na educação. Estará este “elevador social” a funcionar? E como podemos, enquanto coletivo, reduzir as desigualdades? (...) Bloom deixou, contudo, uma mensagem otimista:  é possível, com políticas públicas, inovações tecnológicas e institucionais, interferir na demografia. A chave, disse, é o planeamento e a educação".



- o PS reúne agora 37,6% das intenções de voto (face a 39,9% em janeiro)

- De acordo com os resultados, 54% dos portugueses confiam em António Costa para o exercício do cargo de primeiro-ministro



( As intenções de voto, com boas sondagens para o partido do governo, conferem com o retrato socio-cultural dos portugueses acima descrito, apesar do panorama do país). 


SF
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.03.2021 às 13:51

João-Afonso Machado, o Sr. é uma pessoa esclarecida, culta e atenta ao país e com espírito lúcido e atento à atualidade. Por isso, longe de mim aconselhá-lo no que ler. 
Contudo, a reeleição do PR  poderia influenciar a mudança urgente de paradigma político. Gostaria de lhe indicar, se me permite, um texto de João Marques de Almeida. Está lá tudo quanto necessitamos para uma viragem: 


https://observador.pt/opiniao/o-sr-pm-nao-entende-nada-sobre-o-liberalismo/



Sobre o abuso de tráfico de influência, também o aconselho a ler (em tendo tempo e disposição):


https://portadaloja.blogspot.com/2021/03/o-iscte-tomado-pelo-esquerdismo-do-ps.html



bf
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 10.03.2021 às 14:54

Obrigado. Vou dar uma «espreitadela»
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.03.2021 às 10:04

João-Afonso Machado:
Nas minhas deambulações acabei de encontrar no blog jamachado, que desconhecia, um belo texto "O adeus à minha personagem" em 26-12-2020.
Achei curiosa uma referência que lá fez (que também me diz respeito).  Coloquei um comentário (extemporâneo!) com uma informação que eventualmente já conhecerá. 
Cumprimentos e uma boa semana! 
LS

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D