Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A invisibilidade do outro

por henrique pereira dos santos, em 04.08.22

Praia cheia, um casal com aspecto perfeitamente normal resolve passear dois belos pastores alemães sem os levar pela trela.

Passam entre mim e cinco dos meus netos e comento que me parece óbvio que as crianças estão assustadas.

O senhor responde-me perguntando se acho óbvio, encolhe os ombros e prossegue sem o menor gesto para controlar os cães (aliás, educadíssimos e bem treinados).

Pergunto-lhe se não vê o resultado do que está a fazer e as crianças em pânico.

Responde-me que nem ele nem os cães fizeram mal a ninguém.

Insisto que isso é irrelevante, as crianças estão assustadas e os cães andam à solta, aproximando-se, mansamente, é certo, o que faz com que fiquem mais assustadas e, por vezes, a chorar de medo.

O resto da história não interessa, o que me faz confusão é a atitude que penso que tem, na base, uma opinião clara dos senhores: as crianças terem medo de cães é um erro de educação e o que é preciso fazer é ensinar as crianças a não ter medo de cães, não é respeitar o medo dos outros e evitar levar cães para o meio de uma praia onde há gente de toda a maneira e feitio, incluindo os que não gostam de cães, os que têm medo de cães e os que consideram os cães como membros da família.

Algures no tempo, talvez tenhamos perdido a noção de que a base da educação é o respeito pelos outros, tal como eles são.

Ou eu, simplesmente, estou desfasado deste mundo: não consigo perceber como se considera normal que o que eu penso sobre o mundo é mais relevante que a minha obrigação de respeitar as diferenças do outro em relação a mim.



18 comentários

Sem imagem de perfil

De balio a 05.08.2022 às 11:49


levar cães para uma praia cheia é uma palermice sem fim


A praia não tem que estar cheia para ser uma palermice.


Há que ver que os cães são animais irracionais, que não têm a noção do decoro. Eles invadem o espaço das pessoas para as farejar, para tentar brincar com elas, e ocasionalmente para urinar nas coisas que as pessoas têm pousadas na areia. E fazem isso mesmo que só haja na praia uma ou duas pessoas a quem fazer isso.


Por isso cães na praia ou em qualquer espaço público devem andar sempre com trela e açaime. A não ser que o espaço público esteja, comprovadamente, totalmente sem pessoas.
Sem imagem de perfil

De G.Elias a 05.08.2022 às 16:41

O espaço público, pelo facto de estar sem pessoas, não deixa de ser espaço público e por isso o facto de não haver pessoas não dispensa a obrigação de levar o cão com trela.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • pitosga

    João Távora,Na sequência Tolentiana adiciono, porq...

  • Anónimo

    Prostituição - e da mais reles...JSP

  • Anónimo

    Não desvalorizando de modo algum o ensino superior...

  • henrique pereira dos santos

    Seria um bocado estúpido partir do princípio que p...

  • jo

    As vagas supranumerárias exitem, custam recursos, ...


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2007
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2006
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D