Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O que verdadeiramente importa

por João Távora, em 20.05.13

A malta bem pode legislar as aberrações que quiser, engendrar as mais mirabolantes engenharias sociais. Mas a bondade do mundo continua a depender única e exclusivamente das escolhas e atitudes das pessoas. Da sua adesão ao Amor. É nesse plano concreto que a luta entre o bem e o mal afinal se situa: o único plausível. O único verdadeiramente fecundo.





5 comentários

Imagem de perfil

De Bernardo Hourmat a 20.05.2013 às 14:15

Não será um pouco vago entrar com termos como "bem" e "mal" numa discussão deste género?
Ou "Amor"? É o João que define o que é ou deve ser cada um desses conceitos?
Imagem de perfil

De João Távora a 20.05.2013 às 16:47

Aceito a definição do dicionário da Porto Editora, Bernardo. 
Sem imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 20.05.2013 às 14:49

Ora é exactamente por isto que dizes que não faz sentido generalizar em função de grupos sociais em matéria de adopção. É mais ou menos evidente que a o melhor ambiente para criar crianças é o de uma família tradicional estruturada a partir da prática quotidiana do amor. Mas como sabes existem famílias tradicionais onde isto não se passa, chegando mesmo a ser verdadeiros infernos para alguns dos seus membros. Assim como há outras famílias não tradicionais fundadas na mesma prática do amor. Sendo certo de que o argumento dos direitos dos pais é um argumento errado (ninguém tem direito a adoptar crianças), sobra-te a análise concreta de cada família concreta e de cada situação concreta para decidir a melhor solução para uma criança. Parece-me difícil negar que há sempre a possibilidade de uma família não tradicional ser melhor que a ausência de família para uma criança concreta. Como diz o Filipe Nunes Vicente, e como dizes agora, é o laço do amor que é determinante. E isso não depende da orientação sexual dos pais (mesmo que estatisticamente existam mais probabildiades de acontecer com um tipo de famílias que noutras).
henrique pereira dos santos
Sem imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 20.05.2013 às 14:50


"sendo certo que", evidentemente.
Sem imagem de perfil

De jcd a 20.05.2013 às 15:46

Que bom ler coisas destas. Obrigada.
Joana

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Reescrevem-nos a História, rasuram-nos o passado,...

  • Miguel Alçada Baptista

    Obrigado pela dica. Sou covilhanense e não conheço...

  • Anónimo

    Criar um Museu temático dos Descobrimentos Portugu...

  • Anónimo

    Os afamados produtos da reputada Fábrica Renova, ...

  • Anónimo

    La Palisse , em voz baixa : "Os EUA já não existe...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D