Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




antonio-costa.jpg

Ainda há uma possibilidade do governo da coligação passar com a abstenção do PS. Porque uma aliança PS, BE e PCP é, como comprovam as dificuldades no acordo, contranatura. Acontece que espaço eleitoral dos partidos de protesto é por natureza limitado mas “garantido”. Ora o BE e o PCP sabem que se o abandonarem para sustentação de um governo António Costa inevitavelmente “austeritário”, outros lhe tomarão o lugar. Pior: até ao último minuto haverá a tentação dos dois entre eles tirarem partido um do outro para se apoderem desse “espaço garantido”. Ou seja, um ou outro saltará fora na primeira oportunidade da última hora. António Costa foi claro ao garantir uma postura “responsável”, só aprovando uma moção de censura se tiver alternativa. Assim se compreende o discurso radical socialista: para não perderem a esquerda, recusam o ónus do falhanço da aliança, e vão assumir o protagonismo deste jogo de sombras para, chegando à 25ª hora, lavarem as mãos perante o alívio da depauperada classe média. Assim, Costa ainda se safa no congresso exibindo o troféu desta sua congeminação, reclamando que o falhanço foi culpa dos radicais.  

Publicado originalmente no Diário Económico



4 comentários

Sem imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 03.11.2015 às 11:12

É uma hipótese que não pode ser descartada e está, desde o dia 7 de Outubro, explicitamente prevista neste artigo de Porfírio Silva a que se tem dado menos importância do que merece:

http://maquinaespeculativa.blogspot.com.es/2015/10/e-agora-esquerda.html
Esta solução, não sendo a mais provável é perfeitamente possível, tem ainda a vantagem de obrigar a coligação a apresentar um programa o mais próximo possível do programa do PS, podendo António Costa vangloriar-se de ter conseguido de uma penada trazer o PC e o BE para o arco da governação e de ter obrigado a coligação a rever o seu programa de forma muito favorável.
Depois é esperar pela altura certa de tirar o tapete ao governo da coligação e aparecer nas eleições na melhor posição e tempo possíveis.
Sem imagem de perfil

De zazie a 03.11.2015 às 11:26

Mas o PCP e o BE alinham apenas para destruírem a economia. Em fazendo isso vem a revolução.


Não vão para lá para governar um sistema capitalista, como é mais que óbvio.


E o PSD/CDS não vão fazer explodir o sistema capitalista, porque isso é tarefa deles.
Sem imagem de perfil

De Lufra a 03.11.2015 às 12:03

Estou no ar para ver a coligação 3D em funções!
Vai ser como a vacina da gripe!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.11.2015 às 12:38

O problema são as eleições. O problema é "o povo" de quem o PS tanto gostava. É que para quem não reparou há eleições e o PS não quer eleições. O que o PS quer é precisamente a impossibilidade de o PR convocar eleições. :-)

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • henrique pereira dos santos

    Está a fazer comentários sobre alguma coisa que eu...

  • s o s

    num texto (post) demasiado longo para ser lido a e...

  • Susana

    Mais grave ainda do que ter o senhor especialista ...

  • voza0db

    No último parágrafo entraste em estado de delírio....

  • balio

    Tegnell não decidiu da vida de ninguém. As pessoas...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D