Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os pesadelos do século XX

por Corta-fitas, em 29.05.06

A leitura de Mao, a História Desconhecida, de Jung Chang e Jon Halliday, impressiona pela dimensão dos horrores que ali são relatados. Desconhecia a maioria dos episódios da biografia de Mao Tsé-Tung, sobretudo a parte dos anos iniciais da sua vida. Tenho a sorte de estar a ler este livro pouco depois de ter lido Os Ditadores, de Richard Overy, um brilhante estudo sobre os regimes nacional-socialista e soviético. É espantoso como os três piores ditadores do século XX (Hitler, Estaline e Mao) tiveram tanta coisa em comum, das origens humildes à total brutalidade. Os três são originários de periferias dos países que dominaram: Estaline era georgiano, Hitler austríaco e Mao nasceu numa província chinesa afastada dos centros de poder; todos eles falavam a língua dominante com forte pronúncia. São famosas as poderosas ligações emocionais que tinham à mãe e o ódio que alimentavam em relação ao respectivo pai. Eram homens medíocres e pouco corajosos, desprovidos de qualquer talento militar ou intelectual. E, na sua juventude, todos os relatos indicam falta de carisma e até impopularidade. As suas carreiras políticas são totalmente improváveis (sobretudo as de Estaline e de Mao Tsé-Tung). Cada um dos três assume o poder nas organizações políticas que os levam ao poder no final dos anos 20, início dos anos 30 (Mao um pouco mais tarde); depois, transformam estas organizações em partidos totalitários; ao tomarem o poder, parasitam os Estados, criando Estados totalitários. Há outra coincidência: os três tinham defeitos físicos e eram hipocondríacos. Fizeram um uso histérico da propaganda e nunca confiaram em ninguém. Todos acreditavam numa única ideia: o indivíduo não conta e a ideologia é um instrumento. Cada um dos três ditadores matou dezenas de milhões de pessoas, incluindo muitos dos seus próprios súbditos.
O livro de Overy tenta responder à questão que a meu ver é a mais importante: como foi possível que estes homens tenham chegado ao poder. As sociedades alemã e russa estavam em profundo choque e a ideologia serviu para levar as massas a fazerem o impensável. O terror fez o resto. Penso que esta explicação (aqui simplificada) se aplica também à China maoísta.
O nacionalismo é a verdadeira ideologia na origem destes três ditadores. E a alavanca das suas existências alucinadas foi uma sede de poder que nenhuma quantidade de sangue podia jamais saciar.



Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    José Mendonça da Cruz,Sabujo é meiguice para esta ...

  • Anónimo

    Caro SenhorEu não me preocuparia tanto com as cons...

  • Anónimo

    Uma forma de prostituição, mas mais hipócrita.Aind...

  • Sínico

    O que escreveu está certo e os dois exemplos (as d...

  • Anónimo

    https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D

    subscrever feeds