Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Elucubrando sobre o Jurássico...

por Luísa Correia, em 27.03.13

Há especulações impagáveis e o Sunday Times dá-nos nota de uma delas na sua edição do passado Domingo.
A questão é como acasalariam os dinossauros? Em causa estão aqueles exemplares que, como o estegossauro (acima) ou o anquilossauro, apresentavam tremendos espigões ósseos e outros expedientes defensivos no lombo e na cauda, inviabilizando o recurso à técnica zoo-clássica da abordagem pelas costas, devido aos riscos de ferimento dos machos, incluindo perda de capacidade viril.
A comunidade científica, para a qual a questão não é de somenos, por isso que se prende com a adaptação de criaturas que dominaram o planeta durante umas dezenas de milhões de anos (prazo a que o homem, por este andar, não chega...); a comunidade científica, dizia, divide-se entre duas teses: a primeira, a de que as fêmeas adoptariam, para o efeito, uma variante próxima da chamada posição do missionário; outra, a de que os machos disporiam, para o efeito, de equipamento convenientemente adaptado no sentido do comprimento, a tese apontando para extensões de alguns metros!
(In)felizmente, a especulação não vai ter fim. Porque, segundo a mesma comunidade científica, a resposta passaria pela descoberta de provas fósseis, o que parece ser praticamente impossível, na medida em que os tecidos moles não costumam fossilizar... no sentido literal, entenda-se.

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De JdB a 27.03.2013 às 09:47

Texto pedagógico, Luísa, mesmo para quem, como eu, liga pouco aos dinossauros. É curioso como de repente, num domingo chuvoso, se percebe que há posições que são as mais antigas do mundo e que, embora não houvesse mensagem, já havia missionários. 
Não discorrerei sobre a fossilização dos tecidos moles porque não estou habilitado. Tirei um curso de engenharia, sabe, e a resistência dos materiais era outra matéria...
Uma Santa Páscoa, Luísa.
J
Imagem de perfil

De Luísa Correia a 27.03.2013 às 20:33

Fartei-me de rir com o seu comentário, João, que agradeço. Confesso que tive de entrar em pesquisa para perceber a referência aos missionários feita pelo artigo do Sunday Times. E fiquei a saber que a antiguidade dos tempos não era igual para todos, pelo que foi preciso que os missionários chegassem a certas ilhas do Pacífico para nelas divulgar, não apenas a mensagem, mas também essa que diz ser a mais antiga (e testada, e sábia, digo eu) perspectiva das coisas. 
Uma boa Páscoa também para si. 


Sem imagem de perfil

De Paulo Cunha Porto a 27.03.2013 às 22:19

Querida Luísa,
dois apartes:
em certas zonas de África, quando os pobres missionários pregavam a exclusividade de licitude da conhecida posição, as nativas desataram aos risinhos entre elas, porque os consideraram pervertidos...

Pelo menos uma espécie de escorpião aquático tem um sistema que faria ultrapassar o imbróglio que trouxe ao nosso conhecimento. Deposita o líquido orgânico numa pedra adequada e a fémea, passando depois, serve-se, o que suscitou a um grande amigo meu a pertinente questão sobre se o macho o fará à vista dela, ou se tal se dará de cada vez que entenda estar perante uma bela pedra...

Enfim, não é preciso recuar aos grandes sáurios para encontrarmos puritanismos de todo o tamanho e insuspeitados. Além do tempo, há a considerar o lugar.

Beijinho

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Luís Lavoura

    Sobre o linque para a "família cristã" do João Táv...

  • EMS

    Qual é o interesse jornalístico em noticiar um gru...

  • Rezingão

    As pessoas é que não confiam neste estado de sítio...

  • Anónimo

    As pessoas é que não confiam neste estado de sítio...

  • Anónimo

    Sempre que há celebrações e ajuntamentos de grande...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D