Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Estado não tem dinheiro

por Maria Teixeira Alves, em 30.05.13

Pedro Passos Coelho põe o dedo na ferida: “Estado não tem dinheiro para sustentar a factura salarial” da função pública. Mas não chega falar, é preciso actuar e rapidamente.

Se há alguma coisa a apontar a este governo é o atraso na corte estrutural dos gastos do Estado, não há alternativa à redução do número de funcionários públicos. O Governo tentou ser soft, mas no fundo adiou o inevitável. Passos Coelho confessou mesmo "que todas as outras medidas implementadas pelo Governo para reduzir a massa salarial do Estado foram inviabilizadas pelo Tribunal Constitucional". Espero que não seja tarde demais.

Autoria e outros dados (tags, etc)



6 comentários

Sem imagem de perfil

De murphy a 30.05.2013 às 23:54


E será possível implementar as mudanças que Portugal precisa - e que passam essencialmente pelo corte nos recursos que sustentaram a riqueza gerada na capital nas últimas décadas - quando é precisamente o grupo mais prejudicado por essas medidas quem domina completamente a opinião pública e a agenda mediática?
http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/05/do-portugal-silencioso.html (http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/05/do-portugal-silencioso.html)
Sem imagem de perfil

De menvp a 31.05.2013 às 01:22

É UMA REGRA DA DEMOCRACIA:
- Um ministro das finanças que dê abébias a certos lobbys tem a vida facilitada... pelo contrário, um ministro das finanças que queira ser rigoroso, tem de enfrentar uma (constante) tempestade política.
.
.
--->>> Com um MINISTRO DAS FINANÇAS RIGOROSO não teria sido 'enfiado' ao contribuinte a nacionalização do BPN, a nacionalização de sistemas piramidais em ruptura acelerada, PPP's, SWAP's, etc...
.
-> Os lobbys que se consideram os donos da democracia - os 'cavadores de buracos' -, com os seus infiltrados em todo o lado (sim, em todo o lado!), isolam e atacam todo e qualquer ministro  que queira ser rigoroso, e que não lhes dê abébias para andar a 'cavar buracos' sem fim à vista...
- Obs. 1:  Manuela Ferreira Leite (quando era ministra das finanças) quis impor algum rigor nas finanças públicas... consequência: os 'cavadores de buracos' puseram o país inteiro a cantarolar a cantiga «Há vida para além do deficit».
- Obs 2: ao querer impor um certo rigor... o ministro das finanças Vítor Gaspar foi isolado (e atacado por todos os lados) pelos 'cavadores de buracos'.
.
.
O CONTRIBUINTE  TEM QUE SE DAR AO TRABALHO!!!
-> São raros os ministros que possuem a capacidade de resistência do ministro Vítor Gaspar... leia-se: O CONTRIBUINTE TEM DE AJUDAR NO COMBATE AOS LOBBYS QUE SE CONSIDERAM OS DONOS DA DEMOCRACIA!
-> Por um sistema menos permeável a lobbys, os políticos deverão ser obrigados a fazer  uma gestão transparente para/perante cidadãos atentos... leia-se, temos de pensar em bons mecanismos de controlo... um exemplo: "O Direito ao Veto de quem paga" (vulgo contribuinte): ver blog 'fim-da-cidadania-infantil'.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2013 às 09:49

Quer fazer mais citações da Manuela Ferreira Leite, mais recentes? Eu ajudo-o, se não conseguir encontrar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2013 às 10:04


"Adiou o inevitável" ou perdeu a oportunidade ?

Agora que me foram extorquidas todas as poupanças  só para manter as contas em dia, é que me vêm pedir para investir ?

Agora que me roubaram o produto do meu trabalho e do meu esforço de poupança  no sustento do insustentável durante os dois ultimos anos, é que se vem tentar diiminuir o insustentável ?

Agora é tarde.

O comunista Manuel Tiago, que nunca produziu um centimo com o suor do seu rosto, até se permite fazer ameaças destas no FB. "

 "A corja que despreza a constituição que se ponha a pau. É que, se o meu direito à saúde, educação, pensão, trabalho, habitação, não valem nada, então, também os seus direitos à propriedade privada, ao lucro, à integridade física e moral deixam de valer. E nós somos mais que eles!"
- Miguel Tiago" -

E os "82% que nunca fizeram greve", vão continuar a assistir calados ? 
Sem imagem de perfil

De João a 31.05.2013 às 10:47

O Estado não tem dinheiro? Eis a razão e deixem de considerar a função pública o bode expiatório de todos os males!


http://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/ex_administradora_da_gebalis_gastou_11500_euros_em_refeicoes_com_cartao_da_empresa.html (http://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/ex_administradora_da_gebalis_gastou_11500_euros_em_refeicoes_com_cartao_da_empresa.html)




Sem imagem de perfil

De Jôze a 31.05.2013 às 11:58

Não é meu costume comentar o que quer que seja, mas como este governo precisa de fazer a reforma do Estado e prometeu cortar nas "gorduras" e assim ganhou as eleições, eu pergunto. Para uma população de pouco mais de 8 milhões de habitantes, sendo que há cidades que têm mais pessoas que Portugal inteiro, expliquem porque temos 1 Presidente que emprega 500 pessoas, podem dispensar 2/3 Temos 230 deputados, mais 13 Ministros, 38 Secretários de Estado, Portugal tem 308 concelhos, 278 no continente, 11 na Madeira e 19 nos Açores. Todo esta estrutura engloba um número brutal em secretarias, adjuntos, especialistas, chefes de gabinete, motoristas, etc. etc. etc. A reforma do Estado tem de ser feita de cima para baixo mas o que se está a fazer é deixar os TAXOS e acabar com serviços que são essenciais para os cidadãos.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Aurélio Buarcos

    Trabalhar que é bom é que 'ta quiieto.Na melhor da...

  • João Távora

    Podia ser assim o final: "em consequência, a esque...

  • António

    Estavam todos na ADSE a tramar o João Távora.

  • António

    Começa a ser interessante o expediente brasileiro ...

  • Anónimo

    o mal do ex-mundo rural é ter  levado um pont...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D