Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Da greve dos professores

por João Távora, em 16.06.13

Só uma classe que recusou, como ultraje, a possibilidade de ser avaliada para efeitos de progressão profissional – isto é, uma classe de medíocres reivindicam o direito constitucional de ganharem o mesmo que os competentes – é que se pode permitir a irresponsabilidade e a leviandade de decretar uma greve aos exames nacionais. Nisso são os professores exemplares: transmitem aos alunos o seu próprio exemplo, o exemplo de quem acha que os exames, as avaliações são um incómodo para a paz de um sistema assente na desresponsabilização, na nivelação de todos por baixo, na ausência de estímulo ao mérito e esforço individual.
Mas a greve dos professores vai muito para lá deles: reflecte o estado de espírito de uma parte do País que não entendeu ou não quer entender o que lhe aconteceu. Deixem-me, então recordar: Portugal faliu. O Portugal das baixas psicológicas, dos direitos adquiridos para sempre, das falcatruas fiscais, das reformas antecipadas, dos subsídios para tudo e mais alguma coisa, dos salários iguais para os que trabalham e os que preguiçam, faliu. Faliu: não é mais sustentável. (…) Se alguém conhece uma alternativa mágica em que se possa ter professores sem crianças, auto-estradas sem carros, reformas sem dinheiro para as pagar, acumulando dívida a 6,7 ou 8% de juros para a geração seguinte pagar, que o diga.


Miguel Sousa tavares, Expresso 15 Junho 2013



Autoria e outros dados (tags, etc)



4 comentários

Sem imagem de perfil

De José a 17.06.2013 às 00:24

Está na massa do sangue deste Sr. insultar tudo e todos e falar do que não sabe. A avaliação dos professores decorre e, já agora, seria interessante investigar o conceito de "mérito" por parte daqueles que o propalaram, acabando por torná-lo iníquo, desastroso e assimétrico.
Sem imagem de perfil

De Comunista a 17.06.2013 às 15:23


José, você presume que está a falar para pessoal que se interessa de facto pelo que realmente acontece nas escolas. Nada disso. Este pessoal é movido pelo ódio aos professores. Quando o ensino se centrava no aluno, a direita dizia que isso era o eduquês e que é preciso é repor a autoridade do professor, depois quando os professores exercem a sua autoridade sobre o que julgam melhor para o ensino, eles dizem que os professores não sabem nada do assunto, que só querem regalias etc. Sabe qual é o resultado? É o de apoiar o reforço do poder do ministério da educação central sobre todo o sistema de um lado e a privatização do sistema do outro, ou seja, apoiar instâncias as mais distantes das escolas - ministros e capitalistas.
Sem imagem de perfil

De João a 17.06.2013 às 19:43

O Sousa Tavares nem sempre acerta, mas neste caso, José, esteve correcto: FALIU. Qual das letras não percebe?
Sem imagem de perfil

De Comunista a 18.06.2013 às 05:45

Faliu? Ok. Porque razão então o governo de um Estado falido que aumenta impostos e explora os reformados não utilizou todos os meios ao seu alcance para amenizar os prejuizos com swaps ruinosos, alguns deles contratados por uma secretária de Estado do próprio governo:

"Estado tinha argumentos para tentar anular contratosde swap em tribunal"


 

 http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/estado-tinha-argumentos-tentar-anular-contratosde-swap-tribunal (http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/estado-tinha-argumentos-tentar-anular-contratosde-swap-tribunal)

 

E isto:

 


"Estado contrata grandes devedores do BPN


Contas feitas por baixo, a Galilei - grupo que sucedeu à SLN, ex-dona do BPN - já cobrou ao Serviço Nacional de Saúde mais de €50 milhões."


http://visao.sapo.pt/estado-contrata-grandes-devedores-do-bpn=f724603 (http://visao.sapo.pt/estado-contrata-grandes-devedores-do-bpn=f724603)


 


ou isto:


http://visao.sapo.pt/saiba-quem-sao-e-que-negocios-tem-os-ex-donos-do-bpn=f721899 (http://visao.sapo.pt/saiba-quem-sao-e-que-negocios-tem-os-ex-donos-do-bpn=f721899)


 - É este governo que você defende? É na palavra deste governo que você acredita?


Saia dessa, meu caro. Isto é um governo que é contra o próprio povo. É um governo que prefere beneficiar os sócios de uma das maiores fraudes financeiras em Portugal a amenizar a austeridade sobre o seu povo.


 


 



 



 




 

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Costa, Costa! Então já não há um pouquinho de verg...

  • Anónimo

    O Costa é Costa, o Costa é hipócrita e demagogo, o...

  • Anónimo

    O peixe oficial é mais raia que o parta.Henrique P...

  • Anónimo

    Caro senhor, o Henrique Pereira dos Santos tem vin...

  • Pedro Nunes

    Já tinha saudades de ler os textos do Henrique.


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D