Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Quando me dizem que não se pode tributar os juros e as mais valias porque já estão sujeitos à taxa liberatória, apetece-me dizer que o imposto extraordinário sobre o subsidio de natal também recai sobre quem já paga IRS.

E em relação ao imposto aos mais ricos, apesar de o contributo poder ser baixo porque há poucos ricos, a verdade é que é justo. O argumento de que o capital vai fugir é uma treta, porque neste momento quem pode já foge. Portugal não é atraente para os aforradores. Pergunte-se quantos portugueses têm contas na Suíça? Ou em offshores? Vão aos private bankers e vejam... Mas claro tem de se distinguir o património que gera rendimento daquele que não gera....

Autoria e outros dados (tags, etc)



14 comentários

Sem imagem de perfil

De maria a 26.08.2011 às 21:58

nas há aqui um problema .prós pequeninos aforradores , como aqui a je , dos rendimentos do trabalho : vou poupando do salário , que já foi tributado , pago depois  uns 21 %  sobre os juros..penso que assim vai ser tripla tributação. ou quadrúpla , pois tb fico sem parte do subsídio de natal deste ano.
ou seja , mais me valia  ter andado a espatifar nos "top da gama"  como os outros , caramba. anda aqui uma pessoa a controlar-se e a ir contra a maré do compra! compra! e agora os descontroladinhos da silva querem ir-me às poupanças ? santa paciência.
Sem imagem de perfil

De Carlos F a 26.08.2011 às 22:40

Justo não é! Justo seria cortar a eito na Despesa Pública, trocar o deficit do Orçamento por um superavit , amortizar Dívida Pública e fazer tudo isto baixando os impostos, para o Estado deixar de esmagar o sector produtivo da economia...empresas e contribuintes singulares, excluindo os funcionários públicos, porque estes de facto não pagam impostos.
Sem imagem de perfil

De Pedro T. a 26.08.2011 às 22:59

Ninguém coloca o dinheiro em bancos suíços por causa dos juros. O dinheiro lá rende pouquíssimo. Quem tem dinheiro e o quer pôr a render, mais vale deixá-lo em Portugal.
Sem imagem de perfil

De Helder Ferreira a 27.08.2011 às 00:05

"Também o imposto sobre o subsidio de natal é dupla tributação"

Não, não é. É um aumento de imposto. Dupla tributação é outra coisa.

"O argumento de que o capital vai fugir é uma treta, porque neste momento quem pode já foge"

Não é treta. Se já não é simpático ser rico em Portugal passa a ser ainda menos. Se resta algum capital por aí (resta?) é desta que se vai embora.
Sabe o que seria bem giro, não fosse trágico? É que num país com um dificuldade tremenda em acumular capital que permita investimento (todo o investimento nasce da poupança especialmente da dos mais ricos) acha-se "justo" dificultar ainda mais essa acumulação de capital. E, fantástico, lastima-se a falta de emprego e assim. O Otelo há três décadas sabia o que dizia, o que nós queremos é acabar com os ricos. Quando formos todos pobres e muito iguais, fica tudo muito bem
Imagem de perfil

De Maria Teixeira Alves a 27.08.2011 às 01:04


É um imposto extraordinário sobre um rendimento tributado em sede de IRS. Os juros e as mais valias também foram tributados (taxa liberatória) e ficaram isentos deste Imposto extraordinário, por causa de ser dupla tributação.... mas é legítimo perguntar se um imposto extraordinário sobre um rendimento já tributado em sede de IRS não é também dupla tributação? Ainda que não seja do ponto de vista formal, é o na prática.
Sem imagem de perfil

De Verdade! a 27.08.2011 às 10:19

E quando o Otelo, todo lampeiro, disse na Suécia que em Portugal queriam acabar com os ricos responderam-lhe que por lá queriam acabar com os pobres.
Sem imagem de perfil

De Gosto destes ricos que querem ser pobres a 27.08.2011 às 09:46


A Berkshire Hathaway, liderada por Warren Buffett pode ter ganho 1,4 mil milhões de dólares (970,4 milhões de euros) no investimento de CINCO MIL MILHÕES DE DÓLARES que fez no Bank of America.
Sem imagem de perfil

De Monday a 27.08.2011 às 10:07

Quer então dizer que se eu for a um private banker me dão uma listagem dos portugas que têm contas na Suíça ou em offshores...
Nesse caso, vou lá na segunda-feira.
Sem imagem de perfil

De CAL a 27.08.2011 às 17:36

Quer dizer que os ricos são os culpados da ruína do País?


