Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sócrates como Cavaco vinte anos depois

por Pedro Correia, em 30.07.07

José Sócrates está a produzir hoje na política portuguesa um efeito simétrico ao que Cavaco Silva conseguiu há duas décadas. Na década de 80, ao irromper surpreendentemente na cena política com um discurso que transcendia largamente as fronteiras do seu partido, Cavaco cativou a esquerda com um êxito sem precedentes na história do PSD. O seu domínio das finanças públicas, a sua imagem austera, o seu vocabulário expurgado de qualquer vestígio de “politiquês”, a sua preocupação com questões sociais secaram a esquerda, então caracterizada por uma evidente ineficácia e pela mais estéril retórica. Na altura, não faltaram até transferências directas de voto do PCP para o PSD. Vinte anos volvidos, Sócrates produz o efeito contrário: o seu estilo sóbrio, as suas aparições esparsas, a sua imagem de “decisor” e a autoridade que cultiva como imagem de marca seduzem crescentes sectores da direita, tornando inútil o palavreado de oposição formal que emana dos estados-maiores do PSD e do CDS. Com Cavaco no poder, a esquerda teve os piores resultados eleitorais de sempre. Agora, com Sócrates, a direita afunda-se num abismo. Entre as personalidades que Sócrates tem conseguido seduzir incluem-se tradicionais figuras da direita portuguesa, como Freitas do Amaral, Basílio Horta, José Miguel Júdice e Maria José Nogueira Pinto. Duas décadas, o mesmo efeito. E agora a necessidade, à direita, de repensar tudo. Como a esquerda teve que se adaptar à década cavaquista que mudou drasticamente a política portuguesa.



10 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.08.2007 às 19:40

Caro anónimo,

Considero o soneto formalmente correcto. O POST merecia a sua chave de oiro.

M da Mata, anónimo 1º
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.07.2007 às 11:39

Caro Pedro,

Deixe-me ser um pouco mauzinho. Dos nomes que mencionou todos receberam (ou esperam vir a receber), directamente ou indirectamente, benesses do Primeiro Ministro. Uns como Ministros, outros frente à API, e por aí além...
É uma reedição dos 30 dinheiros.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.07.2007 às 10:13

Toda a gente sabe que o sr. Basílio Horta sempre foi de esquerda, até quando uava umas patilhas que nem Paulo Portas ousou.

E que o sr. Freitas era um perigoso esquerdista quando se candidatou à Presidência da República com o apoio unânime da direita portuguesa, de tal maneira que, num famoso debate televisivo, o dr. Soares o apelidou de «fascista».
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.07.2007 às 09:49

Ao menos, no tempo do Cavaco PM havia o Marocas a bramar contra a "ditadura da maioria" e a ordenar: «Senhor guarda, desapareça!».
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.07.2007 às 00:33

Oh Pedro, essa de Freitas do Amaral(quantas vezes terá de repetir ele o que diz desde 1974, isto é, que não é de direita?...) e de Basílio Horta serem de direita é um bocadinho forçado não?:))))
Quanto aos restantes se são de direita andam muito esquecidos, eheheheh

Abraço!

JF
Sem imagem de perfil

De Karen a 31.07.2007 às 00:01

Défice à parte, em quê é que Sócrates se distingue da esquerda representada no post (ineficiente)? É, de novo, o triunfo da retórica, a afirmação de um sucesso de palavras num oceano de fracassos: desemprego, crescimento, falta de rumo, que mais?
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 30.07.2007 às 20:10

Pois, Sofia. Já falei disso. E havemos de voltar a falar.
Sem imagem de perfil

De Sofia Bochmann a 30.07.2007 às 19:50

Hoje, um HOMEM foi embora.
http://cafepuroarabica.blogspot.com/2007/07/ingmar-bergman-foi-embora.html
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.07.2007 às 17:55

Senhor Pedro Correia,

Concordo com o teor do seu "post", em termos gerais. Ambos irromperam na política, ao mais alto nível, após terem passado por ministérios. Não eram tão proncipiantes assim.
Cavaco Silva era Professor de Finanças Públicas e consultor do Banco de Portugal, enquanto Sócrates nunca terá exercido, a sério, uma profissão. Poré,, há efectivamente alguns traços comuns quanto ao modo de fazer política.
Quer-me parecer, no entanto, que Cavaco tinha e tem uma consistência que Sócrates nunca terá. Mas sabe, certamente, que "Os Lusíadas" têm dez cantos.

M da Mata
Sem imagem de perfil

De Menino Mau a 30.07.2007 às 17:53

hoje está inspirado!!

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ouvi há pouco na sicN pelas 20h :26m (é uma interv...

  • Elvimonte

    O negacionismo da sazonalidade de todos os coronav...

  • Marques Aarão

    Com este circo montado deixou de haver palhaços sé...

  • henrique pereira dos santos

    Não, são os países europeus com maior incidência r...

  • Anónimo

    Caro Henrique,Permita-me que o informe que deixou ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D