Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Presunção e água benta...

por João Távora, em 30.09.12

 

Talvez que Passos Coelho até remodele o governo no próximo fim-de-semana, como recomenda o Professor do alto da sua cátedra. Mas do que eu estou certo é de que a História se encarregará de perspectivar Marcelo Rebelo de Sousa na sua verdadeira dimensão: uma mera nota de rodapé, que aludirá a eterna e frustrada promessa dum político medroso, cujo talento e qualidades patrióticas o reduziram ao papel comentador político num telejornal de grande audiência. 

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Nem tudo é mau a 01.10.2012 às 09:15

Já o verdadeiro dono da coroa terá direito a páginas e páginas.
Sem imagem de perfil

De Jose a 01.10.2012 às 11:35

Vou ter que ser claro… não sinto simpatia pelo tom “ad hominem” do post.

 

Ouço eu MRS? Sim, já há muitos anos.

Creio que é útil e pertinente no que diz? Às vezes sim, outras vezes não.

Acima de tudo entretém, pela facilidade de comunicação, pela óbvia empatia que gera, como nenhum outro, político ou comunicador ou sequer jornalista em Portugal.

 

Dito isto… considero eu que a sua acção já foi deletéria?

Bem, sim… e isto por causa daquele que acredito ser o seu grande “defeito”.

 

Marcelo tenta ser um apaziguador (com uma óbvia excepção a que já voltarei). Procura sempre colocar-se numa posição moderada, central, numa encarniçada busca pelo “meio”, num sentido aristotélico. Isto, amiúde, faz com que ele possa ser acusado de… não acreditar verdadeiramente em nada. Paradigma acabado disto? A sua confusa “posição” face ao aborto, que se tornou imediatamente caricaturada e tida, “prima facie”, como a posição natural e como o argumento mais… robusto… daqueles que se opunham à liberalização. Não era. A posição de Marcelo era, aí sim, temerosa e incapaz de assumir claramente, por razões ontológicas, éticas e teológicas, um repúdio absoluto a tal possibilidade, que seria sempre tida como um mal total e nunca, como falaciosamente se tentou passar, um mal menor. Digamos, faltou-lhe “ética da convicção”.

 

Onde Marcelo tende a ser implacável é na crítica ao seu próprio partido. Particularmente quando figuras pelas quais sente uma óbvia antipatia estão no poder. Foi assim com Santana Lopes, com Menezes e é agora com Passos Coelho. Não é caso singular no PSD. Lembremo-nos imediatamente de Pacheco Pereira.

 

E nesse aspecto rompe com os comentadores da área do PS, que imediatamente e servilmente, como António Vitorino, se curvam ao poder imediato no PS, em particular quando este está no governo.

 

Deve o que Marcelo diz ser lido com um grãozinho de sal?

Naturalmente. Mas quanto a isso… não haverá nenhum comentador isento de tal… cuidado.

Sem imagem de perfil

De Lima a 21.10.2012 às 11:22

 O grande problema de Marcelo, é ter um comportamento que se assemelha a uma moeda de duas caras..., não gostei quando afirmou num debate: faltam Católicos na esquerda em portugal. Absurdo, tendo em conta que ideologicamente e na praxis, são antagónicos..., ou bom católico ou bom "sinistro". Também em termos de comportamento, deixa muito a desejar, pois andar a elogiar M. soares, grande rsponsável or todos os males que assolam terras Lusas, é um insulto à nossa Dignidade!

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Parabéns pelo texto. Excelente.Esta mulher, Clara,...

  • Branca de neve

    Pensa mal. A geringonça já providenciou a ditadura...

  • Anónimo

    1974, Setembro, LM:Antes de seguir para a cidade, ...

  • Anónimo

    Muito bem escrito.Devemos ter sido amigos e vizinh...

  • Sarin

    Porque nem sempre discordamos, permita-me partilha...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D