Vamos discutir a  governação, vamos dar nome aos bois, vamos responsabilizar os verdadeiros culpados, só assim vamos criar condições de enfrentar a crise. Estamos a ser enrolados, confundidos. Reformas de base têm que ser feitas, como está não dá.  Mais um factóide publicado pela imprensa amiga para distrair otários.


Seria mais interessante discutir: a duplicação da dívida, como se oficializou o roubo do BPN! Fazer reforma política é vital para termos mais controle sobre os políticos. O voto distrital não acabaria com a corrupção, mas reduziria sua ação. O político deve prestar contas aos que o elegeram e não, como agora, só defender os interesses escusos do partido.


 


 

Imagem de perfil

De Maria Teixeira Alves a 27.08.2011 às 19:04

O Imposto sobre as fortunas não significa que se vai acabar com os ricos, nem que se está a culpar os ricos. Por essa ordem de ideias o imposto de natal significava que todos éramos culpados da crise. Não é isso...
Sem imagem de perfil

De Deus nos dê juízo a 27.08.2011 às 19:36

E entretanto o inquilino de Belém veio com uma proposta sobre um assunto que não é com ele, estrambólica e que até parece ignorante.

O imposto sobre sucessões EXISTE, apenas há excepção quando se trata do cônjuge sobrevivo, de descendentes ou  ascendentes.

E se não é bom taxar os rendimentos do trabalho acima de certo limite porque isso não encoraja ninguém a querer subir na vida e a ganhar mais (o que me parece óbvio), será que o que ele veio propor encoraja alguém a poupar de modo a contribuir para o futuro dos filhos num mundo tão incerto e precário como aquele em que vivemos e sabendo, ainda por cima, que o "estado social" deles irá ser mínimo?

Parece-me que chegámos a num estádio em que cada um pretende asnear mais que o anterior...
Sem imagem de perfil

De CAL a 27.08.2011 às 20:20

Apolítica de aumento de impostos só agrava a crise. A máquina do governo está inchada e barriguda, consome muita energia surripiada das pessoas ativas que produzem riqueza e, pior, das não ativas, os aposentados.  Sem dinheiro,  as pessoas gastam menos, a economia se retrai, aumenta o desemprego, a receita  do governo diminui e, em seqüência, aumenta o gasto no social. É baseado neste raciocínio que entendo estarmos a ser ludibriados. Não sou rico, mas gostaria e pagar bastante imposto que fosse empregado devidamente. Trabalho muito, por isso, fico sem tempo para ganhar dinheiro. Reconheço a importância da iniciativa privada na geração de empregos. O estado não é vaca para alimentar pessoas, haja úberes!

Sem imagem de perfil

De George Sand a 28.08.2011 às 10:31

Maria,

Não sendo uma expert, diria que mexer nos juros, significaria uma enorme descapitalização da banca que se está a financiar, neste momento, também, nos clientes. Ou essencialmente... Se as taxas de juro não forem suficientemente interessantes, o que acontece é que os clientes deixam de ser clientes. E Europa é grande e bancos é o que não falta por aí. Quer de dentro, quer de fora da Europa. Dou como exemplo o HSBC, com uma captação de clientes absolutamente estrondosa, mercê de campanhas  direccinadas e leis muito mais permissivas. A coisa pode não ser assim tão simples... para quem tem a poupançazita num Banco que não vale um chavo e ainda por cima lhe vai aos juros...jé nem falo em grandes fortunas. Tem mesmo a certeza que seria uma boa ideia?
Assim, a olhar de repente, para os preços de uma quelquer Eay Jet, fico com muitas mas muitas dúvidas, que se queira sequer falar no assunto...

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Costa, Costa! Então já não há um pouquinho de verg...

  • Anónimo

    O Costa é Costa, o Costa é hipócrita e demagogo, o...

  • Anónimo

    O peixe oficial é mais raia que o parta.Henrique P...

  • Anónimo

    Caro senhor, o Henrique Pereira dos Santos tem vin...

  • Pedro Nunes

    Já tinha saudades de ler os textos do Henrique.


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D